Especiais

Suspensão de Descrença: você sabe o que é, mas não sabe que sabe

14 minutos para leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

“Suspensão de Descrença” é uma expressão que já existe desde a Roma antiga, porém só foi documentada e registrada em 1817, pelo poeta e crítico inglês, Samuel Taylor Coleridge.

O termo refere-se à vontade voluntária (preste atenção no voluntária) do leitor/espectador de aceitar qualquer tipo de premissa exposta em uma obra de arte em prol do entretenimento, seja em um anime, filme, jogo, livro, etc.

Basicamente, é a sua capacidade de conseguir se divertir com o que está assistindo/lendo, mesmo que aquilo talvez não faça sentido quando comparado à lógica do mundo real. 

À fim de exemplo, é impossível você assistir um filme de ficção científica ou fantasia sem que os roteiristas brinquem com tal maravilhosa (e perigosa) ferramenta.

A “Suspensão de Descrença” é exatamente o que seu nome diz: SUSPENDER (interromper, anular, cancelar) a DESCRENÇA (oposto de crença, ceticismo, lógica).

Não saquei André. Exemplos, por favor?

Superpoderes em histórias de heróis, viagens no tempo, existência de seres mágicos (como dragões, elfos e orcs), tudo isso faz parte da Suspensão de Descrença. Isso porque se você ficasse refletindo se seria possível ou não a existência de tais seres ou fenômenos, você não conseguiria aproveitar o entretenimento que a obra quer te passar (pelo menos não em sua totalidade).

Vamos lá. Se imagine assistindo Naruto, mas em TODO SANTO EPISÓDIO você se questiona o porquê de existir “chakra” dentro das pessoas, ou se realmente seria possível existir uma raposa gigantesca de 9 caudas. Se questiona até mesmo se faz sentido o Naruto ter 3 riscos em cada bochecha desde que nasceu. Seria um porre assistir as coisas assim, né? Dou 100% de certeza que isso arruinaria sua experiência com a obra icônica do Kishimoto-san.

Na verdade, sendo chato assim, seria bem impossível você obter entretenimento ao adentrar em qualquer plot que envolvesse elementos como “ki”, “reiatsu”, “mana” ou qualquer coisa assim, porque até onde nossa ciência pode provar tais energias não existem (eu acho). 

Skypiea de One Piece
“Em One Piece, existem ilhas que voam. Isso te incomoda? Ou você releva porque não importa se é possível ou não?”

Nos jogos, a Suspensão de Descrença pode ficar bem evidente também. Quem nunca jogou God of War e se perguntou: cara, onde o Kratos guarda todas as essas armas? Não faz sentido! Mas eu ainda amo esse jogo! 

E qual a importância dela então?

A Suspensão de Descrença é a essência de toda a ficção, já que sem ela nossa capacidade de criação seria limitadíssima

Bob Esponja fazendo arco iris com as mãos
“Sua I-M-A-G-I-N-A-Ç-Ã-O não serviria para nada!”

Pensa comigo. Seria possível termos histórias como as que temos hoje em dia se todos os seres humanos fossem céticos a ponto de não conseguirem entrar na vibe da obra e “ignorar” o “impossível” de vez enquanto? Certamente que não.

Até é verdade que algumas das obras são passíveis a uma forçada adaptação para ficar dentro dos padrões realísticos. Mas cara, a maioria ia ficar uma bosta. Imagina se em Dragon Ball o os sayajins não pudessem ficar louros só na base do berro? Seria revoltante!

A Suspensão de Descrença é a essênciade toda a ficção, já que sem ela nossa capacidade de criação seria limitadíssima

Então a Suspensão de Descrença é algo foda!

Sim! Quando bem empregada, ela pode funcionar de maneira fenomenal! 

Temos alguns exemplos clássicos de animes que fizeram bastante sucesso utilizando bem a Suspensão de Descrença.

Cito Tengen Toppa Gurren Laggan, pois este talvez seja um dos animes que mais utilizam bem essa ideia de “o universo aqui funciona assim, simplesmente porque sim”. E como sabemos que foi uma Suspensão de Descrença bem utilizada? O anime não é nem um pouco difícil de “engolir”. 

Bem pelo contrário, você se envolve tanto com a qualidade narrativa, arte, personagens e plot que, no fim, você não tá nem aí se é possível robôs lutarem daquele jeito ou se a energia da espiral realmente faz sentido.

Outro exemplo que se encaixa aqui seria “Kill la Kill”. Kill la Kill É um anime é até que bem famoso onde as pessoas utilizam suas roupas para lutar. 

Num geral é um anime bem falado pela comunidade e, inclusive, tenho amigos que amam esta obra. Eles realmente curtiram maneira como a Suspensão de Descrença trabalha ali. Ou seja, meus amigos, de maneira voluntária, optaram por ignorar o que não faz sentido em prol do entretenimento. Eles sabem que é doideira, mas não ligam!

Sendo assim, existem sim animes, filmes, jogos, entre outras mídias que trabalham bem o “impossível” – e você só deve aceitar. Porque? Porque sim! E não há nada de errado nisso. Pelo menos até certo ponto…

A quebra da expressão: da comodidade ao erro

“Show de bola André, então quer dizer que eu posso simplesmente utilizar a Suspensão de Descrença para justificar qualquer coisa que eu queira dentro da minha própria história? Nunca terei problemas, moleza!”

Bom, teoricamente sim. Mas veja bem, isso não quer dizer que o público vai gostar das suas escolhas. Lembre-se: a Suspensão de Descrença é um ato voluntário. Ou seja, é preciso fazer a audiência chegar a conclusão que vale a pena abdicar da lógica pelo entretenimento.

