Cúpulacast
E24

Animes (ou mangás) de romance precisam mudar?

Duração: 56min

O romance, como gênero, já está presente nas produções audio-visuais desde que surgiram os primeiros contadores de histórias, e estes, surgiram com a humanidade. Afinal, seres humanos vivem contando histórias! E bem, por isso que animes de romance são tão cativantes.

Ou será que não?

É sobre isso que este episódio do CúpulaCast trata, pois nele, André, Dudi, Patrick e o convidado Wesley entram numa romântica discussão sobre animes e mangás de romance.

Por que gostamos de romance? Quais são bons exemplos de bons animes de romance? Até que ponto é clichê de gênero? Quem diabos é Willian!? O André já viu TODOS os animes de romance escolar!!??

Escute agora mesmo o episódio sobre animes de romance para responder essas e outras perguntas, e também participar do grande debate que esse episódio levanta: será que as histórias de romance ficarão mais ocidentalizados com o tempo, graças a internacionalização dos animes?

Você pode ouvir no Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts, Podbean e, claro, no nosso site! 

Deixe sua opinião pra Cúpula! Ali em baixo na sessão de comentários ou envie um e-mail para: [email protected].

Siga a Cúpula do Trovão!

cupulacast-podcast

Além disso, não deixem também de seguir a Cúpula nas principais redes sociais!

Alguns animes de romance citados no episódio…

Mas, afinal, animes de romance precisam mudar?

A grande ideia do episódio era chegar no ponto da discussão onde os membros da mesa teriam de responder a pergunta: animes de romance precisam mudar?

Porém, para chegar nesse ponto da discussão, todo um contexto foi adicionado, falando sobre os gostos pessoais do André, do Dudi, do Patrick e do Wesley, bem como suas visões sobre bons e ruins animes de romance.

Fora, claro, ótimas histórias de vida envolvendo “amor”, se é que me entendem…

Mas voltando ao assunto, o papo não seria sobre mudar como um todo, mas talvez mudar, principalmente, seu ritmo e alguns elementos da narrativa.

E por quê? Porque é evidente que os animes estão cada vez mais sendo produzidos para o mundo, e não somente para o Japão.

E por mais que aqui na Cúpula todos os 4 membros participantes do cast sejam amantes do romance típico japonês que nos é apresentado em animes e mangás, eles também são obrigados a admitir que essas histórias muitas vezes não vão atingir o povo num geral.

Por exemplo, é muito difícil para quem não é um consumidor ávido de anime conseguir digerir uma obra como Kimi ni Todoke, que tem uma narrativa lenta quase parando, e os personagens levam episódios e mais episódios para sequer darem as mãos.

Não que exista problema nessa demora, mas ela é atípica para os não-japoneses. Mas como foi antes comentado em um episódio sobre webtoons aqui do CúpulaCast, o público-alvo já não é mais somente o japonês.

Então, se um autor visa tornar sua obra um megahit, ele precisa se adaptar para atingir mais pessoas.

E como atingir mais pessoas?

Tentar atingir o mundo inteiro!

Participantes
 André Uggioni /
André Uggioni
 Lucas
Lucas "Dudi" Souza
 Patrick Fernandes/
Patrick Fernandes
 Wesley Dagostim/
Wesley Dagostim

    Gostou do artigo?

    Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

    Se inscreva e receba
    novidades exclusivas
    da cúpula do trovão!

    Ir para o topo