Análise

Live-action: 10 ótimos filmes que você pode ter deixado passar

Live-action: 10 ótimos filmes que você pode ter deixado passar
30 minutos para leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Para além do live-action, poucos devem saber, mas o cinema japonês já viveu dias de glória. Existem diversos filmes da terra do sol nascente que podem ser considerados clássicos:

  • Godzilla (1954) – Ishirô Honda
  • Rashômon (1950) – Akira Kurosawa
  • Myamoto Musashi (1956) – Hiroshi Inagaki
  • Guerra e Humanidade (1959) – Masaki Kobayashi
  • Hakari (1962) – Masaki Kobayashi

Além disso, muitos diretores hollywoodianos são declaradamente fãs dos filmes do cinema japonês, como Quentin Tarantino e Steven Spielberg. E não é para menos, afinal, algumas dessas obras citadas acima já ganharam até mesmo o Oscar.

Porém há alguns detalhes que precisam ser levados em consideração ao assistir um filme japonês.

Primeiramente, a cultura do japão é totalmente diferente da nossa, então certos costumes são presente em qualquer obra. E muitas vezes isso pode causar estranhamento em alguns desavisados.

Meu conselho é: assista a esses filmes de cabeça aberta e aceite que há diferenças culturais.

Segundo, bons filmes japoneses ou são muito antigos, chegando a ser em preto e branco, ou possuem baixo orçamento. Todavia, em ambos os casos, não se apegue à esses detalhes. Procure se concentrar na trama e na qualidade da direção que o sucesso é garantido.

Se você acatar esses dois conselhos, porque garanto que, para aqueles que se aventurarem por essa lista, pelo menos meia dúzia desses filmes irão agradar.

Sendo assim, vamos começar nossa lista de live-actions!

1) O Lobo Solitário

Live-action, a direita samurai carregando seu filho empurrando um carrinho, capa do manga a esquerda
  • Genero: Ação, aventura, drama
  • Direção: Kenji Misumi
  • Lancamento: 1972 – 1974
  • Estúdio: Toho Company
  • Material base: Mangá

SINOPSE

Ogami Itto, do clã Ogami, é executor do shogun, sendo ele a única autoridade para matar um daimyo (senhor feudal). Além disso, uma família rival ao clã arquiteta um farsa para acusar Itto de traição e condená-lo ao seppuko. Porém, o samurai não se mata e escolhe trilhar a estrada do assassino (Meifumado), apenas um lobo e sua cria no caminho da vingança.

Vou começar essa lista metendo os dois pés no peito, pois de todos os filmes dessa lista esse de longe é o meu favorito.

E não estou sozinho nessa. A hexalogia do Lobo Solitário (do inglês: Lone Wolf and Cub) é sem dúvidas um clássico entre os clássicos.

DVDs o lobo solitário

O mangá possui 28 volumes e foi publicado entre 1970 e 1976. Aqui no Brasil o mangá circulou entre as décadas de 1980 e 2000, mas sempre com interrupções. Somente em 2016 que editora Panini Comics publicou esse clássico e o concluiu com 28 volumes.

Esse live-action representa o mangá com fidelidade a trajetória de Ogami Itto e seu filho Daigoro.

Tomisaburô Wakayama, é claramente um dos responsáveis pelo sucesso desse filme. A atuação do astro é admirável, e nem por um único minuto do filme você duvida que ele é um samurai extremamente habilidoso e obstinado.

Mesmo com seus quase 50 anos, essa série de filmes é a frente de seu tempo, com uma direção e fotografia de tirar o chapéu.

Para aqueles que são fãs de Quentin Tarantino (assim como eu) esse filme é um prato cheio de tudo aquilo que o cineasta emprega no seus filmes.

2) Initial D

Live-action initial D: Filme a esquerda, com 4 personagens encostado em um carro, manga a direita, homem vestindo uma camisa verde a calça bege abrindo o capo do carro
  • Genero: Ação, aventura, drama
  • Direção: Alan Mak, Wai-Keung Lau
  • Lancamento: 2006
  • Estúdio: Basic Pictures
  • Material base: Mangá/anime

SINOPSE

A história se passa na província de Gunma, e conta como protagonista Takumi Fujiwara, um garoto de 18 anos que ajuda seu pai em uma loja de tofu. O trabalho do protagonista consiste em fazer as entregas do tofu, e para isso ele usa o carro de seu pai um Toyota Corolla Sprinter Trueno GT-APEX, também conhecido como AE-86.

