🔥
Faça como milhares de Otakus, ouça nosso podcast sobre animes e mangás.
Toque aqui para acessar o canal do YouTube!
Análise

The Girl I Like Forgot Her Glasses | Primeiras impressões

The Girl I Like Forgot Her Glasses é um replay da mesma piada até então

Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

8 minutos para leitura

The Girl I Like Forgot Her Glasses (Suki na Ko ga Megane wo Wasureta) é um dos projetos ambiciosos do estúdio GoHands, que, até então, não tinha ganhado tanta atenção. O estúdio entrou no radar dos produtores de conteúdo com o polêmico primeiro episódio (e não posso deixar de falar dele).

Contudo, meu maior foco aqui será no conteúdo. Para quem acompanha a Cúpula, sabe que o nosso lema é falar de animes de uma forma divertida, mas levando-os a sério como eles merecem. Somos todos amadores, e por isso, nosso propósito nunca vai ser criticar sem suficiente embasamento a parte técnica de nenhum anime.

Para essa temporada de Rd3, fizemos algo diferente: decidimos sortear os nomes, e, por ordem, cada um escolheria com qual ficaria. Dentre todos, fiquei em último, e apesar de não ser o maior nome da temporada, escolhi esse anime e, olha, esse anime não é nenhuma atrocidade.

Na verdade, quem acompanha animes da temporada pode concordar comigo: essa está bem fraquinha, não é? Bem, aproveite! Aproveite para ver aquele anime que você tinha pensado em ver, mas nunca teve tempo. Esse é o seu momento.

Acompanhar animes de temporada pode ser meio cansativo, principalmente para quem produz conteúdo sobre eles. Vemos as mesmas coisas o tempo todo, e renovar conteúdo sobre algo que já se vê SEMPRE é meio difícil. Por isso, sem mais delongas, para não enrolar o internauta detrás da tela, vamos à Rd3 de The Girl I Like Forgot Her Glasses!

the girl i like forgot her glasses poster oficial promocional com os dois protagonistas
  • Gêneros: Comédia
  • Estúdio: GoHands
  • Diretor: Susumu Kudou (K, Dies Irae)
  • Material fonte: Mangá
  • Onde assistir: Crunchyroll
  • Novos Episódios: Terça-feira

O anime é exatamente o que o título diz

Ai Mie é uma menina de 13 anos bem… míope. Além disso, também é um tanto quanto atrapalhada. Há um mês sentando ao lado de seu colega Kaede Komura, nunca tinha esquecido os óculos até então, mas em um belo dia, Mie se esquece deles.

ai mie

Ela mora muito perto da escola, então realmente seria possível esquecer uma vez ou outra. No entanto, Mie esquece os óculos de forma extremamente recorrente. Komura, que se senta ao seu lado esquerdo, viu o esquecimento dos óculos como uma oportunidade de se aproximar da colega de sala.

Nesse romance pré-adolescente, acompanhamos a história de Komura tentando se aproximar da sua amiga tapada, contando com a ausência dos óculos para ajudá-la nas tarefas simples do cotidiano, como ler um livro ou achar o seu armário de sapatos.

komura kaede

Estamos diante de um clássico meu-Deus-ela-é-tão-linda-que-sequer-consigo-me-aproximar. O nome é grande, mas é isso mesmo. É um Komi-san 2.0, sendo que o problema não é a falta de comunicação, e sim a falta dos óculos. (Apesar de que eu gosto bem mais do Tadano…). Se nunca viu Komi, fica aí a indicação do CúpulaCast em que os meninos falam sobre o anime:

E se você me perguntar: mas e quanto a outros personagens? Até então, nada. Só há interação basicamente entre os dois protagonistas e um bonitão da sala no terceiro episódio. O mangá, que é o material original, está em publicação atualmente com 102 capítulos.

Tem muita água para rolar no anime, provavelmente, mas a pergunta que eu me faço é: como diabos isso terá doze episódios?

Uma narrativa cansada: The Girl I Like Forgot Her Glasses parece um replay da mesma piada

“Hoje eu esqueci meus óculos”; “hoje meus óculos estão abafados por conta do clima”; “quebrei meus óculos sem querer”: em cada episódio, a piada dos óculos permanece. Eu espero (firmemente) que seja intencional, e que ela esteja fazendo isso para chamar a atenção dele.

Contudo, até então, sinto que estou assistindo a algum programa infantil com a minha priminha. Ela adora o filme “Encanto“, e eu já perdi a noção da quantidade de vezes que vi com ela. Talvez eu até me lembre das piadas. E esse anime é a mesma coisa: quando você acha que vão mudar o rumo da história, vem a piada do óculos de novo.

