Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Platinum End é um manga e anime dos mesmos criadores de Death Note e apenas isso já é o suficiente para chamar a atenção da maioria das pessoas. Comigo não foi diferente, porém eu acabei não lendo (preguiça) e agora, que saiu uma adaptação para anime, eu não poderia perder essa chance.

Death Note, da dupla Takeshi Obata e Tsugumi Ohba, foi um dos primeiros animes que assisti. Assim, Platinum End já vem cheio que expectativas e incertezas. O que eu quero dizer é: Death Note é muito bom (indiscutivelmente na sua primeira metade) e Bakuman é muito bom, entretanto inesperado, pensando que são os mesmos autores. Então, pensando nisso, o que vem por ai? Tem a mesma qualidade que os autores sempre trouxeram?

Para contextualizar, eu não fazia ideia sobre o que se tratava essa obra. Fui completamente cego e puro, um quadro em branco de opiniões que precisava ser pintado. Então, estou aqui para mostrar à vocês as cores que eu vi.

banner platinum end
  • Gênero: Drama, Psicolófico, Sobrenatural
  • Estúdio: Signal.MD (Net-juu no Susume, Mars Red)
  • Material: Mangá
  • Onde assistir: Crunchyroll
  • Novos episódios: Sexta-feira

Platinum End? Que tipo de Death note é esse?

Platinum End conta a história de um garoto órfão, Mirai Kakehashi (futuro em Japonês, né Light), que estava prestes a cometer suicídio, porém acaba sendo salvo pela anjo Nasse assim que pula do prédio. Nasse chega dizendo para ele não se matar, que ela vai lhe ajudar dando liberdade e amor (já escutei isso de uma ex-namorada).

Então, ela entrega ao Mirai dois poderes: Asas de Anjo e a Flecha do Cúpido. Aproveitando, ele já dá um passeio por aí, como se tivesse testando a moto que ganhou na rifa, e então a anjo fala: “Sabe teu tio e tua tia, que “cuidam” de você? São mó piranha, mataram teus pais, de lei, true da true” e ele fica passado (embora seja futuro).

Essa é a premissa básica, se você tem interesse em assistir mas não gosta nem dos menores spoilers (como eu), pode ir na fé, acho que esse é um anime que vale a pena, pelo menos esses 3 primeiros episódios. Mas se você não se importa tanto, fica comigo, puxa a cadeira gamer aí, nem vai demorar tanto.

mirai flecha do cúpido
“É agora que vou para o Diamante”

O jogo de Deus

Pense em Mirai Nikki: jogadores se enfrentam para decidir quem vai se tornar Deus. Agora, adivinhe qual é o verdadeiro enredo de Platinum End? Treze anjos ganham permissão de escolher um “jogador”, eles só precisam se sentir bem infelizes com a vida… e serem japoneses, é claro, mas tem uma explicação até ok. Eles ganham alguns poderes e em 999 dias será decido quem será Deus, não é dito como.

A originalidade já foi pro espaço. E aliás, essa é a premissa real do anime, eles podem só esperar e aproveitar… ou se matarem num tipo de battle royale pelo mundo. Escolha óbvia.

Falando de originalidade, os anjos tem a mesma ideia que os shinigamis (Deuses da Morte). Eles chegam, dão os poderes e ficam de animal de estimação para os seus jogadores, e aliás, só dando ideia errada.

Queria deixar aqui um leve comentário: Não aprovo o design da Nasse. É meio sexualizado, nada muito gritante, nem muito revoltante. Abaixo do padrão de sexualização para animes, mas fica aí para não esquecer.

Mirai e a anjo Nasse
“Perdi minha Série de Promoção”

Começando pelo futuro (entendeu? ein?)

Mirai é o personagem que menos gosto, pelo menos por enquanto, tomara que seu desenvolvimento seja bom. Nesses três primeiros episódios, ele é muito inconsistente e não muito realista, eu sei que depressão e a vida péssima que ele teve sejam realmente grandes pesos pra ele, mas eu sinto que ele não age de maneira natural mediante as situações.

Primeiro ele se nega a viver; tudo bem, compreensível, mas depois ele tira uns motivações meio estranhas, o jeito que ele transita entre quero ser feliz e quero morrer não é muito orgânico e convincente. Eles também usam aquela velha tática do: se outro personagem disse que ele é inteligente, ele deve ser, o que não faz muito sentido aqui.

mirai na escola
“Finalmente alcancei o Diamante”

Só tenho que acrescentar que ele querer uma vida simples é bem interessante e eu achei legal, mas ele é meio indeciso sobre o que ele quer e fica cometendo o mesmo erro do Light. Eu já explico isso.

A vibe que Platinum End passsa…

É meio estranho. Eu sinto como se estivesse vendo um anime que se inspirou fortemente em Death Note, mas que não é tão bem escrito, e não é Death Note.

É tipo ver uma fanfic razoável, mas que não deixa de ser uma fanfic. Mesmo sentimento de ler um daqueles milhares de manhwas com uma temática ultra parecida com Solo Leveling, mas que não são Solo Leveling.

A premissa é original o suficiente para te interessar, mas tem pontos estranhos no roteiro e coisas meio convenientes, como por exemplo quando ele fica 33 dias em um lugar com uma pessoa e parece que eles não interagiram, sendo que tiveram um mês inteiro para isso.

mirai surpreso
“Só tem troll nessa desgraça”

Outra coisa é a Nasse esquecer de informar algumas informações super importantes, somente para ela falar quando é mais conveniente e trazer uma surpresa forçada. E finalmente, ele poderia só viver a vida dele por 999 dias, mas ele decide tomar uma ação, só para gerar conflito, assim como o Light faz ao matar o L falso em Death Note.

Com algumas precauções, ele poderia só ser feliz, mas entendo que a trama não progrediria assim.

Finalizando as primeiras impressões de Platinum End

Embora eu tenha falado mais mal do que bem, é porque não tem nada que eu consiga precisamente apontar de muito bom, mas isso não significa que ele seja um anime ruim. Ele é competente no que faz, mas não é exatamente nenhum divisor de águas e tem alguns furos difíceis de perdoar.

A abertura é excepcional, a trilha sonora é boa, a animação é legal, o design dos anjos é bem diferente, a premissa é interessante. É isso que eu consigo citar.

Aliás, a premissa pode ser interessante, mas o enredo é bem mediano. Achei ele um tanto clichê e um pouco bobo, algo que não esperava. Acredito que as expectativas que botamos nesse anime, por causa de seus autores, é o que causa esse estranhamento quando não encontramos algo incrível na tela.

Esses três episódios valeram a pena meu tempo e me deixaram com curiosidade sobre o que está por vir. Vamos ver se o enredo é melhor trabalhado daqui pra frente e se os personagens vão ser bem desenvolvidos.

Platinum End ainda pode ser um dos melhores da temporada.

começo mirai platinum end
“Caí do Diamante, terminarei no Platina” – Platinum End
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Escrito por

Wesley Dagostim

Engenheiro Mecânico e Escritor

Hipster | Amante de leitura

Criciúma - SC

Entre na conversa, deixe seu comentário!​

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!
Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.