Especiais

The Promised Neverland e o veganismo

12 minutos para leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Primeiramente, essa análise comparativa contém spoilers, mesmo para aqueles que assistiram o anime The Promised Neverland, pois também terão alguns trechos que só foram mostrados no mangá (nada muito relevante).

Agora, para aqueles que não viram nada sobre nenhum dos dois (anime e mangá), recomendo fortemente ir assistir ao menos o anime, e só então depois vir aqui ler esse artigo, tudo para que sua experiência com a obra não seja prejudicada.

Esse texto não têm o intuito de ser uma análise aprofundada sobre o anime e suas qualidades técnicas, e sim uma visão minha, Pedro Bernardes, membro do editorial da Cúpula do Trovão, sobre a mensagem que eu interpretei do anime.

Todavia, para aqueles que tiverem interesse em ler uma crítica do anime, outro membro do editorial, André Uggioni, fez uma matéria ”completaça” sobre a obra de Kaiu Shirai e de Posuka Demizu. Para acessá-la, basta clicar no link.

Para quem ficou, vamos lá.

O que uma obra tem a dizer?

Antes de qualquer coisa, precisamos entender que a maioria das obras tem uma mensagem a ser transmitida para o expectador.

Para além do entretenimento, muitas obras querem te fazer pensar. Muitas vezes não precisamos interpretar essa mensagem, ou seja, podemos escolher apenas apreciar a obra de forma sensorial, simples.

O que isso quer dizer? Quer dizer que as emoções que aquele “entretenimento” causam são o suficiente para nos deixar satisfeitos – por mais que ainda existiram algumas camadas a serem decifradas.

Acredito que esse é o caso de The Promised Neverland, uma história satisfatória, mas com uma mensagem que você pode ter deixado passar em branco. A ideia aqui é levantar esse ponto e buscar seu feedback sobre o que eu acho.

O veganismo

O veganismo é uma ideologia de vida que procura excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração animal.

Desta forma, o veganismo não é uma dieta, mas sim um conjunto de práticas focadas nos direitos dos animais que por consequência adota uma alimentação sem nada de origem animal.

Outros exemplos de práticas de exploração animal são os rodeios, vestimentas, apicultura, testes de laboratórios, agricultura, etc.

Apesar do veganismo ter ganhado força recentemente, o termo foi cunhado no século passado, mais especificamente em 1944 na Inglaterra, pela Sociedade Vegana (The Vegan Society).

O que The Promised Neverland tem a ver?

O anime The Promised Neverland conta a história de vida de várias crianças que moram em um orfanato chamado “Grace Field House”, que, é no mínimo peculiar.

Ali, elas diariamente são submetidas a diversos exames e testes complexos, com o intuito de estimular sua inteligência e raciocínio lógico.

No primeiro episódio de The Promised Neverland somos apresentados aos personagens. A ”Mama”, que é a única adulta no orfanato, aparenta ser uma ”mãe” dedicada, amorosa e feliz. As crianças, por sua vez, são extremamente alegres e amam a ”Mama”.

Emma, a protagonista mulher, deseja ficar no orfanato para sempre, pois ela acredita que todos daquele lugar são como sua família.

No orfanato, as crianças são livres para fazerem o que quiserem, desde de que elas respeitem a única regra que existe no local: ”Não cruze as barreiras nos arredores da Grace Field House”.

Até então, nós, como audiência, não sabemos do que se trata o lugar. Entretanto, pouco adiante na história descobrimos que esse lugar é chamado de ”Fazenda”.

The Promised Neverland Ema e seus irmão adotivos
“Emma e parte de sua família”

A princípio tudo parece normal. Afinal, temos um orfanato feliz, crianças saudáveis, alegres e inteligentes. Contudo, a medida que o episódio 1 avança, fica cada vez mais evidente que nem tudo é o que parece.

Na verdade, mesmo nos primeiros minutos do anime há indícios de que existe alguma coisa muito errada por trás de todo aquele pano de fundo alegre…

Então, vamos começar os paralelos em The Promised Neverland!

Logo de início podemos observar que cada criança tem uma tatuagem numérica estampada em seu pescoço, que serve como forma de identificação.

Ray, The Promised Neverland
“Esse tipo de marcação lhe é familiar?”

As crianças do orfanato são, em sua maioria, inteligentes. Além disso, elas têm acesso a uma ampla biblioteca, podendo ler o que quiserem.

A única obrigação que elas têm é a de realizar uma prova de 60 questões todas as manhãs, valendo 300 pontos.

Crianças The Promised Neverland na sala de aula
“Local de engordar”

Avançando na história, descobrimos que esse local não é uma simples fazenda, mas sim uma fazenda de alimentos premiums, e, ainda, que a parte mais nobre de toda a carne dessas crianças são os cérebros.

Então, notamos que os testes na verdade tem a finalidade de desenvolver o cérebro, deixando a ”mercadoria” com uma melhor qualidade. Aqueles órfãos que não alcançam a nota mínima são ”adotados”, ou seja, são levados para o abate precocemente.

Além dessas similaridades já citadas, há outros pontos que se assemelham às fazendas convencionais que temos atualmente, como o chip de localização instalado atrás da orelha de cada criança.

