Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Gyakuten Sekai No Denchi Shoujo é um anime mecha original com uma premissa bacana. Contudo, o anime não entregou nada em três episódios. A sinopse é interessante e até mesmo o trailer não foi ruim, mas esse anime caiu para mim no sorteio da Cúpula, então assisti por livre e espontânea pressão!

Eu estava esperando muita coisa do anime por ser um mecha, com base na minha experiência assistindo Gurren Lagan e Kuromukuro (duas obras que gostei muito!). Então, já que minhas expectativas estavam muito altas, o anime me decepcionou por diversos motivos.

Infelizmente, em todos os três episódios alguns pontos me incomodaram bastante e eu vou te explicar com mais detalhes cada um deles nesse texto.

Imagem de poster promocional de Gyakuten Sekai No Denchi Shoujo
  • Gênero: Ação, Sci-Fi, Mecha
  • Estúdio: Lerche (Anstasu Kyoushitsu, Kuzu no Honkai, Given, Asobi Asobase)
  • Material: Original
  • Onde assistir: Funimation
  • Novos episódios: Segunda

A história é sobre o quê?

Pois é, nem eu sei mais. Existe uma mistura temporal no anime, entre flashbacks de acontecimentos do passado, contar um ponto atual da história e explicar o contexto desse ponto. Mas, não acho que isso foi feito de uma forma positiva, pois eu fiquei bastante confusa durante os episódios. Por isso, não consigo nem explicar direito.

Através da sinopse, você espera que exista uma boa história por trás daquele contexto (de uma realidade alternativa que acontece no Japão). Contudo, logo de cara você recebe confusão em forma de mistura temporal e personagens que não foram carismáticos.

Imagem de Hosomichi dentro do mecha com utilização de sistema de realidade virtual

A história retrata a paixão do personagem principal, Hosomichi, por um anime específico que, porém, finge não ligar para nada. De uma forma perdida, ele se vê no meio de uma briga entre o governo atual e os rebeldes, sendo salvo por um mecha super diferente.

Contudo, acaba não tendo muita coisa para falar desse anime, pois eu apenas ri em alguns momentos e fiquei sem entender quase tudo.

Essa obra não foi uma que mexeu comigo, que me fez sentir algo a ponto de querer continuar assistindo e entender onde essa história vai chegar. Por isso, ela pode ser boa para você mesmo que eu não tenha gostado.

Faltou carisma nos personagens?!

Gyakuten Sekai No Denchi Shoujo Rin

O anime tem uma maneira muito peculiar de contar sua história e não revela muita coisa além da “guerra” entre o governo e os rebeldes. Sendo que o anime e os mechas são protagonizados por meninas!

Por isso, até achei que poderia ser algo muito interessante, mas não fizeram isso direito. Fica aí no ar o questionamento se não teria sido diferente se a protagonização fosse de personagens masculinos…

Em sintonia, os personagens principais parecem viver em seu próprio mundo, mas de forma compartilhada. Eles são fãs do mesmo anime, sendo que isso é o maior motivo de conexão e vínculo que eles formam e o que dá energia para o mecha funcionar.

Porém, eu simpatizei muito mais com a Rin do que com o Hosomichi e não entendi nada dos outros personagens além de eles serem engraçadinhos. Na verdade, me senti bastante frustrada com o anime, pois esperava que ele pudesse me representar de alguma forma enquanto mulher, o que não aconteceu.

A impressão que passa e fica é a de que por ser um anime mecha no qual as meninas são as protagonistas da trama, fizeram de uma forma onde elas são e não são o principal ao mesmo tempo. Além de ainda não ter nada com uma pegada séria e uma história bem contada.

Imagem de Rin como a bateria do mecha e Hosomichi a olhando de forma desconfiada

Gurren Lagan e Kuromukuro versus Gyakuten Sekai no Denchi Shoujo: porque uns são bons e o outro é ruim?

Pois existe história.

Sim, é isso mesmo. Apesar de não saber se Gyakuten Sekai No Denchi Shoujo vai entregar mais de sua história nos próximos episódios, como no caso de Gurren Lagan que te prende de verdade a partir do 6-8 episódio. Porém, existe uma confusão grande nos primeiros episódios de Gyakuten que não existe nessas outras duas obras.

Em Kuromukuro, meu primeiro mecha, logo de cara te envolve nos mistérios da história e isso dá vontade de continuar assistindo. Além disso, fizeram um trabalho excelente na mistura dos momentos divertidos e sérios em toda a narrativa.

Por isso, Gyakuten não me agradou e não prendeu minha atenção para continuar assistindo. Ele não instiga tanto a curiosidade de entender o contexto da história, até porque parece ficar muito mais no âmbito da comédia – outro ponto não necessariamente negativo, mas que não está descrito no gênero e isso te pega de surpresa também.

Finalizando minhas primeiras impressões sobre Gyakuten Sekai No Denchi Shoujo

Imagem de Rin e Hosomichi dentro do mecha durante batalha em cores neon

Gyakuten Sekai no Denchi Shoujo é chatinho, mas dá para assistir (ou não). Embora tenha todos os problemas que comentei (história perdida, mistura temporal mal feita, personagens sem sal…), Gyakuten é um anime que dá para assistir. É daqueles animes para passar o tempo e dar uma risadinha uma hora ou outra durante o episódio.

Imagem de Rin com olhar sério e sorriso no rosto

Inclusive, em termos técnicos, a animação e a trilha sonora são bastante agradáveis. São elementos coerentes com a história e o que está acontecendo, mesmo que exista momentos cômicos exagerados. Ou, talvez, eu que tenha esperado muita história de um anime onde a proposta não era essa.

Do meu ponto de vista, vindo de altas expectativas com base em Gurren Lagan e Kuromukuro, não senti muita coisa além de frustração e a vontade de não continuar assistindo o anime.

O anime tem alguns momentos divertidos aqui e ali, mas na maior parte ele fica bem perdido e não tem tanta graça, não me prendeu em nenhum aspecto para continuar assistindo toda semana.

Ou seja, pode ser um bom anime para assistir por maratona e quando você quiser passar o tempo, pois ele é assistível apesar de eu achar ruim em comparação a outros que gosto no quesito de história e carisma dos personagens.

Agora, me conta nos comentários o que você achou desse anime e se você concorda comigo?

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Escrito por

Amanda Franco

Psicóloga

Escritora | Resenhista

São Paulo - SP

Entre na conversa, deixe seu comentário!​

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.