Análise

The Tatami Galaxy é bom? Vale a pena assistir o anime? | Crítica

The Tatami Galaxy é deveras criativo, inovador e excentricamente belo
17 minutos para leitura

Yojouhan Shinwa Taikei: The Tatami Galaxy é um anime em 11 episódios, dirigido por Masaaki Yuasa, que conta uma história sobre juventude e escolhas.

Baseado em um livro de mesmo nome escrito por Tomihiko Morimi, The Tatami Galaxy é uma obra que foge dos clichês e é difícil compará-lo a qualquer outro anime.

A tradução literal do nome seria algo como “As Crônicas Mitológicas de 4½ Tatamis”, mas acredito que a tradução para o inglês (The Tatami Galaxy) seja muito apropriada e faz até mais sentido que a tradução literal (no caso do anime).

Vou dizer que The Tatami Galaxy não é exatamente a obra mais fácil de começar a assistir, portanto, para que eu possa recomendá-la, preciso primeiro perguntar a você:

Quantas silabas você consegue ler por minuto?

Indago isso, pois uma boa parte das “falas” na verdade são os pensamentos do protagonista, que ocorrem num fluxo rápido e violento. Portanto, ele é o maior exemplo de “overthinking” (pensar demais) que eu já vi.

Eu acredito que esse sentimento de confusão inicial, devido ao ritmo acelerado, é importante para o anime, porque estaremos na mente de uma pessoa complexa que está em um momento muito confuso de sua vida, não sabendo qual caminho deva seguir.

Acredite, você pega o ritmo bem rápido. Por exemplo, no segundo episódio eu já havia me acostumado e estava mais confortável.

Não é por você não conseguir ler rápido que deva abandonar esse anime, contudo, ele vai requerer um pequeno esforço inicial, porém, depois de acostumado, vale a pena.

A comédia em The Tatami Galaxy é primorosa. Diversos momentos você está com aquele sorriso no rosto causado por uma piadinha irônica ou absurda.

Ou seja, o humor é no ponto certo e apenas acrescenta a obra, como se fosse algo relaxante em meio ao frenesi de pensamentos.

Além disso, eu diria que, em maioria, o humor vai mais para o lado “inteligente”, mas faz também muitas piadas absurdas e algumas sexuais, porém sem ser algo forçado ou que destoe do tom do anime, tudo sempre parece estar no local certo.

Agora que eu já te dei uma pequena ideia sobre o que é The Tatami Galaxy, eu vou lhe apresentar as maravilhas de possuir um quarto de 4½ tatamis e as infinitas possibilidades que ele pode te proporcionar.

ATENÇÃO: Pequenos spoilers, mas apenas coisas muito básicas que não afetarão a sua experiência.

A vida fora dos 4½ tatamis

Primeiro uma observação: o protagonista da obra não possui nome, então vou chamá-lo apenas de Watashi (que significa “Eu” em japonês) para facilitar o entendimento durante a análise.

Muitas pessoas se confundem e pensam que seu nome é realmente Watashi. No entanto, como o anime inteiro é narrado pelo protagonista, isso significa que ele basicamente está falando: “Eu fiz isso. Eu senti aquilo”.

A história começa com o Watashi divagando sobre a localidade, dando informações geográficas praticamente inúteis sobre o local (algo que ele gosta de fazer bastante durante o anime) e, por fim, nos apresenta o Neko Ramen, lugar emblemático na obra.

Mestre de Tatami Galaxy na casa de Lamén sentado olhando para cima
O famoso queixadinha

Eventualmente, ele observa um homem com a cabeça em formato de berinjela sentado próximo a ele. O homem diz ser um Deus casamenteiro e que está escolhendo entre Watashi e Ozu, um amigo do protagonista, para ser o par de Akashi, uma garota que o protagonista demonstra interesse.

Em razão disso, Watashi começa a pensar em seu tempo na faculdade e suas aventuras na busca incessante (e fracassada) pela “vida universitária cor-de-rosa”.

A vida universitária cor-de-rosa

A “vida universitária cor-de-rosa” seria uma vida ideal, com uma namorada de cabelos negros, com muitos amigos e sendo admirado, por exemplo.

Essa é a premissa básica que cria toda a história do anime, a busca pela (inalcançável) vida universitária cor-de-rosa.

Desta forma, cada episódio (na maioria) mostra uma das tentativas de Watashi em alcançar o sucesso social.

Vida Cor de Rosa de Watashi em Tatami Galaxy
A tão procurada vida universitária cor-de-rosa

Sempre que falha e acredita que seu período na universidade foi desperdiçado, então, ele pede mais uma chance, assim o tempo retrocede para o momento de seu ingresso na universidade, para que ele possa falhar novamente em sua busca.

