Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Shaman King (2021) é um dos animes que nós da Cúpula do Trovão escolhemos para ser a Escolha Trovejante da temporada, mas será que acertamos?

Pela segunda vez consecutiva eu fui o sorteado para fazer a RegraDe3 de um anime que está recebendo um remake. Devo dizer que gosto dos clássicos e sinto saudades quando falam de um anime que fez parte da minha infância.

Inegavelmente, Shaman King fez muito sucesso no começo dos anos 2000 aqui no Brasil e provavelmente no mundo. Porém, a adaptação em anime que tivemos não teve um final conclusivo deixando os fãs na expectativa de um dia o anime ser retomado.

Eis que chegamos em 2021 e temos esse remake que talvez seja aquilo que todo o fã de Shaman King queria? Um anime bem animado, repleto de ação e com uma história sólida capaz de rivalizar com os grandes shounens da atual geração?

Só que não…

Protagonistas de Shaman King 2021 em um momento de relaxamento, sentados na grama
  • Gênero: Ação, Aventura, Comédia, Sobrenatural, Shounen
  • Estúdio: Bridge
  • Material: Mangá
  • Episódios: 52
  • Novos episódios: Domingo
  • Página do anime (na Cúpula) (no MAL)

Sinopse

A série conta a história de Yoh Asakura, um garoto xamã que treina para desenvolver suas habilidades a fim de ganhar o Torneio Xamã e se tornar o Rei Xamã.

A abertura já reflete bem o que está sendo o começo de Shaman King (2021). Apática, chata e sem sal.

É bem dificil falar de um anime que já agradou muitas pessoas e que provavelmente ainda irá agradar alguns, mas inegavelmente, essa versão deixa muito a desejar e eu vou esclarecer o porquê.

Remake, remaster e reboot

Vamos começar esse texto explicando alguns conceitos:

  • Remake: Nada mais é do que refazer. No caso de um anime, partir do zero e fazer algo novo, porém mantendo fiel ao original;
  • Remaster: É você pegar algo antigo, e dar uma melhorada na qualidade, o deixando mais “palatável” para os dias de hoje, um exemplo de remaster é o primeiro Gundam;
  • Reboot: É pegar uma franquia que já existe, começar ela do zero, mas com uma cara totalmente nova, pegando basicamente apenas o conceito da ideia/universo.

Com isso em mente, agora vamos para o caso do Shaman King (2021), um remake. Agora vamos fazer um exercício. Qual a necessidade do remake de um clássico para o ano de 2021?

  • Atrair uma nova geração de fãs e fazer mais dinheiro?
  • Fazer mais dinheiro?
  • Reconquistar fãs antigos que agora tem poder aquisitivo e podem gastar mais dinheiro?

Acho que todas essas questões são válidas e devem ser consideradas na hora de fazer um remake. Porém, será que a produção de Shaman King (2021) realmente se preocupou com isso?

Assistindo aos três primeiros episódios eu posso afirmar que não! Eles podem até ter pensado nessas questões, mas eles tentaram atingir esses objetivos da maneira mais barata e fácil possível.

A animação de Shaman King (2021) e sua história

Esse texto está cheio de perguntas retóricas…mas qual a necessidade de fazer o remake de um anime se ele vai ter uma qualidade duvidosa?

A animação de Shaman King (2021) não está ruim, porém está bem “ok” para um anime que já existe uma versão que é antiga, mas nem tanto assim (Comparando, é do ano de Naruto).

Com essa nova onda de super produção dos shounens que está vindo cada vez mais forte, como Jujutsu Kaisen, Demon Slayer e até mesmo Boku no Hero, como Shaman King vai competir nesse mercado com uma animação patifaria?

Outro ponto crucial nessa equação está na história. Ao fazer um remake, deve ser considerado o mundo em que vivemos hoje. Os anos 2000 foram os anos 2000, porém estamos em 2021, ou seja, quem tinha seus 10/15 anos, hoje tem seus 30/35 anos.

