Especiais

Demografia e Gênero nos animes: a diferença

11 minutos para leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

É da minha personalidade gostar de classificar as coisas exatamente como elas são. Logicamente, as obras que tanto amamos não escapam dessa, já que existem as classificações de “demografia” e gênero nos animes e mangás (depois você entenderá porque demografia estará em aspas ao longo da introdução inteira).

Há no mundo pessoas que não ligam muito para a diferenciação entre essas duas importantíssimas palavrinhas. (Né, Goga?) Além disso, é comum você perguntar o gênero do anime que seu amigo está assistindo, e ele responder “ah, um shounen clássico aí” ou “um típico shoujo”. 

Este equivoco é perfeitamente normal. Afinal, os animes da “demografia” shounen/shoujo costumam ter gêneros até que bem similares em sua maioria. 

O problema surge quando nos deparamos com obras atípicas, que não possuem gêneros que condizem com o que é normal dentro de uma “demografia”.

As vezes temos casos como de Banana Fish, que, apesar de abordar uma história pesadíssima com tráfico de drogas e brigas de gangue, foi publicado em uma revista shoujo e, por isso, é formalmente considerado um shoujo.  

Caso não tenha visto Banana Fish, você pode ler meu review para ver que ele definitivamente não se encaixa no que a maioria das pessoas chama de “shoujo convencional”.

Nesta postagem da Cúpula do Trovão, vou apresentar as definições básicas do que são de fato “demografia” e gênero nos animes, citando exemplos clássicos do mercado.

O que é Gênero?

Quando alguém perguntar a você o que é gênero (se a pessoa que está perguntando sabe a definição do termo), é importante você entenda que, ao pedir por gênero, o fulano quer saber quais elementos narrativos e abordagens o anime vai utilizar no desenvolvimento de seu plot e de suas temáticas.

Dentro da cultura pop japonesa, existem diversos gêneros para classificar obras. Romance, suspense, terror, sci-fi, aventura, ação, slice of life… são tantos que nem vale a pena listar todos aqui.

Existem ainda os subgêneros, como: shoujo-ai, shounens-ai, esporte, espaço, superpoderes, magia, entre outros. Novamente, são muitos!

Um título pode ter muitos gêneros e subgêneros em sua composição. Entretanto, algumas obras podem ser mais complicados de serem classificadas, já que o autor acaba não conseguindo trabalhar muito bem todos aqueles que ele queria. Sai meio que tiro para todo lado, sabe? (olá, cenas estranhas de Domestic Kanojo)

Sendo assim, desde que o autor consiga trabalhar com os gêneros que ele adotou para seu trabalho, deixando claro sobre como será o rumo do plot e as tomadas de decisão dos personagens e da narrativa, as possibilidades são praticamente infinitas. 

O que é Demografia?

De cara, gostaria de deixar claro que demografia não é público-alvo.

Segundo a Wikipédia, a demografia é uma área das ciências sociais que estuda a dinâmica populacional humana. O seu objeto de estudo engloba as dimensões, estatísticas, estrutura e distribuição das diversas populações humanas.

A análise demográfica foca também nas características de toda uma sociedade ou um grupo específico, definida por critérios como a educação, a nacionalidade, a religião ou um grupo étnico, por exemplo.

Basicamente, ela serve para “medir” valores ou afinidades de um certo grupo.

Sendo assim, a demografia é o estudo define um “público-alvo”, um público que, estatisticamente falando, possui certa afinidade compartilhada entre um grupo de obras, pois os gostos deles tendem a convergir para os mesmos. Existem sites de animes e mangás que até usam demografia como sinônimo de público-alvo, na verdade.

No Japão, é de prática comum definir exatamente qual é o público-alvo de um conteúdo que será publicado ou que vai passar na televisão. 

Diferente dos gêneros e subgêneros, o público-alvo para uma obra é somente um. A soma do público-alvo e dos gêneros serve para, por exemplo, definir o horário que tal anime passará na TV, para a classificação indicativa ou em qual revista o material será publicado.

Quando o assunto são animes e mangás, os títulos costumam ser classificados em 5 principais públicos-alvo:

Kodomo

Títulos desta demografia são direcionados para crianças num geral, independente do sexo delas. Esses animes costumam ter uma abordagem mais leve e simples, de modo que qualquer ser humaninho com cérebro de ameba possa entender mais ou menos o que está acontecendo na tela ou no mangá. Bons exemplos seriam Doraemon e Hamtaro.