O autor faz uma mistura de “História do dia” com “Volta no tempo” que torna tanto a história quanto o desenvolvimento dos personagens muito interessantes.

Linhas temporais

Você assiste diferentes linhas do tempo, separadas pela escolha que Watashi faz ao entrar na universidade, e, embora o protagonista não lembre das outras “realidades” da mesma forma, ainda evolui como personagem.

Essas linhas do tempo sempre têm em comum algumas coisas, como por exemplo se tornar amigo de Ozu ou conhecer Akashi, assim como sempre fracassar em alcançar sua vida perfeita e idealizada.

Devido a esse formato, o espectador consegue ver diversos personagens de muitas formas diferentes, o que torna-se um trunfo na hora do desenvolvimento dos personagens, por poder vê-los nas mais diversas situações.

O quarto do protagonista com  4½ tatamis
O quarto do protagonista com 4½ tatamis

Falando de personagens e suas interações, o romance do protagonista com Akashi é muito importante para a obra, como se fosse seu foco, porém com diversas situações acontecendo junto que são tão importantes quanto para a formação da história.

Acima da estética, história e trilha sonora, o que torna Yojouhan Shinwa Taikei uma obra prima, são os personagens.

Os personagens de Tatami Galaxy

O elenco é simples, mas fantástico. Diria até que são o maior ponto forte da série, com certeza.

Yojouhan Shinwa Taikei só consegue expressar tão bem sua filosofia porque seus personagens são muito bem trabalhados e tridimensionais, eu diria até que são tetradimensionais de tão bons.

Começando pelo Watashi, nosso protagonista, já que nós vemos o mundo pelos seus olhos e preconceitos.

No começo da história, Watashi tem uma visão de mundo bem limitada. Um exemplo disso, é a visão dele sobre Ozu, que mesmo sendo um amigo que está sempre com ele, se torna um vilão e um culpado pelo estado atual da vida de Watashi.

Ele simplesmente não consegue ver a profundidade nas pessoas próximas. É como se, para ele, seus companheiros fossem quadros pintados e pendurados na parede da realidade.

Porém, por meio das diversas experiências que vive, começa a ver além dos estereótipos e idealizações de sua cabeça, enxergando-os como humanos.

Personagens de Tatami Galaxy posicionados lado a lado
Todos lindo e perfeitos s2

Citarei alguns dos personagens que considero os mais importantes para a trama do anime. Contudo, como no geral seus desenvolvimentos são spoilers, vou falar superficialmente sobre eles.

Ozu

O melhor amigo do Watashi, que é descrito por ele como se tivesse a aparência de um oni (demônio japonês), é um estudante que parece estar por trás de todos os acontecimentos.

É muito inteligente e brilhante em seus estratagemas, acima de Lelouch ou Norman, Ozu é um Deus da estratégia, embora seus objetivos não sejam muito claros para o protagonista.

Akashi

É a garota por quem Watashi tem uma queda. Ela é uma pessoa reservada, na maior parte do tempo muito séria, que consegue soltar um olhar tão frio quanto a representação da Islândia em Vinland Saga.

Ah, ela tem um medo terrível… de mariposas. Ela basicamente tem motefobia, além de trabalhar num projeto bem louco de engenharia. Embora séria, é uma pessoa muito doce (no fundo).

Higuchi

O homem que se diz ser um Deus casamenteiro no começo do anime. Na verdade, ele é apenas um estudante da faculdade que reprova na maioria das matérias e tem um estilo de vida bem suave.

Não se preocupa muito com as coisas, como objetivos e metas. Todos chamam ele de mestre, mas Watashi não entende o porquê (no começo), só conseguindo vê-lo como se fosse um vagabundo.

Hanuki

Uma estudante de ortodontia da universidade. Ela gosta muito de beber, mas não é muito boa em se controlar quando está embriagada, por isso acaba escolhendo muito bem com quem irá beber. Além de falar inglês muito bem.

Jougasaki

É um estudante que lidera o clube de filmagem da faculdade. Possui um fetiche secreto por peitos e um segredo bem interessante.

Ele antagoniza alguns episódios e, inesperadamente, é incrível como consigo amar esse personagem, mesmo com tantas falhas.

Cartomante

Uma senhora que possui uma pequena “barraca” onde ela cobra para ler o futuro. É uma personagem de alívio cômico muito boa.

Johnny

É o… libido do protagonista. Realmente muito importante eu citá-lo aqui. Assume o formato de um cowboy para falar com o protagonista – o que é simplesmente genial.