O live-action de Initial D é sem dúvidas bem fiel ao material base, talvez porque seja mais fácil reproduzir rachas em um filme do que em um papel. Mas nem por isso essa tarefa é simples.

A fluidez das cenas de drift, a habilidade dos motoristas e a direção do filme ajudaram com que essa obra seja lembrada como um dos bons live-actions que existe.

Impossível falar de drift e não falar de Initial D.

Não sei ao certo, mas se não foi o live-action ao menos o mangá/anime serviu de inspiração para Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio.

3) Battle Royale I e II

Live-action: Capa manga a esquerda, estudantes apontando a arma para um menino, enquanto ele aponto a arma para outros, a direita capa do DVD um turma de estudantes sentados para uma foto
  • Genero: Ação, aventura, drama, suspense
  • Direção: Kinji Fukasaku
  • Lancamento: 2000
  • Estúdio: Anchor Bay Entertainment
  • Material base: Mangá

SINOPSE

Num futuro não tão distante, 42 alunos do colégio de Shirowa são levados para uma ilha deserta por um exército misterioso. Assustados, são informados pelo ex-professor Kitano de que irão participar de um jogo cuja a regra é matar ou ser morto. Ou seja, apenas a última pessoa viva, terá o direito de retornar para sua casa. Com esse intuito, cada aluno recebe uma garrafa de água, um pouco de comida e uma arma. O jogo tem duração de três dias...

O mangá foi originalmente concluído no ano de 1996, mas lançado apenas no início dos anos 2000 na revista Young Champion da Akita Shoten.

Foram 15 volumes tankobon. No Brasil a série foi publicada pela editora Conrad, entre 2007 e 2011.

Acredito que foi essa foi a história que deu origem aos famigerados jogos Battle Royales que conhecemos hoje, tais como: PUBG, Free Fire, Fortnite, entre outros.

Então, se você é fã desse tipo de jogo você não pode perder esse filme.

Mesmo sua trama sendo simplória, não focando em elementos políticos como Jogos Vorazes, a crueldade psicológica em forçar a matar amigos de classe é muito maior do que matar um total desconhecido.

Contudo, como todo live-action, mesmo dividido em dois filmes, a trama é um pouco corrida e o desenvolvimento de personagem muitas vezes é raso.

Porém, apesar de ser um filme japonês meio desconhecido, ele foi bem dirigido e sua adaptação foi satisfatória. Além disso, o filme não apela para folclores típicos de filmes orientais.

Vale ressaltar que a atuação do ator Tatsuya Fujiwara é muito competente e nos convence.

4) Ichi

Live-action a esquerda, mulher desembainhando uma espada, manga a esquerda, mulher de capelo branco e kimono segurando uma espada
  • Genero: Ação, aventura
  • Direção: Fumihiko Sori
  • Lancamento: 2008
  • Estúdio: FUNimation Entertainment
  • Material base: Mangá

SINOPSE

Ichi é uma ”goze” (mulher cega) que ganha a vida cantando e tocando shamisen. Porém, devido ao fato de ser cega, mas possuidora de uma grande beleza, as pessoas tentam abusar de sua confiança e tirar vantagem de sua ”vulnerabilidade”. Entretanto, o que muitos não sabem é que ela é uma exímia espadachim, destemida e obstinada. Na história, a jovem vaga pelo japão em busca do espadachim cego que a tratou como um pai e a ensinou a manejar a espada.

O live-action de Ichi tem uma qualidade excepcional, e não poderia ser para menos, já que a sua produtora é nada mais nada menos que a Warner Bros.

Para fins de comparação a qualidade, em todos os aspectos se assemelha e muito a nova renomada adaptação do Samurai X (Rurouni Kenshin, 2012).

O mangá Ichi foi finalizado com 39 capítulos em 7 volumes, entre os anos de 2008 e 2011, porém o mesmo não foi lançado no Brasil.

