Análise

LISTÃO DE RECOMENDAÇÕES DA CÚPULA! #5

LISTÃO DE RECOMENDAÇÕES DA CÚPULA! #5
15 minutos para leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

E cá estamos nós reunidos novamente para mais um dos nossos listões de recomendação mensal (mas que mês passado não teve, nos perdoem!). Dessa vez iremos com um tema simples, mas ainda é o mais pedido lá no nosso Instagram (que inclusive você deveria seguir caso ainda não o faça!): recomendações de séries de anime.

Quando o André convidou os autores a recomendarem “séries de anime” alguns deles ficaram confusos, indagando o editor se era “live-action” ou algo do tipo. Mas, não. Séries de anime são os “animes normais”, gente. Qualquer anime que tenha uma sequência de episódios, como por exemplo Demon Slayer, Fate ou Dr. Stone.

Nesta lista, portanto, não teremos mangás, nem filmes, e nem outras coisas relacionadas a cultura pop japonesa. Focaremos, pura e exclusivamente, em animes!

E vamos à lista!

Recomendação do André: OreGairu

Oregairu terceira temporada elenco feminino e Hachiman aos fundos no quadro negro
  • Gênero: Comédia, drama, escolar, romance.
  • Estúdio: começa com Brain’s Base, mas depois o feel. assume
  • Material fonte: Light novel
  • Episódios: 3 temporadas, 38 episódios ao todo
André Uggioni na festa

Yahari Ore no Seishun Love Come wa Machigatteiru é o nome inteiro dessa bagaça, mas como padrão, tem um apelido mais curto para que o anime não caia no clássico “porra, é aquele com o nome gigante”, e esse apelido é OreGairu.

OreGairu nos apresenta o dia a dia de Hachiman, o protagonista de romance escolar que subverteu (na época) o estereótipo de “protagonista bonzinho”, porque, bem, ele não é nada bonzinho. Quer dizer, não que ele saia chutando crianças na rua, mas sua personalidade é bem podre e cansada. Ele já não acredita nas pessoas por conta de alguns traumas pessoais envolvendo pessoas num geral, e também, especialmente, frustrações amorosas.

Então, Hachiman, no fundo, tem um bom coração (acredita-se). Entretanto, sua professora, preocupadíssima com o fato de o garoto provavelmente não conseguir lidar com a sociedade quando fosse adulto, resolve que precisa ajudá-lo. Por isso, o força a fazer parte do “Clube de Voluntários”, junto de Yukinoshita Yukino, a garota perfeita que todos querem ser, mas que ninguém gosta.

Yukino também tem uma personalidade difícil, o que faz a relação passivo-agressiva entre esses dois personagens ser curiosa e divertida de acompanhar.

Não demora até termos a Yuigahama, ou “Yui”, sendo introduzida, a garota “”cabeça de vento”” (entre muitas aspas mesmo) mais alegre que unifica esse grupo e também começa a fazer parte do clube.

Será que Hachiman e Yukino conseguirão superar seus traumas e, finalmente, terão suas personalidades “consertadas”? Mas afinal, o que é “ser consertada”? Porque deveríamos agir como os outros esperam?

Oregairu é sobre “ser humano”

Ou melhor ainda: porque os outros deveriam agir como esperamos? Quem é tu na fila do pão, irmão? É disso que OreGairu trata: RELAÇÕES HUMANAS (e de adolescentes confusos).

Se você gosta desse tipo de abordagem mais “palestrinha”, com bastante diálogo, comédia, e também curte a possibilidade de um romance ser desenvolvido em paralelo a tudo isso, OreGairu é uma chamada perfeita para você.

Ah, e um adendo: mesmo se você achar a primeira temporada meio mais ou menos, mas gostar da ideia do que o anime quer apresentar, POR FAVOR, veja a segunda, porque mudou praticamente a staff inteira.

Em outras palavras, a direção melhorou MUITO. Além disso, o anime ficou esteticamente MUITO MAIS BONITO (para mim, pelo menos). O encaixe de trilha sonora melhora MUITO também, fora que a trama começa a andar, causando diversos conflitos interpessoais nos personagens.

Diferenças entre os personagens na primeira e segunda temporada de oregairu
“Na esquerda, a primeira temporada. Na direita, a segunda”

E a melhor parte é que a terceira temporada ENCERRA a história. Final fe-cha-di-nho.

