Notícias

Sério mesmo? Jump divulga ranking de popularidade de Demon Slayer!

4 minutos para leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

A revista Weekly Shonen Jump soltou recentemente um TOP 30 personagens mais populares de Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba e eu não poderia estar mais surpreso com o primeiro do ranque (dentre outras colocações).

A amostragem contou com mais de 130 mil japoneses, mas acho que foram 130.316 pessoas trollando! Porque não é possível! Abaixo, o ranque:

  • 1. Zenitsu
  • 2. Giyuu
  • 3. Tokito
  • 4. Tanjiro
  • 5. Shinobu
  • 6. Inosuke
  • 7. Rengoku
  • 8. Iguro
  • 9. Sanemi
  • 10. Kanao
  • 11. Nezuko
  • 12. Mitsuri
  • 13. Uzui
  • 14. Koku
  • 15. Genya
  • 16. Enmu
  • 17. Akaza
  • 18. Douma
  • 19. Sabito
  • 20. Yoriichi
  • 21. Kaigaku
  • 22. Himejima
  • 23. Muzan
  • 24. Tamayo
  • 25. Murata
  • 26. Kanae
  • 27. Yushiro
  • 28. Senjuro
  • 29. Chuntaro
  • 30. Haganezuka

Inacreditável. Eu simplesmente não consigo entender tamanho apego que as pessoas tem por esse personagem, mas pelo visto, não é só o Patrick, mas todo um grupo GIGANTE de pessoas que curtem o Zenitsu. Isso fora o fato de que a Nezuko ficou melhor colocada que o Akaza, sendo que ela mal é um personagem, é uma boneca.

Tokito na frente da Shonobu? Muzan em 23º? O cara falhou TANTO em ser um vilão carismático que ele ficou atrás do “Kaigaku”. QUEM É KAIGAKU? KKKKK’

Zenitsu, de Demon Slayer

Complicado. Quanto mais eu olho para a trajetória de Kimetsu no Yaiba (mangá), mais eu fico perplexo. Eu li do começo ao fim, e cara, que mangá mediano. Completamente NADA demais.

Outra hora quem sabe invisto meu tempo produzindo um artigo analisando parte por parte, mas, por hora, vou deixar só a recomendação para ouvirem os casts do Kitsune sobre o assunto.

É óbvio que tudo escrito acima (e abaixo) é minha opinião, mas isso não me tira o direito de estar decepcionado com os votantes.

EXTRA: Um comentário do produtor do anime de Demon Slayer sobre o mangá

Yuma Takahashi, um dos produtores responsáveis pela produção do anime de Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba, foi entrevistado pelo site japonês Mantan-Web do The Mainichi Shimbun. Na entrevista, ele comenta como o sucesso do anime foi reflexo da qualidade do material fonte (mangá).

Para fazer com que muitas pessoas assistam ao seu trabalho, é necessário que muitos fatores diferentes trabalhem juntos, mas um grande fator subjacente é o apelo do mangá original.

Embora possa haver pessoas que conheceram o mangá por meio do anime, isso por si só não gera um megahit. Independentemente de qualquer outra coisa, o mangá original é interessante.

Tentamos seriamente adaptá-lo para anime sem perder o apelo do mangá. Por causa da base lançada pelo trabalho original de alta qualidade, o ufotable [estúdio] foi capaz de fazer um anime maravilhoso. O seu trabalho árduo, a sua atitude séria em relação à adaptação e as suas técnicas também foram fatores.

Cara, quanta abobrinha. Sem maldade. Claro que o material original não é TÃO ruim assim. Digo, é um mangá que é objetivo, que vai direto ao ponto, sem enrolação. Além disso, existem (algumas) consequências reais para algumas ações, e ele é bem sucedido em contar a história que queria contar. E tem a Shinobu. Mas é só isso.

Ele repete a mesma fórmula narrativa de apresentações de personagens e inimigos. Fora que tem um ritmo que parece ter pressa, que deixa de lado algumas construções que ele mesmo cria, como o lance das espadas terem um metal específico, e coisas do tipo. Afinal, para o que qualquer detalhe assim importava? Eu respondo: para nada. Aconteceu com diversas coisas.

Chuvas de deus ex machina também acompanharam muito o roteiro de Demon Slayer. Evidentemente, desde que falei um pouco sobre o mangá aqui na Cúpula, ele envelheceu mal na minha cabeça.

Aliás, envelheceu tão mal que eu mal lembro das coisas (ou isso seria culpa minha?), mesmo com todo aquele hype que tínhamos depois do anime.

Detalhe: depois do anime

Quem sequer havia ouvido FALAR de Demon Slayer ANTES do anime?

Digo, ele não vendia mal. Na verdade, é o posto, a cada volume, o mangá ia aumentando suas vendas/volume. Porém falar que o mérito da EXPLOSÃO que foi Demon Slayer no ano passado é, principalmente, da história, é muito descaso com o estúdio ufotable.

O ufotable entregou tudo que quem gosta de shounen de porrada gosta: um ritmo lento de adaptação, com muitas cores fortes, músicas incríveis e, principalmente, uma das melhores animações que o mercado já viu.

E eu sei que o anime está aí para aumentar as vendas do original. Beleza, óbvio que sim. Agora, virar a FEBRE que virou? Não. Nenhum mangá fez isso. E nenhuma produção de anime por si só conseguiria fazer isso.

Essa curva virou uma RETA para cima, chegando aos mais de 100 MILHÕES! Nenhuma produção, nenhuma história faz isso. Nem Shingeki, nem Death Note, nem One Piece, nem Naruto, nem Dragon Ball. Nada. Só Demon Slayer. Só a internet e o HYPE TRAIN coletivo que foi a animação LINDA do ufotable.

O fato histórico de Demon Slayer (que foi ultrapassar One Piece) ocorreu por causa da INTERNET, mas vocês não estão preparados para essa conversa. Se fosse para botar em ordem, diria que é INTERNET >>> ANIME >>>>>> MANGÁ.

Sendo assim, discordo das palavras do produtor. Acredito que Demon Slayer passaria LONGE de ser o que foi se não fosse o anime.

Fonte: ComicBook e OtakuPT

Escrito por

André Uggioni

Co-Fundador

Editor-chefe | Host do CúpulaCast

Criciúma - SC

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.
Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!