Regra de 3

RegraDe3 | Sing Yesterday for Me pode ser o romance que eu busco

9 minutos para leitura

Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Antes que esse meu título gere qualquer tipo de ambiguidade, o que eu quis dizer é que Sing Yesterday for Me, ou, no japonês, Yesterday wo Utatte, possivelmente é o anime de romance que venho buscando já faz algum tempinho.

Sing Yesterday for Me é um mangá de romance escrito pela mangaká Kei Toume, e seu público-alvo é seinen, ou seja, “homens adultos”. Isso por si só já me gera certas expectativas, mas chegaremos lá.

Manga de Yesterday Wo Utatte

Essa história foi publicada inicialmente na revista Business Jump, da editora Shueisha, no ano de 1997, onde manteve sua serialização até 2011, quando foi para a revista Grand Jump (da mesma editora). Nessa nova revista, a obra manteve até sua conclusão em 2015.

Navegando pelo guia da temporada aqui da Cúpula, o anime de Yesterday wo Utatte, por sua vez, chamou minha atenção principalmente por sua sinopse + visual, porque logo de cara me pareceu ser algo “mais adulto” (mesmo que a sinopse seja bem whatever).

Yesterday-wo-Utatte-visual promocional do anime com personagens sentados num sofá
Sing Yesterday for Me (Yesterday wo Utatte)
  • Gênero: Slice-of-life, romance, drama
  • Estúdio: Doga Kobo
  • Material original: Mangá
  • Episódios: 18
  • Novos episódios: Domingo, na Crunchyroll

E é aí que entra o que antes mencionei sobre estar “buscando já faz um tempinho”. Eu estou muito saturado de animes de romance, mesmo que eu os ame de coração. Falo sobre isso constantemente no CúpulaCast, e adoro reforçar.

Romance talvez seja meu gênero favorito, mesmo em séries e filmes num geral, porém, no caso em específico dos animes, acabei criando uma certa aversão depois de tanto tempo sendo ludibriado por finais em aberto ou casais que evidentemente deveriam terminar juntos, mas não terminam.

Ou até mesmo por obras como Domestic na Kanojo que são simplesmente horríveis.

Entretanto, estou com altas expectativas para Yesterday wo Utatte, e aqui nessas primeiras impressões explicarei o porquê.

Do que trata Sing Yesterday for Me (Yesterday wo Utatte)?

“Na história um jovem sem ambições na vida aceita um trabalho em uma loja de conveniência, onde acaba encontra sua estranha ex-namorada. A história acompanha o dia a dia e constantes encontros dos dois.”

Rikuo protagonista de Yesterday wo Utatte sentado numa mesa com o cigarro na boca

E essa é a sinopse “oficial” que encontramos quando pesquisamos sobre esse título na internet. Bem, ela por si só não é chamativa, sou obrigado a admitir.

Contudo, algumas coisas me chamam a atenção nesse mísero testículo de 3 linhas. Principalmente as palavras jovem e ex-namorada.

Apesar de a segunda ter sido um possível erro de tradução do pessoal que traduziu a sinopse, a primeira por si só já indica que teremos um protagonista que não é um colegial.

Se a segunda estiver mesmo correta, indica também que teremos personagens que de fato já tiveram uma relação amorosa.

Some esses fatores à ideia de que teremos um anime que, pelo ritmo desses 3 primeiros episódios, promete ser um slice-of-life bem lento e sem muitas reviravoltas, e voilà: temos a fórmula perfeita para um ótimo trabalho de desenvolvimento de personagens e de um romance adulto.

Sendo assim, eu fico animado, pois, mesmo que não seja um novelão à lá Kuzu no Honkai, ainda é possível termos sim envolvimento sério entre os personagens. Envolvimento este onde teremos mais do que gente dando a mão e ficando corada, se é que me entendem.

Kimi ni Todoke visual com elenco reunido
Tipo isso aqui

Sobre os personagens de Sing Yesterday for Me

Rikuo Uozumi, nosso protagonista, inconscientemente procura por motivos para sair da inércia que é ser alguém, nas palavras dele, “fora da sociedade”.

Protagonista Yesterday wo Utatte com cara séria olhando para baixo

Ele é um cara que ao mesmo tempo que é sem sal, nos passa uma carga de realidade muito bacana. É possível entender esse personagem logo de cara, pois seus conflitos internos nos são externados muito bem dentro desses 3 primeiros episódios, principalmente no primeiro e no segundo.