Assistam!

Recomendação do Luiz: Mobile Suit Gundam SEED

Mobile Suit Gundam SEED - Athrun Zala, Kira Yamato e seus respectivos gundams
  • Gênero: Ação, Drama, Mecha, Sci-fi, Militar, Espacial
  • Estúdio: Sunrise
  • Material fonte: Original
  • Episódios: 2 temporadas, 100 episódios ao todo
luiz henrique autor da cúpula

Mobile Suit Gundam SEED e SEED Destiny são uma sequência original, feita com um enredo a parte da história principal da série Gundam. Dessa forma ela foi alocada na chamada Era Cósmica. Embora alguns dizem ser uma tentativa de reboot da trama original, eu mesmo não a considero assim.

Vocês sabem que eu gosto de Drama, mas já falei do quanto amo Mecha e Sci-fi também? E, olha que chato, Gundam tem tudo isso e mais. Dito isso, para você que nunca viu nada desta série, a primeira coisa que tenho que esclarecer é que: não, não é um anime sobre lutinha de robôs, a lutinha é o bônus, rs.

Assim, Gundam SEED é um retrato fiel de como as guerras levam apenas a mais ódio, e consequentemente, mais guerras. Ele deixa claro o quanto é difícil dizer quem está verdadeiramente errado nessa situação, e o quanto fanatismo e preconceito levam a grandes desastres.

Pois é, um ótimo espelho da humanidade. Ademais, ele trata das relações humanas em meio a guerra, conflitos internos, medos e incertezas, de forma que te faz amar e odiar alguns personagens e suas ações.

Como faz pouco tempo que assisti as duas temporadas dele novamente, decidi que era uma boa ideia trazê-lo aqui.

Aliás, se tiver curiosidade de conhecer mais de Gundam, o Pedrão fez um Guia completasso para você entender as divisões do universo e história, dá uma passada por lá que vale a pena!

Gundam SEED é um retrato do mundo

Algo notável desse anime é como eles colocam preceitos e pré-conceitos lado a lado. O tempo inteiro faz questão de jogar no espectador que, apesar das maçãs podres em ambos os lados da guerra, o inimigo também é humano, e também possui coisas que quer proteger.

E além, te faz simpatizar ou odiar os personagens, utilizando uma construção muito boa, tanto de protagonistas como dos personagens de apoio. Focando bem em suas relações e sentimentos, tanto nos conflitos como fora deles.

Os dois principais, Kira Yamato e Athrun Zala, são amigos de infância que não se viam há muito tempo, contudo no decorrer da trama acabam arrastados para a guerra, mesmo odiando ela.

Eventualmente, questionam sobre seus motivos pessoais, sobre as motivações de seus superiores… E finalmente sobre o que é certo e errado, e o que podem fazer sobre isso. E logo, agem de acordo com suas crenças.

Kira Yamato e Lacus Clyne juntos.
Tem pequenos romances também. Aqui estão Kira e Lacus

Assim a obra retrata, além do ódio e histeria, a empatia e a necessidade da gentileza entre humanos, por mais diferentes que sejam. Ensinando que há ferimentos que podem ser curados. Que não existe um único caminho, o conflito não é sempre a solução.

Não esperem por animação extremamente elaborada o tempo todo, algumas cenas de ação são bastante reutilizadas. Contudo o estúdio Sunrise faz um trabalho muito bom.

Por fim, a narrativa tem um avanço agradável, contextualizando bem o enredo e enfim, quem são os verdadeiros vilões. A trilha sonora é gostosa de acompanhar, já conhecia do game de PlayStation 2 muito antes de ver o anime pela primeira vez.

Ah, o final da primeira temporada é um pouco abrupto, então aconselho assistirem o especial de 5 minutos, After-Phase Between the Stars, antes de começar a segunda.

Espero que gostem!

Recomendação do Welerson: Grand Blue

anime grand blue
  • Gênero: Slice of Life , Comedy , Seinen
  • Estúdio: Zero-G
  • Material fonte: Mangá
  • Episódios: 12 episódios
Welerson da CDT

Se está a procura de um anime de comédia para passar o tempo, Grand Blue é a indicação certa. Ainda mais quando o assunto é comédia por meio de expressões faciais. Grand Blue é um anime que acerta em cheio no que propõe.