Além disso, uma curiosidade é que a história desse filme tem ligação direta com o nosso próximo item da lista, pois o samurai cego que ela procura é nada mais nada menos que Zatoichi.

5) Zatoichi

Live-action a esquerda, samurai fazendo um corte para baixo, a direita capa manga, samurai segurando uma espada e um homem caido a frente
  • Gênero: Ação, aventura, drama
  • Direção: Takeshi Kitano
  • Lancamento: 2003
  • Estúdio: Miramax Films
  • Material base: Light novel/Mangá

SINOPSE

Japão, século 19. Zatoichi é um andarilho cego que sobrevive como massagista e jogador de cartas, mas por trás de sua aparência humilde esconde-se um espadachim de raro talento. Em uma de suas jornadas ele chega a uma aldeia dominada pelo sanguinário bandoleiro Ginzo, que, com a ajuda do samurai Hattori, elimina qualquer um que se oponha a seus desejos.

O filme live-action que eu venho recomendar aqui é The Blind Swordsman: Zatoichi. Fique atento, pois se você digitar no Google apenas ”Zatoichi filme” vai aparecer cerca de 30 adaptações diferentes.

Para você ter noção, o ator principal do primeiro live-action dessa lista, Tomisaburô Wakayama, protagonizou cerca de 26 filmes sobre o samurai cego. Sem dúvidas nenhuma, todos esses filmes devem ser bons.

O filme do Zatoichi ganhou ao todo seis prêmios incluindo o de melhor direção para Takeshi Kitano.

Falando do diretor, ele não só dirigiu como foi o escritor e protagonista do filme.

Diretor japones sentado em uma grua atrás de uma camera

A título de curiosidade Zatoichi possui uma aprovação de 87% no site Rotten Tomatoes, uma nota considerada muito alta para qualquer tipo de filme.

O mangá de Zatoichi foi publicado em 1966 e contém apenas um volume. No Brasil o mangá foi publicado pela Panini com o nome de ”A lenda de Zatoichi”.

6) Edge of Tomorrow

Live-action a esquerda, homem e mulher em uma armadura de combate. Manga a esquerda, capa toda azul com um homem de boca aberta gritando
  • Gênero: Drama, Sci-fi, Fantasia
  • Direção: Doug Liman
  • Lancamento: 2014
  • Estúdio: Warner Bros. Pictures
  • Material base: Mangá

SINOPSE

Quando a terra é tomada por alienígenas, Bill Cage, relações públicas das Forças Armadas dos EUA, é obrigado a ir para a linha de frente no dia do confronto final. Inexplicavelmente ele acaba preso no tempo, condenado a reviver esta data repetidamente. A cada morte e renascimento, Cage aprende com seu erros e se aperfeiçoa suas técnicas de combate, além do fato do mesmo conseguir antecipar os acontecimentos futuros. Com isso, Cage tem a chance de mudar o curso da batalha com o apoio da guerreira Rita Vrataski.

Talvez esse seja o filme mais conhecido dessa lista.

Mas o que poucos sabem é que ele é uma adaptação de uma light novel/mangá conhecida como All You Need Is Kill. No Brasil, o mangá foi publicado pela editora JBC em dois volumes no ano de 2014.

O mais incrível é que essa adaptação é extremamente fiel ao material base. Admiro como eles conseguiram compilar dois volumes de mangá em um filme de aproximadamente duas horas.

Há alguns acontecimentos um pouco divergentes entre os materiais, porém nada que comprometa a qualidade de ambos. Sendo assim, é fácilmente uma das melhores adaptações de todos os tempos.

Sem dúvidas, os live-action futuros deveriam se atentar para essa adaptação hollywoodiana para aprender com seus acertos.

Além disso, focar em entregar algo que agrade tanto os fã do mangá quanto ao público geral do cinema, pois a recepção geral desse filme foi ótima, arrecadando o dobro do seu orçamento.

