Análise

Cowboy Bebop é bom? Vale a pena assistir o anime? | Crítica

Que Cowboy Bebop é um clássico dos animes, ninguém discute. Mas é pra tanto?
18 minutos para a leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

AMIGOOO! Finalmente finalizei Cowboy Bebop. Esse que é um dos maiores clássicos dos animes. Cowboy Bebop é um anime original, desenvolvido pelo estúdio Sunrise. Ao total, a obra teve 26 episódios. Se quiser mais informações, dê uma olhada na página dele no MAL.

E esse é aquele famigerado anime que praticamente todos conhecem, mas poucos assistiram. Dá até para sentir o peso do mundo nas costas e os olhares de ódio disparados quando se fala “nunca assisti Cowboy Bebop”.

Aliás, Cowboy Bebop é aquele tipo de anime que você nunca ouve falar mal. Muito pelo contrário, apenas se ouve elogios.

Entretanto, talvez já polemizando e possivelmente desconstruindo toda sua vontade de continuar a ler esse texto, eu não entendi o motivo de tanto endeusamento.

Antes de continuar essa linha de raciocínio, é de suma importância que eu saliente o reconhecimento que esta obra tem no mundo dos animes e o seu peso histórico.

Dito isto, vou avante acerca do que estava comentando. Cowboy Bebop é um anime muito aclamado e que todos dizem ser NECESSÁRIO que você assista. Pois bem, eu assisti.

personagens principais de Cowboy Bebop

Será que se pode falar mal desse anime?

Sinceramente, ele não é bem tudo isso que as pessoas dizem, porém eu entendo. Neste texto, tentarei deixar claro MINHA OPINIÃO referente a este anime. Reitero, eu reconheço a grandeza de Cowboy Bebop e gostei demais dele. Principalmente da trilha sonora. Mas isso é algo irrefutável.

De certo modo, para ser sincero, acredito que fiquei mais em cima do muro do que me declarar um fã maluco que evangeliza a animação ou um cara que odiou. O fato é que a história em si, e somente isto, não é tudo isso. Não é ruim, mas é bem normal, diria, até.

Sobretudo, o que faz de Cowboy Bebop ser esse anime tão marcante ao ponto de ganhar o título de clássico é toda sua composição e talvez sua proposta atemporal. Todavia, sem mais delongas, do que realmente se trata Cowboy Bebop?

O início da aventura espacial

O ano é 2071. A humanidade colonizou vários planetas e luas do sistema solar. Agora, o planeta terra não passa de um lugar inabitável. O motivo? Eu não sei ao certo. Para ser sincero, não me recordo se isto foi explicado. Tenho quase certeza que não.

Contudo, achei uma ideia bem interessante. Apresentar um contexto onde a Terra é um lugar inóspito.

Algo legal de se perceber é que os humanos, após colonizarem esses demais planetas, não precisam de nenhum aparato ou qualquer coisa do tipo para poderem respirar. É como se eles tivessem adaptado o próprio organismo para sobreviverem nesta atual realidade.

Cowboy Bebop e os tripulantes da bebop

Embora a terra seja um lugar onde não se possa mais viver, ela aparece na história em alguns momentos.

Ademais, a Polícia do Sistema Solar Inter tenta manter a paz na galáxia, auxiliada em parte por caçadores de recompensa fora da lei, conhecidos como “Cowboys“. E é aqui que entendemos o conceito do anime. Cowboys do espaço. Além disto, somos apresentados também aos icônicos personagens principais da história: Spike Spiegel e Jet Black.

Eles viajam a galáxia numa nave chamada Bebop em busca de recompensas. E assim, definitivamente, começamos a aventura espacial de Cowboy Bebop.

Quatro personagens importantes numa nave chamada Bebop

Como supracitado, a história introduz inicialmente apenas Spike e Jet.

Apesar disso, mais para frente somos apresentados a mais dois personagens, também importantes para a história. Sendo direto, todos os personagens são relevantes. Na verdade são cinco, se você considerar o cachorro, Ein.

Logo, são eles: Faye Valentine, e Edward. E também tem o cachorro, só para desencargo de consciência mesmo. O Ed é um personagem interessante. Ou deveria dizer a Ed? É justamente este o problema. O anime não se responsabiliza em definir o gênero do personagem. Algo similar aconteceu com Hange Zoe, de Attack on Titan (Shingeki no Kyojin).

personagens de attack on titan

Por mais que na adaptação em anime os personagens se dirigem à Hange como sendo do sexo feminino, no mangá o autor deixou isto em aberto. Difícil saber como se comportar quando essas coisas acontecem, não é mesmo?! Enfim, é apenas uma curiosidade.