A principal regra da Suspensão de Descrença é: os elementos narrativos criados pelo autor precisam fazer sentido dentro da lógica do universo que ele mesmo criou. Não sei se é a principal regra, mas para mim é, e como o artigo é meu, foda-se.

No caso de um mundo fantasioso onde os todos os animais falam, o que seria estranho? Provavelmente existir animais ali que não falassem, correto? 

Você lembra do Pateta e do Pluto, da Disney, tenho certeza. Ambos são cachorros. Então porque diabos o Pluto é um cachorro “de verdade”, enquanto o Pateta é praticamente um ser humano?

Claro que não vejo “problemas grandiosos” nisso, mas você entendeu onde eu queria chegar.

Pateta e Pluto, da Disney. Pateta passeando com Pluto
“KKKKKKKKK eu ri quando me dei conta disso”

Transformar o impossível em “possível” não é uma tarefa trivial. Por isso existem muitas obras de diversos tipos de mídias que possuem lógicas um pouco contraditórios (às vezes muito contraditórios, né, Avengers: Endgame-san?).

O termo Deus Ex Machina talvez seja o pai da Suspensão de Descrença mal utilizada, já que o termo é utilizado para designar qualquer elemento narrativo absurdo que seja introduzido do nada, com viés de corrigir algo que seja impossível de ser resolvido. Se quiser saber mais sobre Deus Ex Machina, leia este outro artigo meu quando terminar esse aqui.

Exemplo: o erro crítico em animes de batalha

[SPOILER DE ANIME RUIM COMEÇANDO]

Eu li Fairy Tail até o final (socorro), então posso afirmar que a maneira como eles decidem enfrentar o Acnologia (o vilão final) é simplesmente imbecil e sem nexo. Introduziram personagens novos do nada, com uma magia louca nunca antes mencionada e pimba, problema resolvido! Por favor né. 

Essa joça (Fairy Tail) tem exemplos de TUDO que você não deve fazer em um bom anime de batalhas. Principalmente se tratando força sendo tirada da bunda (que se você analisar, “tirar força da bunda” é sim um tipo de Suspensão de Descrença). 

Vou seguir com outro exemplo prático retirado do anime. No penúltimo arco é construída toda uma exaustiva narrativa para justificar a força dos vilões. Começam dizendo que o mago MAIS PODEROSO do continente no qual reside a Fairy Tail migrou para o continente vizinho, e ali no novo continente, ele acabou por ser o MAIS FRACO membro de uma ordem de 10 magos, comandados por um vilão supremo. Ou seja, tinha uma elite de magos muito picas para bater na cara do Natsu.

Pouco tempo depois, o tal continente vizinho declara guerra à Fairy Tail (sim, só contra a guilda). Você lendo pensa que só existe uma conclusão possível aqui: os mocinhos serão esmagados. É impossível contornar tal situação. Todavia, advinha o que acontece? 

Sem mais nem menos os membros da Fairy Tail conseguem, praticamente sozinhos, bater de frente contra os 10 magos super fodas do continente invasor. Além disso, a Erza sozinha derrota 2 deles se não me engano. Um seguido do outro! KKKKKK Não faz sentido!

Até onde eu me lembre, nem ocorrem mortes nesses dois ultimos arcos inteiros. Não mortes relevantes, pelo menos. Hiro Mashima, você é um FROUXO!

[FIM DA TORTURA]

Erza chorando, em Fairy Tail
“Chora não, você seu poder tirado do nada é só 1 dos 100 problemas de Fairy Tail”

Outra quebra da expressão: tratar você como um idiota

Um outro tipo clássico de Suspensão de Descrença é aquele que trata a audiência como um bando de idiotas.

Levanto novamente a principal problemática que comentei lá no meu review de Bunny Girl. Os problemas lá (em Bunny Girl) são explicados de uma maneira completamente rápida e sem nexo. Realmente não dá para entender muito bem. 

Eu tenho fortes convicções de que a ideia ali foi fazer com que você não entenda mesmo. Tudo para parecer que roteiro ou os personagens são mais inteligentes do que de fato são. Contudo, me pareceu que estão apenas encontrando soluções malucas para problemas mal explicados. 

Na obra da menina coelho o autor caiu no clássico erro da Suspensão de Descrença mal utilizada, que é: não conseguir encontrar um jeito de trabalhar a mitologia que ele mesmo criou para a história dele.

Reassistindo a série Monogatari, eu pude perceber o quão fraco e sem nexo é o misticismo de Bunny Girl.

Não me leve a mal. Eu gosto muito de Bunny Girl, só que esse ponto em específico foi o principal fator que não me permitiu dar uma nota mais alta pro anime. Reforçando: o principal fator foi a Suspensão mal utilizada.

Finalizando…    

Moral da história: Suspensão de Descrença é indispensável, porém, precisa fazer sentido.

Ainda digo mais, se “Deux Ex Machina” é o pai que foi comprar cigarro da Suspensão de Descrença, o “Poder da Amizade” é definitivamente a mãe que foi levar o isqueiro. 

Ambos tem potencial para te dar todo o amor e conforto que você precisa, mas quando mal intencionados, podem deixar um buraco na sua vida (ou no seu anime).

Personagens de Shirobako bem assustados
“~elenco de Shirobako tentando se proteger do mau uso da Suspensão~”

Concluindo, aproveita e comenta aí em baixo as Suspensões de Descrenças que mais agradam ou desagradam você.

Duvido você citar um anime mais forçado que Fairy Tail ou anime que use tão bem a suspensão como usou Tengen Toppa.

Desafio lançado!

Escrito por

André Uggioni

Fundador

Vendedor | Prolixo

Criciúma - SC

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Ir para o topo