7) Koroshiya Ichi

Live-action a esquerda, homem japones loiro, chieo de cicatrizes e piercings olhando de cima para baixo. A esquerda manga, homem cheio de cicatrizes olhando de cima para baixo com sua boca rasgada de um lado alargando o sorriso
  • Gênero: Drama, Horror, Gore, Ação
  • Direção: Takashi Miike
  • Lancamento: 2003
  • Estúdio:
  • Material base: Mangá

SINOPSE

Os membros de sua gangue, liderados pelo masoquista Kakihara, saem em busca de Anjo, mas os métodos extremamente violentos do novo líder acabam chamando a atenção negativamente de gangues rivais. Tudo piora quando ele se depara com um misterioso assassino psicopata Ichi, controlado por um policial aposentado.

Sem dúvida nenhuma esse live-action é para poucos, porque além do seu conteúdo extremamente gore, ele é um filme trash.

Para aqueles que não sabem, esse último gênero define aqueles filmes que propositalmente fazem uso de efeitos ”toscos”, má interpretação de atores, baixo orçamento, etc.

Porém, mesmo ele sendo um filme trash, ele é um filme cultuado é há uma legião de fãs deste filme ao redor do mundo. Recentemente, em 2018, esse filme ganhou uma versão remasterizada completamente em HD, tornando-o mais “assistível” nos dias atuais.

Mas, repetindo, esse filme é para aqueles que curtem uma ”trasheira braba”.

Para aqueles que gostam de uma boa história, recomendo fortemente ler o mangá Koroshiya Ichi de 1998, escrito e ilustrado pelo incrível Hideo Yamamoto, no Brasil conhecido pelo título Homunculus.

8) Dragon Tiger Gate

Live-action a esquerda, três homens e pose de luta na capa. Manga a direita, três homens em pose de luta
  • Gênero: Ação, Aventura, Drama, Artes Marciais
  • Direção: Donnie Yen, Wilson Yip
  • Lancamento: 2007
  • Estúdio: Mandarin Films
  • Material base: Manhua

SINOPSE

Dragon Tiger é uma facção das artes marciais fundada por Tiger Wong, Dragon Wong e Turbo Shek. Três jovens que acreditam piamente na justiça e na verdade. Quando eles se apoderam, sem querer, de uma placa dourada, símbolo de uma das maiores organizações criminosas do Oriente, o “Lousha Gate“, passam a ser alvo de um poder amaldiçoado, provocando uma verdadeira batalha entre o Bem e o Mal.

Dragon Tiger Gate é o live-action de um manhua de nome Cover of Oriental Heroes (do português: Heróis Orientais), porém desconheço tradução do nosso idioma para essa obra.

Oriental Heroes é um dos manhuas mais famosos da China, e sua publicação se deu início em 1970 e se mantém até os dias atuais.

O filme é uma fantasia oriental, conhecido pelo gênero Wuxia.

Esse gênero é conhecido pelo excesso de ”fantasia”, poderes, e até mesmo seres espirituais.

Alguns filmes ficaram bem famosos no Brasil, como O Tigre e o Dragão, O Clã das Adagas Voadoras e Herói, bem como muitos filmes do Jet Li, que é ator referência desse gênero.

O filme protagonizado por Donnie Yen é um pouco datado, mas se você é fã de filmes de arte marcial com certeza você irá gostar desse.

Todavia, sua direção é interessante com planos sequências bons. As cenas de ação são bem coreografadas, e o ponto alto do filme é o fato de cada um dos três protagonistas lutar um estilo diferente, Dragon com os punhos, Tiger com os pés e Turbo com o nunchaku.

9) Lady Snowblood

Live-action a esquerda, mulher com o kimono manchado de sangue segurando uma faca. Manga a direita, capa amarela com uma mulher segurando uma faca
  • Gênero: Drama, mistério, suspense
  • Direção: Toshiya Fujita
  • Lancamento: 1973
  • Estúdio: Toho Company Ltd.
  • Material base: Mangá

SINOPSE

O filme se passa no ano 7 do Período Meiji no Japão, uma era de transição de sua cultura feudal para a revolução cultural e social, quando o país começou a tornar-se economicamente e tecnologicamente estável. Nesta época de instabilidade e caos nasce a Filha do Submundo, em uma prisão, onde permanece com sua mãe até a morte da mesma. Desde criança então Lady Snowblood é doutrinada a suprimir todo o sentimento de clemência ou piedade para sair em busca da vingança de sua mãe que havia sido estuprada e motivada a assistir o assassinato brutal sua família.

