Análise

Patema Inverted é bom? Vale a pena ver o filme? | Crítica

Patema Inverted vai te deixar de cabeça para baixo!
12 minutos para leitura

Patema Inverted (ou Sakasama no Patema), como desejar, foi uma grata surpresa. Digo isso porque eu não fazia ideia da existência desse filme, e encontrei enquanto rolava lista de filmes para assistir no sábado à noite.

Apesar de assistirmos muitos filmes juntos no CineCúpula lá no nosso Discord, no qual assistimos conjuntamente com apoiadores e seguidores, eu queria algo diferente para assistir sozinha.

Então, eu decidi fazer a la Helena: escolhi um título qualquer que não tinha visto ainda, nem olhei a sinopse e dei play. Arriscado? Sem dúvidas, mas às vezes pode dar certo, e foi o caso.

Inclusive, sempre acho essa uma experiência muito boa. Não ler a sinopse pode te imergir bem mais do que se soubesse tudo. Mas você já procurou esse texto, e aqui, eu vou tentar te fornecer sensações sem te entregar tudo o que Patema Inverted pretende veicular.

  • Ano: 2013
  • Diretor: Yasuhiro Yoshiura (Time of Eve, Sing a Bit of Harmony)
  • Estúdio: Studio Rikka, Purple Cow Studio Japan
  • Duração: 98 minutos

Patema Inverted tem uma primeira impressão impactante

Estrondos, barulhos de latões, pessoas vestidas em uniformes estranhos, um mundo que parece ser um tanto tecnológico: eu já estava esperando gente do subterrâneo querendo explorar o mundo exterior. Bem, é sobre isso, mas também não é.

De animes com pessoas vivendo no subterrâneo já temos MUITOS, e alguns deles trazem boas perspectivas e olhares diferenciados à narrativa. Mas eu, desavisada que fui, apesar do título, não sabia que seria tão impactante.

Patema é uma menina que mora no subterrâneo, e que, logo de início, você percebe como é curiosa e destemida. Entrando em locais que não deveria, contraria seus familiares e preocupa a todos. Em um dia, ela escorrega, e cai num abismo – que ela chama de céu.

Como assim? Bem, imagine que, em vez de ser atraído para a terra, você seja atraído para o teto da sua casa, nesse exato momento. Ou seja, é a inversão da gravidade. Em vez de haver uma força-peso direcionada ao centro da terra, ela está direcionada para fora dela.

E quando Patema acredita já não ter mais salvação, agarra-se em uma cerca, assustando Age. Ela, sendo puxada para o céu. Ele, sendo puxado para a terra. Os dois se olham, e o garoto curioso decide mantê-la por perto e escondê-la.

Você é um invertido?

É a pergunta que eles fazem o tempo todo, de todos os lados. Não leva pouco tempo para perceber que os “invertidos”, como assim são chamados, são detestados pelo governo e colocados sob rígida segurança. São, inclusive, chamados de demônios. É um plano de segregação e de execução.

Portanto, manter Patema, para Age, seria um ato suicida. Em uma sociedade no país de Aiga, na qual a vigilância é 24/7, pique BBB, você não pode faltar a aula e nem olhar para o céu. Senão, é herege.

O impacto que essa construção de mundo causa – e, inclusive, em como eles contam a origem dessa história – é muito intrigante. Evidente que não vou entregar aqui a causa disso, porque quero que você, que está lendo, assista.

Mas se posso fazer um paralelo com tudo o que aconteceu, diria que Patema Inverted é uma reconstrução do mito de Ícaro. Se você não conhece, ou se não lembra, eu te conto. Ícaro e seu pai, Dédalo, queriam muito escapar do labirinto do Minotauro, e juntos, construíram asas de cera para que pudessem voar.

Apesar disso, Dédalo alertou o seu filho para não voar muito perto do sol, ou as suas asas queimariam e derreteriam. Ícaro, no entanto, ficou extasiado e maravilhado com o poder de voar, e ficava cada vez mais próximo do sol. Suas asas derreteram… e ele caiu no Mar Egeu.

E o que essa historinha tem a ver com o filme? Bem, acho que você precisará ver. Mas o que digo é que a ganância humana constrói demônios e deuses, e que a origem de mitos e de filmes pode ser a mesma. Até onde podemos ir? O que devemos ter como ambição?

vilão de Patema Inverted
Olha os stormtroopers ali!

Patema e Age são o centro da história

E isso funciona muito bem. Do meu ponto de vista, abranger muito o núcleo de personagens pode tornar a história difícil de ser contada ou a mensagem de ser veiculada. Apesar de ter, e têm, personagens secundários, tudo gira em torno de como os dois vão colidir ou juntar aqueles mundos tão diferentes.

Suas personalidades alegres e coloridas se contrastam a um mundo cinza amedrontado, e eles buscam questionar todas as autoridades possíveis, enquanto se agarram um ao outro (literalmente).