O atraente em Cowboy Bebop é que todos os personagens possuem um passado um tanto inexplorado, mas que o anime ainda assim faz questão de retratar e tentar fazer uma espécie de contextualização para o público.

Ademais, a forma como eles surgem e começam a fazer parte da tripulação da Bebop é simplesmente randômica. E isto deixa as coisas engraçadas.

Caçadores de recompensa que enfrentam as dificuldades de viver de forma autônoma

Mencionado pelo próprio Jet Black, viver de forma autônoma não é nada fácil. Este é um fator cômico da história, ao mesmo tempo em que é realístico. Como eles são caçadores de recompensa, eles precisam ir atrás para poder ganhar o deles. Ou seja, se eles não derem o jeito deles, eles não recebem nada no final do mês.

E isso nos leva às cenas onde eles estão sempre com fome. A reclamação por falta de comida poderia ser até um ponto de enfoque na história de tanto que é presente.

nem tudo são flores em Cowboy Bebop

Além disso, eles até que conseguem capturar pessoas com uma boa recompensa, entretanto logo o dinheiro se vai do nada. Simplesmente assim. Em um episódio com dinheiro, no outro, desapareceu.

E isto me leva a entrar no próximo tópico deste texto, o que, por sinal, foi o que me fez ficar em cima do muro em relação a Cowboy Bebop e não entender o porquê de toda esta euforia acerca da animação.

Cowboy Bebop possui um formato episódico, porém que se complementa

Pois é. A história não é linear. Na verdade é. Mais ou menos.

Cowboy Bebop poderia ser assistido de uma forma aleatória, de certo modo. Se você optasse por assistir primeiramente o episódio cinco, posteriormente o três, você até poderia.

Ainda assim entenderia. Isto porque as histórias seguem um ritmo independente. Sobretudo, a cadência dos episódios, em minha opinião, é bastante agradável. Embora nem todos sejam bons, todos valem a pena.

um dos personagens principais do anime

Porém, em determinados momentos, as histórias se conectam. E aí sim, neste caso, você irá precisar assistir tudo para poder compreender o todo. Essas ligações desenvolvem a história dos personagens e, acima de tudo, o passado deles.

Isto é algo bastante importante em Cowboy Bebop. O passado. Ou melhor, o passado interferindo no presente.

Críticas e abordagens sobre questões mal resolvidas do passado

Como a forma de produção do anime é episódica, cada novo episódio traz consigo uma história diferente, com uma lição diferente. Acredito que alguns contam apenas uma história comum mesmo.

Mas há episódios que carregam uma grande reflexão ou uma crítica sobre algo. E esses são os melhores episódios.

Além do mais, ainda sobre o passado, essa é uma tecla muito batida. É interessante analisar a forma como o passado pode destruir ou não deixar com que avancemos quando algo que deveria ser resolvido não foi. E em Cowboy Bebop os personagens estão estagnados.

Cowboy Bebop também é reflexivo

Ao mesmo tempo em que vemos a vida que eles levam e achamos que aquilo é normal, também somos levados a compreender o outro lado. Esse lado obscuro revela como todos ali possuem um arrependimento e um peso que carregam por conta disto.

Também, mais do que evidenciar essas dores, o anime também mostra como é libertador a resolução dos problemas.

Resolver pendências, deixar o passado no passado e seguir em frente é revigorante. Disto, os personagens de Cowboy Bebop sabem muito bem. E essa é uma das várias reflexões expostas pela a animação. É um anime bom. Mas, novamente, não é pra tanto assim.

Cowboy Bebop e sua trilha sonora inegavelmente maravilhosa

Eis o ponto crucial de Cowboy Bebop: sua trilha sonora!

Isto é algo que nem eu, nem você, nem ninguém no mundo pode discordar e dizer que é ruim. Quando se trata de Cowboy Bebop, uma das primeiras coisas que vem na mente com certeza é a trilha sonora do anime.

Se você é um fã de jazz/blues assim como eu, vai amar as músicas do anime. Aliás, vou deixar a OST aqui embaixo, caso nunca tenha ouvido e queira saber do que estou falando só para poder concordar comigo depois.

A mescla da trilha com os eventos da obra são simplesmente maravilhosos. A pegada do jazz/blues dá um ar ainda mais marcante para tudo.

E depois, não se resumindo somente a este estilo musical, também há a inserção do rock e também de alguns gêneros um pouco mais melancólicos. Tudo isso perfeitamente casado nas cenas.

Inclusive, admito que as músicas mais dramáticas são as minhas favoritas. A música da ending é uma das que eu mais gosto de escutar. Se quiser ouvir, ela vai estar logo abaixo.