O live-action de Fujita tornou-se um clássico cult após o diretor Quentin Tarantino assumir publicamente que a maior inspiração para Kill Bill está em Lady Snowblood.

A personagem de Lucy Liu, foi inspirada na protagonista, assim como a luta na neve de Kill Bill volume 1 foi baseada na cena final do filme.

O mangá de Lady Snowblood foi lançado entre os anos de 1972 e 1973, possuindo um total de quatro volumes. Porém, infelizmente, o título não foi lançado no Brasil, sendo assim sendo pouco conhecido.

Para aqueles que são fã do Quentin Tarantino, esse é um filme indispensável. É fácil reconhecer as inspirações do cineasta ao longo desse live-action.

Sem contar que, de qualquer forma, o filme é bom e vale a conferida.

Mas lembrando sempre que trata-se de um filme de quase 50 anos, por isso não esperem efeitos realistas e uma narrativa tradicional dos dias de hoje.

10) Shinobi: Heart Under Blade

Live-action a esquerda, homem abraçando uma mulher a frente e ao fundo ninjas em poses ninjas saltando de frente a lua. Capa do manga, homem e mulher opostos um ao outro
  • Gênero: Ação, Aventura, Drama, Artes Marciais
  • Direção: Ten Shimoyama
  • Lancamento: 2007
  • Estúdio: FUNimation Entertainment
  • Material Base: Anime/Mangá

SINOPSE

O ano é 1641, dois dos maiores clãs ninjas, Koga e Iga, ambos são inimigos, mas têm um acordo de não guerra um com o outro. Os herdeiros dos líderes de ambas vilas se apaixonam sem saber que um é inimigo do outro por causa das tradições dos clãs. Mas um trágico destino espera o casal, é lançada uma maldição sobre a existência das famílias que coloca as duas vilas em uma batalha. Os melhores ninjas de Koga e Iga são escolhidos para lutar e Gennosuke Albora, o casal apaixonado, é colocado frente a frente como inimigos.

Shinobi: Heart under Blade é baseado no anime/mangá Basilisk: Kouga Ninpou Chou. O anime é do estúdio Gonzo, contém 24 episódios e foi lançado no ano de 2005.

Esse live-action tem um qualidade acima da média da maioria que é lançado atualmente. Porém, ele peca um pouco no quesito design, pois o mesmo tentou ser muito fiel ao material fonte e acabou causando certa estranheza quando emulado para a realidade.

Além disso, para aqueles que gostam de filmes de ninjas e samurais que usam poderes mágicos, esse com certeza vai agradar.

Contudo, o filme possui um ritmo um pouco lento, assim como o anime. Mas, o mesmo vale uma terça a noite de bobeira.

Menção honrosa

1) Os Sete Samurais

Capa do DVD os Sete Samurais, a esqueda sinopse do filme a direta os sete samurais
  • Gênero: Ação, Aventura, Drama, Histórico
  • Direção: Akira Kurosawa
  • Lancamento: 1956
  • Estúdio: Columbia Pictures
  • Material base: Original

SINOPSE

No século XVI, durante a era Sengoku, quando os poderosos samurais de outrora estavam com os dias contados pois eram agora desprezados pelos seus aristocráticos senhores. Kambei, um guerreiro veterano sem dinheiro, chega em uma aldeia indefesa que foi saqueada repetidamente por ladrões assassinos. Os moradores do vilarejo pedem sua ajuda, fazendo com que Kambei recrute seis outros ronins, que concordam em ensinar os habitantes como devem se defender em troca de comida. Os aldeões dão boas-vindas aos guerreiros e algumas relações começam. Katsushiro se apaixona por uma das mulheres locais, embora os outros ronins mantenham distância dos camponeses. O último dos guerreiros que chega é Kikuchio, que finge estar qualificado mas na realidade é o filho de um camponês que almeja aceitação.

Que lista de filmes japonês sem vergonha seria essa se não contasse com um dos maiores títulos da história do cinema?