Tatami Galaxy cavalo num cercado com Jhonny
Ihaaaa!

O traço excêntrico bem animado

Esse é um aspecto complicado da obra.

Embora, em minha visão, esse seja um ponto fortíssimo, se você está acostumado com o padrão dos animes, pode acabar achando a arte feia ou estranha. É quase o que se sente ao ver Mob Psycho quando só se está acostumado com obras tipo Banana Fish.

Em Tatami Galaxy, o traço somado à animação são com certeza uma soma diferente de praticamente todos os animes que você já assistiu. Mas é incrível.

Digo isso pois as cores muito vibrantes são muito usadas. É psicodelia pura.

Acredito que seja o anime mais colorido que eu já assisti (exceto em alguns episódios mais para o final, onde ele adota uma paleta de cores diferente).

Animação louca de Tatami Galaxy
Bem vibrante e louco no ácido

A animação mistura imagens reais com desenho tradicional, usando texturas inusitadas e padrões “bem loucos”, possuindo como inspiração o período expressionista alemão (eu acredito), com cores bem exageradas e geometrias agressivas.

O objetivo disso é representar a mente do protagonista, que é certamente um lugar agitado em constante mudança, com cores representando seus sentimentos em determinados momentos e dando vida aos seus pensamentos por meio das formas.

Como eu citei antes, em Tatami Galaxy, vemos tudo pela visão do protagonista.

Mistura com realismo no anime de Tatami Galaxy com um personagem centralizado

O design de personagens foi feito por Yuusuke Nakamura, um ilustrador japonês muito conhecido por fazer as capas do Asian Kung-Fu Generation, que, por sua vez, são os responsáveis pela música da abertura do anime.

E vou dizer, o cara manda muito bem. Todos os personagens tem muita personalidade e seus designs são bem criativos, dando toda uma estética diferenciada para a animação.

Trilha sonora, abertura e encerramento

Outro ponto forte do anime é sua abertura, sendo muito bonita com uma música bem legal do AKFG. Vale assistir se estiver curioso.

Já o encerramento é todo animado como se fosse uma planta de uma casa oriental que vai se abrindo, muito bonito por sinal. Com uma música composta por Juuji Ishiwatari e Yoshinori Sunahara, junto a uma voz suave da cantora Yakushimaru Etsuko.

As trilhas compostas por Michiru Ooshima são muito bem usadas, se encaixando perfeitamente com cada situação.

Diria que as músicas têm um tema mais clássico, com notas de piano e alguns instrumentos de sopro, possuindo assim, um tom perfeito para a obra.

Infelizmente nem sempre conseguimos dar tanta atenção a elas, já que o diálogo é frenético e na primeira vez que assistimos ainda estamos correndo atrás das legendas. Mas isso com certeza não é um demérito da obra.

Finalizando…

Yojouhan Shinwa Taikei: The Tatami Galaxy é um anime sem igual, com uma arte exuberante, músicas muito bem arranjadas, personagens extremamente humanos e uma história muito criativa, fugindo dos clichês.

Para mim, ele representa tudo que a indústria dos animes deveria ser (mas infelizmente não é): criativo e inovador. Mesmo depois de 10 anos, ele continua sendo bem diferente dos padrões e bem surpreendente.

Masaaki Yuasa fez um excelente trabalho aqui. É um dos meus animes favoritos, se não for Ô favorito. Ele acabou se tornando meu diretor favorito, com sua visão “fora da caixa” e sua coragem ao contar histórias.

Existem muitos pontos que eu ainda gostaria de citar sobre a filosofia de The Tatami Galaxy, porém com o intuito de apenas apresentar a obra a você, sem dar spoilers, preferi separar essa recomendação dos meus pensamentos sobre a mensagem da obra.

Watashi + Akashi se olhando em the tatami galaxy

Eu considero uma obra de arte obrigatória para os amantes dos animes e animação em geral, mas, ao mesmo tempo, infelizmente, não acredito que todos irão gostar. Como falei antes, é tipo Mob Psycho.

A diferença é que Tatami Galaxy é doidera até na narrativa, e não só na arte. É uma dualidade complicada.

Se você gosta de coisas mais excêntricas/cults e meio experimentais, vá em frente, você vai amar o meu xodó: The Tatami Galaxy.

Afinal, a obra é criativa e inovadora, mas, acima de tudo, excentricamente bela.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Escrito por

Wesley Dagostim

Engenheiro Mecânico e Escritor

Hipster | Amante de leitura

Criciúma - SC

Entre na conversa, deixe seu comentário!

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!
Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.