Mas porque esse anime é tão adorado?

Este é um dos pontos que mais me chama a atenção. Aliás, acredito que eu tenha construído uma boa linha lógica até aqui para justificar este meu ponto de vista. A real é que poucas pessoas que conheço, que já tiveram a oportunidade de assisti-lo, falam mal dele.

De forma generalizada, muitos dizem que sua história é maravilhosa e, sobretudo, sua trilha sonora. A grosso modo, essas são as definições básicas das pessoas que amam esta animação. E eu até concordo com a grande maioria quando falam acerca da trilha sonora.

Todavia, é difícil defender com unhas e dentes o que tange à história. Ela não é ruim, já denotei isto anteriormente, porém, não tem como dizer de corpo e alma que é uma história incrível ao ponto de precisar entregar seu coração para aquilo. Quando um anime é episódico já complica para deixar a gente completamente engajado na história.

Por outro lado, o fato de ser episódico traz à tona a liberdade de trabalhar temas distintos em um mesmo contexto e aplicar inúmeros ensinamentos e lições de vida. Mas é somente isto.

Mais uma vez reitero, a história é boa.

Mas é isto. Como disse uma vez meu amigo André Uggioni, “parece que aclamar Cowboy Bebop virou uma espécie de histeria coletiva, do tipo que se você não fizer também, você tá automaticamente errado”.

A carga cultural histórica enorme que norteia Cowboy Bebop

Esta é uma parte de suma importância neste texto. A dita cuja não seria possível se não fosse pelas informações mais do que precisas de Pedro Bernardes. Portanto, tudo o que vem a seguir, agradeçam a ele.

Fazem cerca de 22 anos que Cowboy Bebop estreou nas telonas. Entretanto, o que deu a ele esse título de clássico foram suas grandes influências baseadas entre os anos 90 e 2000. É importante ressaltar que naquela época o tema da vez era viagem espacial.

Além do mais, no ano de Cowboy Bebop, foram lançados Amargedon, Tropas Estelares, Perdidos no Espaço, Alien 3 e outra porrada de filmes com essa mesma temática. Senão congruente, parecida. E isto é mais uma possível justificativa para todo esse amor por esse anime.

Cowboy Bebop pode ser uma obra japonesa, porém ele possui um estilo de produção um tanto americanizada. O mesmo aconteceu com o anime filme megahit de Makoto Shinkai, Tenki no Ko. Embora tenha sido feito no Japão, toda sua construção pareceu bem mais hollywoodiana.

Esses elementos e a forma como são trabalhados chamam bastante a atenção do público. Até sua narrativa é diferente do ortodoxo dos animes.

Por fim, estamos falando aqui de Shinichiro Watanabe, que produziu títulos como Animatrix, Macross, Samurai Champloo, Gundam, Ergo Proxy, entre outros.

Aliás, mais recente, é o diretor da animação de Blade Runner. E depois, tem o produtor de Cowboy Bebop, que também é produtor de Akira. Logo, um cara que produziu Akira, propor a produzir Cowboy Bebop, podia ter a convicção, na época, de que significaria que algo bom estaria por vir.

Finalizando a crítica de Cowboy Bebop

Acho que consegui deixar claro que não estou tacando pedra na obra. Até porque eu não poderia fazer isso. Não há motivos para tal. Somente o fato de não conseguir compreender o porquê das pessoas serem tão exageradas, às vezes, com esse anime.

Por fim, para resumir tudo o que falei neste texto, eu definiria Cowboy Bebop como um bom anime e que merece de fato ser assistido. Ademais, reconheço também todo o peso histórico que ele possui.

Talvez, só talvez, o que tenha dado tanto holofote para Cowboy Bebop seja sua trilha sonora. Porque, cá entre nós, é um fator definitivo desta obra.

De resto, vocês estão sabendo do live-action de Cowboy Bebop? Não?! Pois agora já sabem. O anime vai receber uma adaptação estrelada pelo ator John Cho. Particularmente, achei bem condizente com o protagonista da série. Espero que dê certo.

Será bastante interessante ver todas aquelas peripécias “na vida real”.

live action de cowboy bebop

Além do mais, eu gravei um vídeo comentando sobre tudo isto, talvez de modo mais explicativo (ou não). Deixarei ele aqui embaixo, caso queira assistir.

Deixe nos comentários o que você achou desse anime, se já tiver visto. E se ainda não teve a oportunidade de assistir, conte se um dia vai dar uma chance para ele!

See You, Space Cowboy…

Escrito por

Welerson Silva

Quase Jornalista e Escritor

Youtuber | Escrita cabeçuda

Brasília - DF

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!