Ai a pergunta que fica é: Essa faixa etária adulta vai querer ver um anime no qual um dos protagonistas tem 47cm de altura, cabeçudo e a história é super bobinha?

Amidamaru, Yoh e Manta

Eu com certeza não vou querer, tem animes melhores saindo. Porque se for para ver algo assim, eu vejo a versão dos anos 2000. Refazer algo, e manter tudo igual, é besteira.

O desafio seria fazer algo que agrade tanto as crianças quanto os adultos, o que provavelmente não está acontecendo aqui.

Quem faz esse tipo de animação muito bem é a Disney e a Pixar, que conseguem sempre cativar ambos os públicos.

Mas enfim, vamos falar de outros pontos pertinentes ao anime em si.

Shaman “Max Steel” King modo turbo

Sinceramente, eu não lembro muito sobre como era a versão dos anos 2000 de Shaman King, porém, inegavelmente Shaman King (2021) está com o pé no acelerador.

Tudo acontece muito rápido e sem peso. A gente consegue entender as emoções envolvidas naquilo que está acontecendo, mas não conseguimos senti-las.

Tudo é explicado de maneira rápida, apressada e expositiva. As lutas não têm emoção, não há como se importar com os personagens, porque ninguém foi desenvolvido de maneira decente.

Olha, resumindo, o ritmo do anime está péssimo.

Eu até entendo que talvez eles estejam fazendo isso para acelerar a história e chegar em um ponto mais interessante, mas acredito que tenha maneira melhores de se fazer isso. Resumir/cortar, ao em vez de adaptar, acaba deixando algo importantíssimo de lado que é a empatia.

Basta pegar o anime The God Of High School, lindíssimo, bem animado, lutas super bem coreografadas e vazio…O fato é que foi tudo tão corrido, que não nos apegamos nenhum personagem, podemos até entender os motivos, mas não nos colocamos no lugar dele, pois não criamos a empatia.

Capa-Cupula-cast-38-The-God-of-High-School-o-anime-brisa-de-verão

Ou seja, Shaman King falha com uma animação medíocre e falha com uma história igualmente medíocre e apressada.

Começou muito bem para quem quer emplacar 50 episódios.

Tem algo que salva em Shaman King (2021)

De fato, essa é uma pergunta que não tenho resposta, porém, assim como em Dragon Quest, talvez Shaman King (2021) seja uma boa opção para os adultos assistirem com seu filho de 6/8 anos de idade.

Inegavelmente Shaman King tem uma “lore” bacana, existem valores ali que são legais. Mas, estamos em 2021, bem que poderia ter sido emulado de uma maneira mais palatável para nós, adultos.

O Amidamuru, tem uma presença em tela, um samurai honrado e destemido. De fato, a gente quer ver ele usando seus poderes e isso é muito nostálgico. Mas, quem vive de passado é museu.

Amidamaru incorporando o Yoh, Shaman King (2021)

Enfim, mais um vez, igualmente à última sessão desse artigo, termino me lamentando por não ser melhor.

Finalizando…

A principio, Shaman King (2021) tinha tudo para ser um anime de sucesso e vender mais alguns milhares de mangás pelo mundo.

Entretanto, sua produção e seus idealizadores escolheram um caminho mais “safe“, apostando na pseudonostalgia que o público sente e fizeram algo medíocre.

No entanto, vamos torcer para o melhor (se é que isso é possível) e esperar que seja só um problema inicial.

Porém, não sou eu quem vou ficar assistindo para confirmar se isso irá se concretizar ou não. Como disse anteriormente, tenho animes melhores para assistir.

Mas e aí? Peguei pesado com esse RegraDe3 ou é bem por aí mesmo? Deixa aí nos comentários o que você achou desses três episódios de Shaman King (2021)

Escrito por

Pedro Bernardes

Profissional de Educação Física

Cult | Atleta | Leitor compulsivo

Belo Horizonte - MG

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!
Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.