Os Sete Samurais tem um total de 100% de aprovação da crítica especializada e 97% de aprovação da comunidade no site Rotten Tomatoes, e isso é algo completamente incrível se tratando de um filme japonês de 1954.

Apesar de Os Sete Samurais não ser um live-action, eles deram origem a uma centena de filmes e séries, além de adaptações para mangás e animes.

O anime Samurai 7 foi feito pelo estúdio Gonzo e lançado no ano de 2004, contendo 26 episódios, e é uma adaptação muito fiel ao filme (se não levar em consideração os mechas), conseguindo captar sua essência.

Capa do anime os sete samurais.

Akira Kurosawa é um dos diretores mais cultuados do mundo, e seus filmes serviram de inspiração até mesmo para clássicos, como Star Wars.

George Lucas nunca fez questão de esconder que é fã do diretor. Se tiver interesse em saber mais sobre as referências, da uma conferida nesse link.

2) Casshern

Capa live-action Casshern, homem de perfil usando uma mascara ninja
  • Gênero: Ação, Aventura, Drama, Sci-fi, Fanstasia
  • Direção: Kazuaki Kiriya
  • Lancamento: 2007
  • Estúdio: Go Fish Pictures
  • Material base: Anime/Mangá

SINOPSE

É quase final do século XXI. Decorridos cinquenta anos de uma guerra devastadora entre a Europa e a Federação do Leste, esta última emergiu vitoriosa e foi formada uma nova federação, que recebeu o nome de Eurásia. Já não é mais possível se viver na glória da paz, porque que o planeta é varrido pelos efeitos das armas biológicas. Toda a raça humana é vítima de conflitos que já duram meio século. Porém, um cientista genético chamado Dr. Azuma consegue trazer uma nova esperança na forma do que ele chama de neo-célula. Essa célula tem o poder de rejuvenescer partes do corpo humano sem causar riscos de rejeição. Entretanto, a natureza interfere no caminho da ciência para criar uma nova ameaça, que obriga toda a humanidade a enfrentar a última guerra contra sua própria extinção.

Casshern é baseado no anime Casshan que foi lançado em 1973 que contém 35 episódios.

Apesar desse filme ser realmente um live-action, eu coloquei ele na menção honrosa pois acredito que ele não seja um filme recomendável.

Porque mesmo eu tendo assistido a Casshern: Reencarnado do Inferno inúmeras vezes (pois eu tinha o DVD desse filme), acredito que hoje em dia ele não seja como nas minhas memórias.

Afinal, o filme é praticamente inteiro em CGI. Ou seja, os efeitos já ficaram bem datados e difícil de engolir hoje em dia.

Mas, se você é daqueles que não se importam com esse tipo de coisa, da uma conferida. Talvez ainda valha a pena.

De qualquer forma, tem uma cena no Youtube que eu ainda achei bem legal. Apesar de tosca. Confira abaixo:

Finalizando…

Filmes e animes são dois tipos de artes distintos mas que tentam se convergir em um certo ponto. Contudo, amantes de filmes podem não gostar de animes. E o contrário também é válido.

Além disso, a maioria dos filmes dessa lista, ou a pessoa vai gostar por ser fã do anime/mangá, ou ela vai gostar porque é fã de filmes e aprecia essa arte para além do seu entretenimento.

Ou seja, é fato que essa lista de live-action reflete meu gosto pessoal. Afinal, fui eu quem montei ela. Sendo assim, há quem vá concordar, e também haverão aqueles que vão discordar.

Em suma, procurei elencar filmes poucos conhecidos. Na verdade, foquei naqueles eu já tivesse assistido, porém que fossem relevantes em um contexto geral, não apenas no universo otaku. E acreditem, não foi fácil.

Com certeza muitos filmes ficaram de fora dessa lista, mas não pense que foi por mal. Se você conhece outros live-action que mereciam estar aqui, mesmo os mainstream, fique à vontade para ampliar ainda mais essa lista nos cometários e aumentar o nosso acervo de filmes.

Escrito por

Pedro Bernardes

Profissional de Educação Física

Cult | Atleta | Leitor compulsivo

Belo Horizonte - MG

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.
Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!