Além disso, as crianças meninas tem uma sobrevida maior do que a de meninos, pois aquelas com as melhores notas ganham a oportunidade de se tornarem novas Mamas, podendo então chegarem a vida adulta.

Apenas as melhores mulheres chegam ao status de ”Mama’‘ e assumem um orfanato, servindo de matriz para gerar novas crianças de genética superior.

“Mas e aí?! Onde quer chegar?”

Bom, até esse ponto acredito que tudo possa ter parecido meio óbvio demais. Ainda, mesmo quem pegou a mensagem, pode simplemente usar o argumento que a Mama usou em um dos últimos episódios de The Promised Neverland:

”Eu amo vocês tanto… que eu não quero que vocês sofram! Eu não quero me tornar a razão de seu sofrimento! Vocês não concordam que tiveram uma vida boa? Crescendo em uma casa cheia de boa comida e amor. Vocês não conhecem a fome ou o frio. Vocês vão morrer se sentindo satisfeitos! O que mais podem querer depois de tudo isso?”

Ok! Mas, lembra que esse orfanato é uma fazenda de carne premium?! E se nem toda a fazenda for um paraíso para se viver igual a essa? Pensou nisso?

Pois bem, no capítulo 49/50 do mangá é revelado que existem apenas 4 fazendas premiuns, sendo todas as outras Factorys Farming, ou seja, fazendas que produzem em escala industrial.

Factory Farming, The Promised Neverland
Factory Farming

Nas Factory Farming as crianças não aprendem um idioma, não possuem nomes e não têm livre arbítrio. A descrição do local no mangá é a de “um lugar aparentemente limpo, mas que exala um odor ruim e desagradável, mesmo a distância.

Sendo assim…

Na realidade, nem toda a fazenda é de ”boi Angus”. Os outros órfãos, que podem se assemelhar a bezerros, estão mais para gado de corte de mega empresas, como acontece com a maior parte da carne que comemos no mundo real.

Lembra dos testes diários que as crianças do orfanato passavam?! As vacas leiteiras também devem ser aprovadas em vários ”testes” para não serem consideradas economicamente indesejáveis, e não sofrerem ”descarte técnico”.

Segundo a EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), se a vaca não produzir no mínimo 6,5 quilos de leite por dia, ela é simplesmente abatida.

Mesmo as vacas atingindo a meta diária, em casos de excedente do rebanho e se ficaram sequencialmente no final da lista, podem ser descartadas.

Em The Promised Neverland, descobrimos que a ”expectativa” máxima de vida das crianças que vivem no orfanato é de 12 anos.

O motivo não é revelado, mas talvez seja pelo ápice do sabor da carne ou pelo fato de que acima dessa idade elas podem vir a apresentar um risco para o sistema.

Você sabe qual a expectativa de vida de um humano? Segundo o IBGE (2016), a expectativa de vida da população brasileira era de 76 anos, ou seja, a vida das crianças de The Promised Neverland são tomadas muito precocemente.

Algo muito similar acontece na indústria da pecuária. A expectativa de vida de um boi é entre 15 a 20 anos, mas eles são abatidos para se tornarem alimento por volta dos 18 meses de vida. Já as vacas leiteiras têm uma sobrevida maior, podendo chegar a cinco anos, isso se manterem o padrão de qualidade na produção.

Finalizando…

Agora, pense no seguinte cenário:

E se houvesse uma espécie que cultivasse humanos apenas para o abate? O Kaiu Shirai, autor de The Promised Neverland, pensou!

The Promised Neverland nos traz uma nova perspectiva sobre os problemas que os animais criados para a alimentação enfrentam todos os dias.

Sabemos como a realidade é dura e muitas vezes nos negamos a aceitá-la.

Muitos animais são submetidos a tratamentos absurdos e vivem em condições precárias, sendo que os animais das ”Factory Farming” da vida real são criados sem o mínimo de empatia, tratados apenas como mercadorias (antes os animais fossem tratados com amor e carinho da Mama…).

Um exemplo do que foi citado acima, foi o caso do flagrante em câmera de cabritos (machos) que eram mortos com uma barra de ferro, em uma fazenda de produção de leite de cabra. Caso você queira conferir a matéria basta acessar o link, mas aviso as cenas são fortes.

The Promised Neverland deixou a mensagem, agora cabe a nós colocarmos a mão na consciência e analisarmos até que ponto a exploração animal é necessária para saciar os desejos do homem…

Conteúdo extra sobre The Promised Neverland

Como mencionado, aqui na Cúpula temos uma análise completa sobre o anime, para acessar, basta clicar aqui.

Ainda, caso deseje um pouco de conteúdo e debate a mais sobre o anime, convido-o a iniciar essa discussão nos comentários. Adoraria conversar com todos vocês sobre esse assunto.

E se não bastasse o artigo e a análise, temos ainda um episódio do CúpulaCast sobre Yakusoku no Neverland. Clique aqui para dar uma conferida!

Escrito por

Pedro Bernardes

Profissional de Educação Física

Cult | Atleta | Leitor compulsivo

Belo Horizonte - MG

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.
Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!