Além de ser cômico, possui uma história de fundo até que agradável, que norteia o telespectador até seu desfecho o mantendo interessado.

Acerca dela, acompanhamos a vida de um jovem chamado Iori Kitahara. O jovem está se mudando para uma ilha no Japão, prestes a ingressar na vida universitária.

Não conhecendo nada, nem ninguém, Iori acaba se hospedando na loja de mergulho do tio, a Grand Blue. E é a partir disso que inicia-se o estopim de inúmeras encrencas e situações divertidíssimas desse anime.

Sobretudo, este é o ponto crucial da história, uma vez que todos os eventos acontecem por meio dos membros do clube de mergulho local.

A beleza de Grand Blue

Uma das coisas que mais me agradam em um anime são as paisagens ou aqueles pequenos momentos em que o foco total está na beleza da ambientação. Existem inúmeros animes que trabalham de forma exímia esta questão, como Weathering with You, O Jardim Das Palavras, Yuru Camp, entre outros.

cenários lindos de grand blue

Grand Blue também parece apreciar esses momentos. Infelizmente, há poucas cenas embaixo d’água, que são, inclusive, as cenas mais lindas da animação.

Este é um ponto que me deixou um pouco chateado. Contudo, talvez este não fosse o objetivo principal da obra. Como comentado, a essência está na comédia. E funciona muito bem.

Ademais, também é importante salientar a respeito da trilha sonora, que é simplesmente linda e relaxante. Aliás, essas músicas combinam perfeitamente com as cenas no oceano. São ótimos momentos no anime, oferecendo aquela sensação de relaxamento e leveza.

Por fim, eu gravei um vídeo comentando sobre esse anime.

Caso queira saber mais sobre ele, assista.

Recomendação da Helena: Taiso Samurai

Taiso Samurai
  • Gênero: Esportes (mas eu, particularmente, adicionaria slice of life)
  • Estúdio: MAPPA
  • Material fonte: Original
  • Episódios: 1 temporada, 11 episódios

ESSE É O MEU MOMENTO! Caramba, como eu estava com vontades de recomendar isso aqui há tempos! Para você ter uma noção do que aconteceu: quando estávamos discutindo sobre o último Cúpula Awards (e também sobre o Para-raio Awards), eu insisti MUITO que Taiso Samurai entrasse nas competições (até chegou a ter um espacinho!). Só que, para a minha infelicidade, ninguém além de mim havia assistido.

Então, por que Taiso Samurai passou meio batido entre os demais animes da temporada (ou do ano) dele? Bem, não sei. Talvez por ser pequeno, talvez por não ter a narrativa shounen de sempre. Contudo, acho que o ponto que mais pesou para todo mundo que assistiu (e que não gostou) foi o fato de, muito embora esteja listado como anime de esportes, não ser exatamente sobre esportes.

A ginástica artística é um ponto fortíssimo em Taiso Samurai, que confere emoções às cenas, de fato. Contudo, o núcleo central dessa história não é a ginástica: é a família.

Laços de amor: poderia ser nome de novela, mas é meu subtítulo

E não tem nada a ver com amor romântico. Nesse anime, o explorado são as relações familiares, numa perspectiva bem mais ampla. De maneira bem resumida, a história é a seguinte: Jotaro Aragaki, ginasta, está prestes a ser retirado do cenário da ginástica após uma lesão.

O grande problema é que Jotaro não parece estar preparado a deixar o que antes era a sua vida. Antes de tudo acontecer, ele tinha uma esposa e era um dos maiores ginastas do Japão. Com o seu icônico coque no cabelo, levava o codinome de Samurai (daí vem o título), que é, obviamente, uma posição extremamente respeitada na história japonesa.

Contudo, depois da morte de sua amada, apenas a sua filha ficou ao seu lado, e sua carreira foi, pouco a pouco, sendo destruída. Jotaro, lesionado e desmotivado, parece não ter mais futuro na ginástica. Enquanto tudo está prestes a desmoronar, Jotaro conhece um menino chamado Leonardo, que o inspira, juntamente com a sua filha, a lutar por sua carreira de ginasta.

Por que assistir Taiso Samurai?

