Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Fena: Pirate Princess ou Kaizoku Oujo, é aquele anime que chega na lanterninha da temporada, até o anuncio da data de estreia dele veio em cima da hora. E errei na hora de fazer a RD3, porque estreou com 2 episódios, mas achei que tinha sido apenas um, haha.

Geralmente essas produções originais deixam o pessoal com o pé atrás, principalmente se tratando de Crunchyroll, que aqui fez uma parceria com o bloco Adult Swin. Um exemplo sobre pé atrás foi o Dudi comentando numa das Quarthunders da Cúpula que é um anime curto com muitos personagens, e assim era de ficar desconfiado.

Todavia, se posso afirmar algo é que Fena: Pirate Princess foi uma surpresa. Apesar de que só abracei essa RD3 porque os trailers do anime estavam lindos!

Fena-Pirate-Princess-visual
  • Gênero: Ação, Aventura
  • Estúdio: Production I.G (Haikyuu!!, Psycho-Pass)
  • Material fonte: Original
  • Episódios: 12
  • Diretor: Kazuto Nakazawa (B: The Beginning, Sakamichi no Apollon)
  • Novos episódios: Sábados
  • Página do anime na Cúpula e no MAL

Uma jornada herdada?

Fena: Pirate Princess trata sobre a jornada de uma bela garota de olhos claros e cabelos brancos, chamada Fena Hautman, atrás de descobrir os mistérios envolvendo suas memórias.

Órfã, Fena foi criada como serva em um bordel numa ilha chamada Shangri-la. Sua vida muda quando, depois de 10 anos ali, ela foge para uma misteriosa ilha de piratas, com a ajuda de velhos amigos. A Ilha Goblin, para onde à levam, é uma estranha ilha que surge em meio a névoa e nuvens.

Fena Pirate Princess - Otto, Fena e Salman na Ilha Goblin
Otto, Fena e Salman

Engraçado que a aparição desta ilha me fez lembrar do livro As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley. Isso porque que a verdadeira ilha de Avalon ficava oculta na névoa.

Assim, ela descobre que há uma verdade por trás de sua família, e uma relação antiga entre os habitantes da ilha e a família Hautman. E, com Fena sendo a única capaz de desvendar os segredos de seu passado, ela aceita assumir seu lugar como capitã pirata, de uma tripulação de samurais (ou seriam ninjas?) um pouco desajustados, para uma aventura em alto mar, afim de traçar novamente os passos de seu pai, e encontrar o Eden, seja lá o que for.

Os piratas Samurais

Espera, como assim “Piratas Samurais” Ninjas?

Então, é exatamente o que você leu haha. Na Ilha Goblin a nossa protagonista conhece sete guerreiros, que possuem um juramento de proteger a família Hautman, mas que não sabiam que Fena estava viva até então. Ambos são samurais com grandes habilidades.

Entre eles está Yukimaru Sanada, o garoto que havia salvo ela no passado, colocando-a sozinha num barco a deriva para fugir do barco onde viajavam com o pai de Fena. Falando assim parece um pouco cruel, mas ele fez uma única promessa de encontrá-la novamente, e bom, aqui estamos.

Yukimaru inclusive é uma alusão ao samurai Yukimura Sanada, e possivelmente um descendente do mesmo, já que seu capacete traz o brasão de Sanada na testa.

Ademais, é engraçado notar como ambos, Fena e Yukimaru, parecem que nunca deixaram de pensar um no outro nos dez anos que se passaram. Aliás, a animação é recheada de humor e foi até diferente da minha expectativa, já que achei que seria uma obra mais séria.

A produção é de uma qualidade incrível: possui cenários muito bonitos, não decepciona nos traços e movimentação, muito menos na trilha sonora ou vozes dos personagens.

Nesse interim, apesar da grande quantidade de personagens todos eles são bem interessantes e apresentam características e habilidades únicas. Além disso, os designs deles são muito bons, principalmente das Piratas que são enviadas atrás de Fena no terceiro episódio!

Por algum motivo, na minha cabeça, as aparências e expressões dos personagens nessa animação me lembram um pouco de Lupin III, todavia não consigo pensar num motivo óbvio para isso. Alguém consegue me elucidar?

Finalizando as minhas primeiras impressões de Fena: Pirate Princess

Sei que nem falei muito, mas é porque não tem muito o que dizer mesmo, haha. O primeiro episódio do anime parece um pouco daqueles animes que são passáveis, mas ele melhora bem no segundo e terceiro, e acaba falando por si só.

Apesar de que só interessei em ver porque os trailer foram lindos (sim, julguei completamente pela capa), o anime me surpreendeu pela qualidade da produção. No fim me vi me divertindo assistindo ele, gostei da forma que apresentam o plot, e o “pequeno mistério” por trás do antagonista do anime.

Espero que mantenha o ritmo gostoso de acompanhar nos episódios seguintes e desenvolva um pouco mais sobre Fena e sobre os vilões da história.

E espero que o final seja bom também, quero saber o que é o Eden!

E vocês estão gostando?

Fena, A pirata

Escrito por

Luiz Rudolf (Matahashi)

Escritor e Faz Tudo

Curioso, Mangázeiro e defensor de Slam Dunk.

São José dos Pinhais - PR

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!
Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.