Ele quer mudar, mas não sabe como. Quer tomar ações mais assertivas e conseguir “subir” na vida. “Virar alguém”, ou “voltar para a sociedade”, chame como quiser. Rikuo precisa mudar, e a história introduz duas personagens que o farão mudar na marra.

Junto com nosso protagonista, acompanharemos Morinome Shinako, uma antiga colega de faculdade pela qual Rikuo fora apaixonado por tempos.

Shinako de Yesterday wo Utatte com cabelos ao vento

Shinako se apresentou como sendo uma pessoa gentil e objetiva, porém, ainda nesse começo nos é apresentado seu triste passado. Na situação, Shinako se vê presa ao passado, e Rikuo também.

Por último, mas não menos importante, temos Nonaka Haru, uma colegial que largou a escola para trabalhar e se sustentar por conta própria, e que desenvolve sentimentos pelo protagonista.

Haru de Yesterday Wo Utatte sorrindo mas parecendo triste

Ou seja, meio que temos aqui uma espécie de triângulo amoroso platônico de pessoas que sofrem à sua maneira.

Não sei vocês, mas eu fiquei interessado em ver como tudo isso será desenvolvido.

Um parte técnica que condiz com a maturidade de Yesterday wo Utatte

Essa adaptação para anime está sendo feita pelo estúdio Doga Kobo (Gekkan Shoujo Nozaki-kun), e o mesmo não está medindo esforços para entregar elementos que condizem demais com o conceito do anime.

Como mencionei, nesses três primeiros episódios o anime mostrou que vai trilhar muito dentro dessa esfera mais “séria”, onde temos personagens que precisam resolver seus conflitos internos, mas também querem alcançar o amor.

O lance é que o Doga Kobo mandou muito bem no character design, deixando o protagonista muito mais parecido com um universitário, porque, afinal, ele é um universitário.

No material original, o Rikuo muito se parece com um gurizão do ensino médio, o que, para mim, tira boa parte do peso da história dele.

Digo isso porque você ver um cara de 20 e poucos anos falando que está “fora da sociedade” tem muito mais impacto do que ver alguém que aparenta ter seus 15 anos. Ponto para o estúdio.

Além disso, a escolha de uma paleta de cores mais neutra elevou o tom realístico da obra, tornando assim muito mais fácil a nossa imersão na história.

Infelizmente eu não entendo o suficiente de animação para poder colocar em palavras o que está sendo feito no que tange a animação de Sing “Yesterday” for Me, mas posso dizer que não é uma animação normal para um anime “simples” como ele aparenta ser. Tá bem bonitão.

Background anime Yesterday wo Utatte escurecido com protagonistas ao centro

Um fato curioso é que esse anime não possui abertura. Só encerramento.

Finalizando…

Sintetizando, com certeza acompanharei Sing Yesterday for Me até o final de seus 18 episódios. Pois é, 18 episódios. Pelo menos é o que consta no MyAnimelist.

E o motivo para eu não largá-lo é simples: eu vejo muito potencial em Yesterday wo Utatte.

Potencial em ser uma história madura, com um romance que vai para frente e com personagens que não me decepcionarão.

Pelo menos é isso que eu senti vendo esses 3 primeiros episódios.

Ainda é cedo para afirmar ou julgar algumas coisas nesse começo, como o amor espontâneo de Haru por Rikuo ou a insistência da Shinoka em, ao mesmo tempo que só quer amizade, ficar se aproximando demais do cara. Se vocês quiserem eu faço uma análise quando acabar, que tal?

Haru e Shinoka de Sing Yesterday For Me
Dá para chamar de rivais?

A narrativa é um pouco lenta, mas acho que dropar por conta disso seria um pouco injusto. Afinal, serão 18 episódios, então não precisa ser tão corrido quanto um anime de um só cour.

Além disso, a adaptação muito bem feita, dando um ar renovado para a obra de Kei Toume.

E ainda é um mangá já concluído. Sendo assim, muito provavelmente teremos um anime que adaptará a história toda.

São 113 capítulos, mas se cortarem as coisas certas, acho que dá para adaptar em 18 episódios bem roteirizados. Nem abertura tem, né. Então dá para dizer que eles ganharam 1:30 em cada episódio, o que ajuda bastante.

E você, vai fazer uma RD3 para Sing Yesterday for Me também? Ou não convenci?

E não deixe de acompanhar nossas RegrasDe3 da temporada. Além disso, você pode usar nosso guia da temporada para acompanhar os animes que estão saindo também!

Regra de 3 logo

Escrito por

Andre Uggioni

Fundador

Vendedor | Prolixo

Criciúma - SC

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Ir para o topo