Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Quando descobri que faria a RegraDe3 dessa série e li sua sinopse, acreditei que uma bomba havia caído em meus braços. E agora, pensei, será que arremesso ela longe ou tento descobrir se ela é realmente perigosa, talvez sendo até mesmo letal. Não houve escolha. Alguém tinha que escrever essas primeiras impressões de Hige wo Soru. Soshite Joshikousei wo Hirou, e esse seria eu.

Será esse um rojão ou uma bomba atômica?

banner hige wo soru
  • Gênero: Drama, Romance
  • Estúdio: Project No.9 (Netoge no Yome, Jaku-Chara Tomozaki-kun)
  • Material: Light Novel
  • Episódios: 13
  • Novos episódios: Segunda
  • Página do anime na Cúpula e no MAL

Uma premissa perigosa

Acredito que uma colegial se oferecendo para um homem adulto em troca de moradia seja uma das coisas mais difíceis de se escrever sem fazer merda.

Não vou condenar o anime devido a essa premissa, contudo isso já indica que o tema tem que ser tratado com o maior respeito possível, considerando uma menor de idade em uma situação vulnerável e um adulto assalariado. Mas ainda assim, acreditava que ia ser um drama pesado, cheio de momentos tensos…

Imagine por si mesmo: cenas de uma jovem de 16 anos em que sua calcinha aparece, seus peitos ficam a mostra e ela é sexualizada. Agora, imagine se isso fosse transmitido na televisão, numa novela qualquer. O céu cairia sobre a emissora, seria uma das maiores polémicas mesmo nesse ano conturbado.

Mas daí você pode me dizer: “Ah, mas eles não vão sexualizar uma menor de idade num anime, né?”

A resposta parece óbvia, infelizmente

Claro que sim!

garota se insinuando em hige wo soru
“Ei, você tem certeza que não quer transar comigo” – Uma frase muito profunda.

É uma das minhas maiores tristezas relacionadas ao mundo dos animes e mangás. A maior delas é as pessoas não perceberem o quanto isso é problemático.

O anime não tem o mínimo pudor em mostrar cenas dos peitos da garota (mesmo que não apareça completamente) e da sua calcinha, mesmo em momentos onde o que deveria ser focado no suposto drama.

Assim como Nanatsu no Taizai, o anime não tem o menor remorso em transformar 80% da tela na bunda da personagem enquanto ela faz um suposto desabafo falando de como se sentia útil transando com pessoas em troca de um teto para morar.

minha reação ao ver as cenas
Citação minha vendo as cenas.

O anime não consegue passar a mensagem que teoricamente está tentando passar.

Mostra ela com uma cara de como se estivesse morta enquanto está sendo estuprada, deixando explicito que essa é uma cena para causar impacto negativo ao espectador, mas ainda mostra o cara pegando no peito dela com todos os pixels, numa posição sexualizada.

Mas enfim, não só disso se trata Hige Wo Soru

Como quis passar logo a esse assunto que estava tanto me incomodando, ainda não consegui falar da história em si do anime.

Nesse quesito, Hige Wo Soru é mediano, tendendo para baixo.

Tudo começa com o protagonista Yoshida levando um fora de uma colega de trabalho de que ele tinha interesse a 5 anos. Ele faz o que todo ser humano faz depois de levar um toco: bebe até cair. No caminho para casa, ele encontra Ogiwara, uma colegial que não tem aonde dormir.

Como um bom samaritano (depois de ver a calcinha da garota…), ele oferece sua casa para que ela possa dormir. E ela, oferece seu corpo como pagamento, que ele recusa e então pede para ela fazer uma sopa para ele. No fim, eles concordam que ela continue morando lá, ela só precisa fazer os afazeres domésticos e não se insinuar mais para ele.

colegial mostrando os peitos
Não consigo nem legendar isso… meio revoltante

Tudo bem até aí, se eles tivessem tratado isso com mais seriedade, mas é claro que não fizeram isso. Todo momento é um bom momento para mostrar os peitos, bunda e calcinha da personagem.

Sem falar que o protagonista está a todo momento se vangloriando por não se deitar com uma colegial, e ela fica se oferecendo a todo momento para ele. O pensamento dos personagens não faz nenhum sentido na maior parte do tempo.

Eu tinha alguma esperança que seria um drama mais pesado, alguma coisa com mais consequências e uma história séria, entretanto, você não vai encontrar isso aqui. Piadinhas sexuais e uma trama mais leve, algo que não combina pelo quê a personagem passou.

Não faz sentido

Quando o Yoshida explica o porquê de ele não ter dormido com a garota você espera “Não sou um pedófilo”, “Não ficaria com alguém em uma condição de desvantagem”, “Não acho correto essa situação”, mas então ele te manda a maior frase: “Não transo com você porque não te amo”.

facepalm
FACEPALM.

Sem comentários.

Todas as personagens só comentam como o Yoshida é essa pessoa super gentil, por fazer coisas super comuns. Parece que o escritor estava se idealizando no protagonista e queria se vangloriar. Aliás, ele é claramente o Kirito com 30 anos de idade, não tem nem como negar.

No final disso tudo, o anime parece algo feito para homens adultos que não tem sucesso com mulheres e são fãs de anime se identificarem com um personagem que é tão “injustiçado”.

Finalizando as minhas primeiras impressões de Hige wo Soru

Dispensável e um pouco ofensivo.

Não tão ofensivo quanto eu pensaria a primeira vista. Acredito que tem coisa muito pior por aí, o que não faz com que esse seja mais aceitável.

O que mais me preocupa sobre Hige wo Soru é para onde ele está indo e não aonde ele está no momento. Acredito que vai ficar implícito no final que tá tudo bem ficar com uma colegial sendo um cara de 30 anos, se você ama-la, o que é, no mínimo, problemático.

Mas claro, posso (e espero) estar errado.

Enfim, as relações entre os personagens são super estranhas, mas o anime em si, tirando algumas cenas, é bem “assístivel”. Não tem nada explícito demais. Só que acredito que essa é uma péssima influência para a maioria dos fãs de anime e recomendaria sequer gastar seu tempo.

Ele pode se esconder sobre passar algum ideal mais nobre, mas fica bem claro o que estão fazendo aqui.

Escrito por

Wesley Dagostim

Engenheiro Mecânico e Escritor

Hipster | Amante de leitura

Criciúma - SC

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.
Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!