Então, por que devo ver? Simplesmente porque é lindo. Eu nem gosto tanto assim de ginástica rítmica, mas a questão de animes de esporte (para quem não é esportista ou não tem isso como hobby) é o envolvimento. Do time, dos amigos, da família. São todos vibrandos juntos, como um, para alcançar um objetivo comum.

Viajando um pouco na minha mente, me recordo da primeira vez em que fui a um estádio. Eu sentia tanta emoção que tudo transbordava, e, enquanto todo mundo cantava junto, parecia algo completamente surreal. Eu estava extasiada; aquilo era, de verdade, doar e torcer de coração.

Taiso Samurai não vai te ensinar técnicas absurdas de ginástica, nem vai perder tempo explicando os movimentos. Toda a direção será focada em te conectar ao Jotaro e aos demais personagens, presa sempre em pequenos detalhes – nem tão pequenos assim, que muito provavelmente irão emocionar as manteigas derretidas, como eu.

E é bem isso: é uma história de família, na qual você se vê sem reservas a torcer de todo coração pelo Jotaro. O esporte é emoção. A gente aprende isso com o tempo, mas eu aprendi com Haikyuu!! e com Taiso Samurai. Amo os dois por motivos diferentes, e espero que você se divirta assistindo ao último também.

Recomendação da Amanda: Psycho-pass

Imagem dos personagens principais de Psycho Pass
  • Gênero: Ação, Sci-Fi, Policial, Psicológico e Terror
  • Estúdio: Production I.G.
  • Material fonte: Original
  • Episódios: 1 temporada, 22 episódios

Desde o primeiro episódio Psycho-pass prende a sua atenção! O anime se passa no futuro, no próximo século (22), quando um sistema de segurança transformou o Japão em um lugar pacífico. Ou assim, é o que se espera. O Sistema Sibyl avalia, julga e pune criminosos latentes através da leitura do psycho-pass de cada indivíduo.

A leitura do coeficiente criminal é precisa. Ela avalia o nível de saúde mental de cada pessoa para determinar se ela é uma pessoa sem perigo, se tem chance de reabilitação e necessidade de terapia para reduzir o seu coeficiente ou se é um criminoso latente sem chances de recuperação.

Se te avaliarem como criminoso latente, esteja pronto para ser severamente punido pela Dominator. Dominators são as armas que a polícia utiliza para verificar o psycho-pass e ao fazer isso, automaticamente, destrava o gatilho com a punição necessária dependendo do resultado obtido na verificação.

Dá para avaliar sempre com 100% de precisão o estado de saúde mental da população?

Inspetora Tsunemori Akane se apresentando para o serviço

Logo no primeiro episódio é essa a pergunta que evocam quando a inspetora Tsunemori Akane entra em ação. Ela possui um psycho-pass baixo, admirável e impecável, e possui valores fortes sobre justiça. Por isso, sua jornada dentro da Agência de Segurança Pública, ASP, é cheia de reviravoltas estimulantes.

A inspetora Akane e seu colega inspetor Ginoza trabalham em equipe, junto com os Executores. Os Executores são criminosos latentes sem chance de reabilitação (possuem um coeficiente criminal alto, muito acima do parâmetro de avaliação determinado por lei).

Imagem do executor Kogami e os inspetores Akane e Ginoza
Kogami, Akane e Ginoza

Portanto, ao trabalhar com o Executor Kougami Shiniya, Akane faz descobertas interessantes sobre como funciona de verdade o Sistema Sibyl, e que talvez ele não seja um sistema tão preciso quanto se prega. O anime conta a trajetória dos personagens dentro desse contexto futurístico, e apresenta os dois lados da moeda: o que funciona e o que tem de errado.

Vale à pena mesmo assistir?

Este é um anime que eu recomendo de olhos fechados, porque é simplesmente muito bom. Os diálogos são interessantes, a construção de mundo é muito bem feita e é impossível não gostar das aberturas. Deixo aqui a minha favorita:

Ah, e você entende o lado do vilão ficando naquela relação de amor e ódio com o que ele pensa e como ele age. Na verdade, você sente amor e ódio por todos os personagens antes de chegar em um consenso.

Além dessa temporada, Psycho-pass tem um total de 3 temporadas e 4 filmes. Muita gente critica a segunda temporada, mas garanto que vale à pena você assistir a tudo!

Escrito por

André Uggioni

Co-Fundador

Editor-chefe | Host do CúpulaCast

Criciúma - SC

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.
Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!