Especiais

Bokurano: a história de 15 crianças fadadas a um triste destino

10 minutos para a leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Bokurano, mangá escrito e ilustrado por Mohiro Kitoh, veio por meio de uma indicação. E é por meio de outra indicação que apresento ele a vocês. Provavelmente seja mais um daqueles mangás com uma história interessante, porém é desconhecido. Quando comecei a ler, não tinha intenção de continuar, mas a história me prendeu.

A narrativa de Bokurano é ensemble cast, que significa que todos os personagens da história possuem a mesma importância, podendo ser um grande potencial à protagonista.

Este estilo é muito interessante. Última vez que vi um trabalho com esse tipo de desenvolvimento foi no dorama Re:Mind. Sobretudo, a série está completa. Para os que gostam de acompanhar trabalhos fechados, Bokurano é uma ótima sugestão de leitura.

Neon Genesis Evangelion 2.0

Para o público que já assistiu o anime Neon Genesis Evangelion, de 1995, e já tenha lido Bokurano, talvez tenha percebido uma leva alusão à obra. Caso não tenha visto o anime, mas lido o mangá de Evangelion, também é válido. Claro que não é toda a obra de Bokurano, mas o seu começo.

Antes de adentrar de fato nos pormenores de Bokurano, o que faz com que a obra se assemelhe a Evangelion é o seu grande propósito: 15 crianças são escolhidas para pilotar um grande robô, no intuito de lutar contra seres misteriosos que desejam destruir a terra, a fim de salvá-la.

evangelion anime

Claro que possui suas peculiaridades, mas fica subentendido o drama de Evangelion. Claro que não há problema nenhum nisto, talvez tenha sido até uma inspiração do autor na hora de desenvolver seu trabalho.

Isso pode ser até mesmo um empurrão para leitores que gostaram de Evangelion, gostarem também de Bokurano, uma vez que a pegada da história é quase a mesma ou pelo menos possui uma proximidade.

As 15 crianças predestinadas ao heroísmo em Bokurano

Tudo inicia-se numa excursão à praia, onde 15 estudantes passam suas férias de verão de forma descompromissada. Como supracitei, o mangá trabalhará, de forma igualitária, as 15 crianças. Isso por que todas possuem um teor de importância para a série como um todo.

Cada uma dessas crianças possui uma maneira de pensar e de enxergar a vida. Uns são pessimistas, outros otimistas. Alguns altruístas, outros egoístas. Essa discrepância é o charme da história. Analisar como cada um deles irá se posicionar frente aos desafios é a grande questão.

crianças em bokurano

Em um determinado momento, eles notam uma caverna no meio da praia e decidem se aventurar. Mesmo sabendo que aquele lugar era perigoso e que poderiam encontrar coisas indesejáveis ainda assim foram.

Chegando lá, perceberam que havia uma luz no fim do túnel e que dava acesso para uma sala repleta de computadores, com dados e informações de alguma coisa. Logo, já era perceptível que algo estava a acontecer ali dentro. É quando um homem chamado Kokopelli surge do nada.

O misterioso homem chamado Kokopelli

Esta talvez seja a parte mais nonsense do mangá, ou talvez não, levando em conta que são apenas crianças. Ainda assim, no fundo considero uma parte ilógica de Bokurano. Quando Kokopelli surge intempestivamente, ele se apresenta e pergunta se as crianças querem jogar um jogo.

Essa é uma necessidade de suspensão de descrença, necessário para que possa haver uma relação contínua entre o leitor e a obra em questão. Pondo isto em prática, a narrativa segue, mesmo com seus problemas.

Então, sem pestanejar, todos aceitam. Acredito que isso seja uma coisa meio estranha. Entrar numa caverna abandona, descobrir que existem vários computadores dentro dela, conhecer um homem que vive ali e o mesmo propor um jogo misterioso. Ainda assim aceitar sem questionar nada?! Ok.

kokopelli bokurano

Ademais, mesmo com todo esse mistério digno de desconfiança, Kokopelli pede que os garotos “assinem” um acordo de confidencialidade ou algo similar a isto. Quando chegou a isto, eu já acreditei que seria óbvio a merda iminente que estava por vir. Mas as crianças não se tocaram de nada.