O mais legal é que eles não hesitam: eles pulam, lutam, correm. Você nunca vai ter aquela sensação de: “pelo amor de Deus, alguém faz alguma coisa”, porque eles VÃO fazer. E esse impulso, essa energia, move tudo e torna o filme dinâmico.

Patema Inverted também tem uma direção abençoada

E eu não conhecia o homem: Yasuhiro Yoshiura, mas que trabalho incrível foi feito por aqui! Pense em quão difícil deve ser elaborar um ponto de vista ou uma perspectiva quando se tem dois mundos com gravidades diferentes; e, mais, duas pessoas que têm gravidades diferentes colidindo!

Mas as cenas se alternam perfeitamente entre os momentos mais importantes para Age e Patema, e tornam Patema Inverted uma dança incrível em que a câmera parte dos personagens ora está sobre eles, ora se inverte.

Parece que estou assistindo a uma peça de teatro na qual os cenários, as pessoas e as coisas estão em constante movimento. Por isso, tudo parece muito vivo.

São muitas as cenas em que, por exemplo, o vilão fala diretamente à câmera, conversando com você e te intimidando. Isso dá uma sensação incrível de imersão, fora a trilha sonora digníssima!

Um extra para quem viu o filme e não entendeu…

Ou até mesmo para você, que quer ver o filme. Depois que assistir, já que eu tenho certeza que você vai, volte aqui e leia. Não é exatamente um spoiler, porque sozinho fica completamente fora de contexto.

Mas ao final do filme uma carta muito importante e significativa aparece, e não é traduzida; mas por um motivo muito claro: está em hexadecimal. Precisaria ser decifrada. Então, aqui está a carta, devidamente decifrada e traduzida:

Nós estamos vivos
Fomos poupados dos efeitos da experiência anti-gravidade. 
Ainda temos de compreender plenamente a extensão da destruição. 
Mas estamos absolutamente certos de que uma determinada área não danificada ainda está inteira; ou seja, a área do lado oposto do manto da Terra. Este é o lado inverso do eixo da Terra.

Depois de nos instalarmos nessa área, avançamos com a investigação sobre a reparação de inversão da gravidade. 
Agora parece que um avanço bem sucedido pode estar fora do alcance. 
Nós colocamos nossas esperanças nas redes ainda online em cada área, e estão transmitindo este e-mail por toda a Terra. 
Para todos os destinatários: por favor imprimam o maior número possível de cópias deste e-mail. 
Então, por favor, distribuam essas cópias para o maior número possível de pessoas que você conseguir, para que assim eles também saibam da verdade. 

Estamos decididos a esperar aqui, por gerações, se necessário.
Latitude 33.3526′ N, Longitude 130.2401′ E.
Por favor, transmita isso para todas as pessoas na Terra. Nós estamos vivos. 

Mensagem incrivelmente poderosa. 

Finalizando a crítica sobre Patema Inverted

E, enfim, você pergunta: o que Patema Inverted pode me entregar que eu ainda não vi? Apesar de essa ser uma pergunta difícil de responder, eu posso te dizer com clareza: você nunca deve ter visto nenhum filme em que pessoas têm centros de gravidade diferente e andam assim:

Patema entrando no bunker afastado em patema inverted

Brincadeiras à parte, acho que Patema Inverted, apesar de toda a ficção, tem muito daquela “dose de realidade” que a gente (ou pelo menos eu) gosta de ver. Não era pra ter nada a ver com o nosso mundo, mas tem.

Toda a ganância, a tentativa de sobrevivência, a luta contra o autoritarismo, o medo do desconhecido: todos eles estão ali. Seja caindo ao céu, ou caindo ao abismo. E, por fim, nessa caixa de Pandora, os dois encontram o último elemento: a esperança. E agarram-se, ambos, juntos, a ela, como se não houvesse para onde ir.

Para mim, a mensagem é muito clara: Somos todos “invertidos“. Não sabemos onde estamos, ou aonde vamos. Mas na liberdade, e uns com os outros, podemos encontrar um novo mundo, nem ao céu e nem ao inferno. Aquele em que, longe da vigilância, podemos ser nós mesmos e unir forças completamente opostas.

E, para somar, traz uma boa dose de geografia terrestre. Saber sobre as camadas da Terra, e sobre como elas funcionam, fará diferença! Sabe aquela coisa que a gente aprendeu? Núcleo, manto, superfície? É bem por aí. Vá pensando nisso!

Patema Inverted bateu forte no meu coração à meia-noite de um fim de semana. Espero que você goste tanto quanto eu e volte aqui para comentar se você gostou também!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Escrito por

Helena Nunes

Estudante desesperada

Revisora textual | Cantora de chuveiro

Campos - RJ

Entre na conversa, deixe seu comentário!

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!
Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.