Doraemon, voando numa vassoura
“Nunca nem vi”

Shoujo

São títulos que tem como público-alvo garotas adolescentes. Obras dentro desta demografia costumam trabalhar romances bonitinhos e puritanos, com personagens zolhudos com muito brilho em meio a uma atmosfera simplória e com muita purpurina (eu falo isso mas eu gosto pra cacete dessa demografia rs). 

Geralmente, shoujos se passam em ambientes colegiais, mas também podem se passar num mundo de fantasia, por exemplo. Alguns animes clássicos que podem ser citados aqui seriam Ao Haru Hide, Kimi ni Todoke ou Kaichou wa Maid-sama. Dois deles inclusive eu já recomendei na primeira parte das recomendações da Cúpula voltadas para animes de romance.

Usui e Misaki, de kaichou. Anime shoujo
“Eu amo isso aqui na boa”

Josei 

Diferente do shoujo, essa demografia costuma trazer romances mais bem elaborados e bem desenvolvidos. Os traços mais realistas e situações análogas às do mundo atual, com menos aspectos fantasiosos ou puritanos. 

Seu público-alvo são as mulheres adultas, de 20 anos ou mais. Nana, Usagi Drop e Yuri!!! on Ice são exemplos legais para serem usados aqui. 

Usagi Drop, pai e filha josei
“A cara dele é muito boa”

Shounen

Com foco em atrair os garotos adolescentes, esta demografia é a que provavelmente abrange a maior parte dos desenhos japoneses.

Os animes shounen costumam conter personagens chamativos em meio à muita ação e aventura, com direito a alguns takes de romance que nunca se concretizam. Nunca entenderei o motivo, mas talvez seja para não deixar ninguém frustrado por ter sua waifu roubada. 

Títulos que contém harém abusivos com protagonistas fracassados também se enquadram por aqui, como To Love Ru e High School DxD. Vale ressaltar que só costumam ter as características antes citadas, visto que títulos como Death Note também pertencem a esta demografia. 

Os maiores megahits de todos os tempos estão dentro desta demografia, tipo Naruto, One Piece, Dragon Ball e Boku no Hero. O gênero nos animes citados são bem similares. Até clichés. Não sabe o porquê? Clique aqui para saber melhor sobre a fórmula utilizada nessas renomadas obras.

Naruto wallpaper shounen
“O famoso Narutinho da raça”

Seinen

Por último, mas não menos importante, a demografia seinen é direcionada a homens adultos (20 anos ou mais). Aqui, as obras possuem um traço mais sério e sombrio, e costumam abordar temas que não são aconselháveis a adolescentes.

Não aconselháveis talvez pelo nível de complexidade dos tópicos e diálogos ou pela abordagem violenta ou sexual que se dá presente muitas vezes. Quem sabe ainda pelo desenvolvimento maduro que é dado à narrativa e os elementos que a compõem.

One Punch Man, por ser como é, faz parecer muito que é um shounen clássico a primeira vista. Mas, se você leu meu review sobre ele, você pôde perceber o motivo dele ser seinen. Apesar de que o maior dos motivos é simplesmente porque ele é publicado em uma revista seinen rs.

Acredito que os principais exemplos dentro desta demografia seriam Berserk, Hellsing e Monster

Berserk anime seinen, Gatsu
“Uma história mais pesada que essa é dificil eim…”

Finalizando…

O que podemos dessa postagem:

  • A demografia não necessariamente define o gênero nos animes e mangás;
  • Você não deve se prender a uma só demografia, vale a pena provar um pouco de todas;
  • Explorar gêneros que você não conhece pode ser uma experiencia memorável, para bem ou para o mal.

Num geral, eu não vejo problemas em utilizar demografias como gêneros. Mas, ainda assim, eu prefiro utilizar as nomenclaturas corretas para classificação dos animes e mangás. 

Contudo, fiz esta postagem para que você entenda um pouco melhor sobre a diferença, meu querido(a) leitor(a). Use como quiser essas maravilhosas palavras, mas saiba que existe uma diferença de significado entre elas!

Só para finalizar, lista aí pra mim nos comentários 2 animes que você gosta muito, e identifique a demografia deles. E vê também se você consegue destacar o gênero nos animes que citar!

Escrito por

André Uggioni

Fundador

Vendedor | Prolixo

Criciúma - SC

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Ir para o topo