Acho que a problemática das piadas é justamente essa, para mim: se humor é a quebra da expectativa, você não irá ter humor se a situação se repetir indefinidas vezes. Pessoalmente, acredito que humor está no novo, no desconhecido, no inesperado.

The Girl I Like Forgot Her Glasses, então, tem dois caminhos: 1. Continuar contando a mesma piada e rezar para que o público não desista do anime; 2. Adaptar a produção audiovisual e entender que a mesma piada pode não funcionar sempre – talvez tentar desenvolver o romance.

Já digo também que eu NÃO li o mangá, mas conheço muita gente que curte. A nota do MAL de 8,07 não esconde o potencial da obra, que deve ser elogiada por algum motivo. Até então, o que vemos é um menino de 13 anos que confessa querer guardar o sebo da mão que ela segurou e piadas repetidas sobre uma menina tapada que perde o óculos.

É ruim? Nem um pouco. É o melhor da temporada? Também acho que não. Ressalte-se que NÃO entramos em aspectos técnicos por aqui, o que estou debatendo é independente disso. O romance é legal, é gostosinho. Romances colegiais são, sim, um clichê dos bons. Mas não há nada de inovador que me faça dizer a você que vale MUITO a pena e de que você vai ter o melhor tempo da sua vida assistindo.

Os enquadramentos do estúdio GoHands

Se você nunca ouviu falar do estúdio, não fique chateado. Vou citar alguns dos projetos dele aqui para você entender o que temos na mão: Seitokai Yakuindomo; Hand Shakers; Project Scard: Praeter no Kizu; K. Como um estúdio menor, um projeto como esse que temos em mãos é realmente ambicioso, e requer não só um alto investimento financeiro como em mão de obra.

A escolha audaciosa nos ângulos de câmera e em uma estética diferenciada do que se tem atualmente vem com um preço: trabalhar com CG de alto nível e criar uma boa composição dos personagens e cenário é demasiadamente complexo. Principalmente quando falamos em mesclar 2D e 3D nas cenas.

Um dos takes que gerou muita polêmica aqui!

É injusto dizer que o estúdio não tem bons animadores. Os storyboards são lindíssimos e os animadores são cheios de potencial, mas a composição do anime acaba gerando essa sensação de estranhamento e “descolamento” dos personagens que é difícil de se ignorar. O primeiro episódio em especial foi alvo de muitos debates (e críticas) por parte de quem estuda o assunto.

Como o estúdio não tem TANTOS projetos ainda, podemos inferir que, com o tempo, podemos ver mudanças no design dos personagens e no encaminhamento dos projetos, para melhor composição visual e um design que dê mais liberdade para as animações.

Esse take mais estático e com menos variação de ângulos ficou ótimo – e se aproxima mais do realismo que eles pretendem criar.

Finalizando as primeiras impressões de The Girl I Like Forgot Her Glasses

Ver ou não ver: eis a questão? Ao fim de tudo o que eu falei aqui, posso dizer que nem eu sei a resposta. De minha parte, acho até que vou continuar vendo, porque gosto de slice of life, mas talvez eu deixe acumular para ver tudo de uma vez. Inclusive, falei sobre esse tema no nosso podcast uma vez com a galera:

Provavelmente, se eu vir semanalmente, vou acabar cansando em algum momento. A minha esperança é de que a obra dê uma guinada na adaptação e possa ser mais do que uma piada repetida sobre a menina que perde seus óculos.

Como estou assistindo muitos doramas ultimamente, que são uma ótima fonte para quem gosta de bons romances (e bons clichês), acho que fico um pouco decepcionada com o andamento nos romances em anime, que é bem diferente. Não sei se, de alguma forma, isso afetou o meu texto e a minha visão de The Girl I Like Forgot Her Glasses.

Mas se você quer só algo fofo pra desligar a cabeça, acho que não vai ser tanta perda de tempo! Acho que de vez em quando precisamos de um romance escolar bobinho com slice of life. Vai que funciona para nos aliviar das mazelas da vida…

E para você, The Girl I Like Forgot Her Glasses merece um lugar entre os melhores da temporada?

Compartilhe
Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp

Escrito por

Helena Nunes

Revisora textual

Máquina de spoiler | Jojofag

Campos - RJ

Entre na conversa, deixe seu comentário!

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!
Ei! Antes de você ir.
Se gosta de animes tanto quanto nós

Conheça nosso podcast sobre animes e mangás no Youtube!

Não se preocupe, ao clicar irá abrir uma nova aba. E você vai poder continuar sua leitura.

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.