Cúpulacast
E16

E lá vamos nós: um papo sobre o tal “ecchi desnecessário”

Duração: 0h57min

No polêmico, duvidoso e sensual episódio de hoje, André Uggioni e Dudi (Lucas Souza), juntamente com os convidados Hugo Brogni e Wesley Dagostim, discutem e argumentam sobre o famoso tema que assombrou a comunidade otaku em 2019: o ecchi desnecessário.

Ecchi Elizabeth e Meliodas em Nanatsu no Taizai como exemplo clássico de Ecchi Desnecessário
Precisava?

O que é de fato ecchi desnecessário? O ecchi funciona como elemento narrativo? E até que ponto é válido? O sentimento de mudança tem que vir dos japoneses ou de nós? E no fim: deveria mesmo mudar? Por quê?

Vale lembrar que nós não temos “lugar de fala” para saber exatamente como mulheres se sentem quanto à sexualização em animes e mangás, porque, bem, nós não somos mulheres.

Acompanhe essa fervorosa discussão (provavelmente o episódio com mais discussão até hoje) ouvindo o episódio!

Participe dessa discussão agora mesmo ouvindo o cast e deixando sua opinião para gente! Você pode ouvir no Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts, Podbean e, claro, no nosso site! 

Deixe sua dúvida, sugestão ou comentário na sessão de comentários abaixo ou envie um e-mail para gente em: [email protected].

Siga a Cúpula do Trovão!

cupulacast-podcast

Além disso, não deixem também de seguir a Cúpula nas principais redes sociais!

Sobre o episódio de “ecchi desnecessário”

Neste episódio, não entraram em pauta animes como High School DxD e To LOVE-Ru, pasmem.

Desta forma, a ideia do episódio foi trilhar mais para o que o Léo Kitsune trilhou na sequência de dois vídeos sobre “ecchi desnecessário” que foi postada no extinto canal dele, Vídeo Quest.

Confira abaixo como conteúdo adicional, porque são ótimos!

Continuando…

A intenção desse episódio do CúpulaCast foi debater sobre como o ecchi dentro de animes e mangás (e afins) costuma entrar com os dois pés na cara do espectador e, por isso, muitas vezes estraga o clima de cenas onde a intenção não era (ou não deveria) nem de longe passar “tesão”.

São raras as vezes em que temos o ecchi sendo usando de maneira sábia, em momentos onde a história de fato precisava de uma cena mais “picante” para passar um sentimento correto à quem assiste.

Por exemplo, faria sentido numa cena onde temos o protagonista interrogando uma garota, cuja amiga foi assassinada, e, do nada, o enquadramento coloca uma bunda na tela, ocupando quase metade da tela?

Pois bem, é a thumbnail ali em cima, do vídeo do Kitsune. Afinal, nesse momento era para sentir tesão ou tristeza pela perda da menina? É óbvio que a cena deveria passar tristeza ou pena.

Bem, se não era nenhuma dessas a intenção, tudo que a obra nos apresenta que nos levou aquele ponto não faria sentido, afinal, os erros estariam EM TUDO, menos na bunda. O que é uma inverdade.

Em suma, esse episódio tratou muito sobre discussões em cima de exemplos como o supracitado, e também sobre como uma cultura precisa mudar de dentro para fora, e como o mercado externo influencia sim o Japão (hoje).

Participantes
 André Uggioni /
André Uggioni
 Lucas
Lucas "Dudi" Souza
 Hugo Brogni Uggioni/
Hugo Brogni Uggioni
 Wesley Dagostim /
Wesley Dagostim

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Ir para o topo