Vida que seguiu e os garotos agora estavam fazendo parte de um jogo onde eles precisavam controlar um robô e lutar contra seres alienígenas. Kokopelli deu as honras e iniciou a batalha. Após finalizar, ele simplesmente desaparece.

Waku, o primeiro garoto

Como mencionado alguns tópicos acima, são 15 ao total. Não irei dissertar sobre os outros 14, até porque as chances deste texto ficar enorme seriam muitas. Então, decide pegar o Waku como exemplo para os futuros desdobramentos da história, já que ele é o precursor das catástrofes.

Waku é um garoto que tem as características de líder da turma, o que o faz se destacar. Mas, como também comentado, nenhum ali é o protagonista exclusivo. Mas alguns ficam mais marcados na memória que outros. Waku gosta de jogar bola e sempre quis estar em ascensão.

Com esta possibilidade de salvar o mundo lutando contra seres de outro planeta, ele se viu numa posição privilegiada, porém também de grande responsabilidade. O mangá se encarrega de contar sobre o passado dele e suas motivações, coisa que sugiro que vocês mesmo façam.

waku bokurano

O mangá faz isto justamente para criarmos uma espécie de vínculo com o personagem, para quando futuros eventos acontecerem, sentirmos algo por ele. É uma jogada interessante da narrativa de Bokurano.

Resumindo, Waku então toma posse do controle do robô, com a ajuda de um ser chamado besouro do esterco, que auxilia os jovens na hora do combate. É incrível notal que, mesmo nunca tendo nenhum contato com aquilo, não somente Waku, mas todas as crianças são boas no manusear.

Após finalizar a disputa e sair vitorioso, uma terrível consequência cai sobre a vida de Waku.

O grande mistério de Bokurano

Eis então o que me fez querer continuar a leitura de Bokurano.

Não sei se neste ponto da história vocês já compreenderam o que se passa, mas caso ainda não, basicamente, todas as crianças que lutarem e concluírem seu papel, logo em seguida também serão acometidas da mesma consequência que caiu sobre a vida de Waku. Estão fadadas a isto.

Intrigante, não é mesmo?! É justamente este mistério que dar toda a imersão à Bokurano. Dificilmente se pode começar algo assim, entender a proposta e parar antes de descobrir a lógica por trás de tudo.

crianças e o robô zearth em bokurano

Quando Kokopelli encontrou-se com essas crianças pela primeira vez, ele explicou por alto do que se tratava, no entanto, o essencial ele deixou de fora, justamente por saber que eles iriam recusar a proposta. Mas a grande problemática não está nisto, mas sim no porquê dessa consequência.

Esse segue sendo o maior ponto forte de Bokurano. O intrigante e também interessante são os posicionamentos das crianças, como dito no início do texto. Após saberem disto, cada um reage de uma maneira divergente para tentar aceitar aquela realidade.

O fato é um só: todos eles vão sofrer uma terrível consequência… ou será que não?! Vai precisar ler para saber esta resposta.

Finalizando…

Por fim, Bokurano é uma obra que possui potencial e que vale a pena ser conferida. O fato de seu enredo tratar sobre um grande mistério, torna difícil desvincular de sua leitura até que se saiba toda a verdade.

No meu canal no Youtube, Meu Mundo Otaku, gravei um vídeo falando sobre este mangá. Caso tenha interesse em assisti-lo, segue abaixo:

Ademais, Bokurano é mais uma prova viva de que existem muitas obras maravilhosas neste mundo, e que ser desconhecida não significa ser ruim.

Por fim, gostou da indicação? Deixe um comentário externando sua opinião.

Escrito por

Welerson Silva

Quase Jornalista e Escritor

Youtuber | Escrita cabeçuda

Brasília - DF

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Ir para o topo