Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Kanojo mo Kanojo é MAIS um título com “Kanojo” que vai fazer você perder completamente o seu tempo! Aos que dizem por aí que é engraçado: se for mesmo, só é porque é inteiramente ruim. Não tenho o que falar de bom, e, se pudesse, nem teria assistido. Mas como a gente não escolhe que filho vai ter, nem a Regrade3 que vai pegar, aqui estou eu.

Essa obra vinda das profundezas do saco de péssimas ideias de um ser humano com cinco neurônios a menos é uma cagada de pombo na cabeça de qualquer um que já não aguenta mais anime com harém. Vou te atualizar sobre o que é, mas deixa rolar a ficha técnica primeiro.

saki saki kanojo mo kanojo
  • Gênero: Harém, Comédia, Romance, Escolar
  • Estúdio: Tezuka Productions
  • Material: Mangá
  • Episódios: 12
  • Novos episódios: Sábados
  • Página do anime na Cúpula e no MAL

Sinopse desciclopédica

Um menino do colegial chamado Naoya namora uma menina do colegial de cabelos ruivos chamada Saki Saki. Uma segunda menina, chamada Nagisa, se declara para Naoya e diz que quer namorá-lo. E o que o espertão faz? Pega as mãos de Nagisa e resolve pedir a Saki Saki para rolar um relacionamento a três. É isso tudo, e até aí tudo bem!

trio kanojo mo kanojo

Não, não tá tudo bem! E não é porque é um relacionamento a três (eu não tenho nada contra pessoas que decidam por si o caminho poligâmico), mas porque é completamente artificial! Não temos nenhum tipo de background de como começou o namoro entre Naoya e Saki Saki, então não fazemos nenhuma ideia de quem são ou de onde vieram.

Além disso, quando Nagisa o pede em namoro, ele nem pensa demais em pedir à sua namorada, mesmo não fazendo A MAIS REMOTA IDEIA de quem era a Nagisa até cinco minutos atrás! Ele simplesmente a acha bonita, e decide que vai namorá-la. É isso! (Vale ressaltar que há pouco havia dito à sua namorada que jamais a trairia. Bem, não traiu. Só sugeriu um relacionamento forçado que ela não tinha a menor intenção de entrar).

É uma ideia completamente distorcida e subversiva de como relacionamentos poligâmicos funcionam, e só vai ser engraçada se você desligar o seu cérebro ou decidir torrá-lo por cinco minutos no microondas.

As interações em Kanojo mo Kanojo

Eu comentei antes sobre como todos os títulos com “Kanojo” causam repulsa quase imediata em todo mundo que está saturadíssimo com animes de harém.

Mas, sinceramente, não tenho tanta repulsa a Kanojo, Okarishimasu, por exemplo. As heroínas são lindas, muito bem desenhadas e cheias de personalidade! Todas têm uma história e um motivo de estarem fazendo o que fazem. O anime não força interações completamente sem graça e nem as transforma em personagens caricaturadas. Não estou dizendo que é perfeito (bem longe disso), mas é muito mais orgânico enquanto gênero harém do que Kanojo mo Kanojo.

Naoya conhece Nagisa, os três decidem que irão namorar, e, de repente, ele sugere: VAMOS MORAR JUNTOS! Cara, o que é isso? Se conheceram ontem! E, como já esperado do teor, nenhuma consequência para ninguém. Nenhuma mãe chateada, nenhum aproveitamento de tensão para se utilizar de comédia…

As cenas que deveriam ser utilizadas como atributo comediante são, na verdade, sem graça demais. As situações são completamente superficiais e as personagens não passam nem perto de como pessoas de verdade agiriam. Sem contar que, para um relacionamento a três, os três deveriam concordar, coisa que também não acontece. A Saki Saki, na verdade, fica o tempo inteiro insegura e incerta sobre o relacionamento, bem como a Nagisa.

E ainda têm mais duas meninas na capa do anime, o que significa que temos mais duas para se sentirem completamente inseguras, caso entrem nesse relacionamento completamente inorgânico e irreal. Ótimo exemplo de relacionamento!

Breve comentário sobre os aspectos técnicos

Nesse ponto, também não vemos nada que brilhe. Apesar de ter certo potencial com relação ao design dos personagens, preferiram não se arriscar e deixar tudo um pouco mais simples. A animação é bem mediana, e, se posso falar que tem alguma coisa de bom, essa coisa é a opening. Ela é bem divertida, e poderia ser o prenúncio de um bom episódio (se fosse o caso).

Vale também ressaltar que a trilha sonora dos episódios é ridícula, pois nunca bate com a cena. Uns sons tristes quando a cena tenta ser engraçada, sons exageradamente dramáticos quando não tem drama nenhum rolando… Fail total. De dar dor no ouvido.

Finalizando as primeiras impressões

Em suma, o que eu gostaria de dizer é: Kanojo mo Kanojo é uma perfeita fórmula de como NÃO começar um relacionamento. E, claro, de como NÃO começar um bom roteiro. Com todas as dificuldades que existem em se fazer um anime que apresente um bom harém, tenho consciência de que se torna mais dificultoso ver algo do gênero. Mas se você gosta, recomendo que procure alguns que humanizem as personagens e que tenham um enredo mais trabalhado e verossimilhante.

E, claro, vale sempre ressaltar que essa é a minha opinião, de maneira crítica. Quantos não são os bons animes com triângulos amorosos que temos por aí? Caso você queira um que tenha harém e seja melhor, Masamune-kun no Revenge seria uma boa. Então, sendo esta uma análise de primeiras impressões, recomendo que você não veja Kanojo mo Kanojo e parta para algo legal de verdade. Eu nem sou de largar animes, mas esse aqui eu largarei com gosto.

Escrito por

Helena Nunes

Estudante desesperada

Revisora textual | Cantora de chuveiro

Campos - RJ

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.
Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!