Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

As primeiras impressões de Onyx Equinox chegaram atrasadas para a temporada mas com certeza não deixará de ser notada. Essa é uma das primeiras produções da Crunchyroll que tem um estilo totalmente ocidentalizado. E não é de se surpreender, já que essa é uma animação mexicana/estadunidense.

Criada por Sofia Alexander, Onyx Equinox com base nas mitologias da Mesoamérica, apresenta divindades Astecas, Zapotecas e Maias.

Interessante?

Muito!

Bem executado?!

Vamos chegar lá.

Izel, protagonista de Onyx Equinox com o punho para frente sangrando
  • Gênero: Fantasia, aventura, ação
  • Estúdio: Crunchyroll Studios
  • Material: Original
  • Episódios: ?
  • Novos episódios: Sábado
  • Página do anime: (na Cúpula)

Sinopse de Onyx Equinox

Onyx Equinox acompanha a história de um jovem asteca chamado Izel, salvo da morte pelos deuses para se tornar o “campeão da humanidade” e salvar a raça humana da perdição. Em sua jornada, ele será forçado a descartar sua apatia e insensibilidade e provar o potencial dos humanos.

Acho que é muito difícil pensar em Onyx Equinox e não pensar em Avatar a Lenda de Aang. Primeiro, por sua animação ser muito similar. Segundo, por sua temática ser diferente do que estamos habituados a ver.

De fato, essa animação é muito bonita, com cores vibrantes, principalmente nos tons de azul, que dão um ar de “tecnologia/magia?!” (talvez).

O grande atrativo dessa obra é sua temática. Deuses, monstros, ritos, tradições, civilização, absolutamente tudo vai ser novidade para grande parte do publico.

Mas, o ponto é: será que tudo isso é bom?

O mais legal em Onyx Equinox

Sem dúvidas, as primeiras impressões de Onyx Equinox são seus deuses “estilosos”.

Mesmo aparecendo pouco, e ao mesmo tempo não assumindo suas formas originais, é inegável que eles tem muita presença.

Um dos deuses de Onyx Equinox soltando fumaça pelo nariz

A ambiguidade de suas ações é outro ponto forte. Não da para saber ao certo o que eles querem, de que lado estão e se realmente estão tentando agir em conjunto e em “prol” da humanidade.

É uma pena que eles aparecem apenas no primeiro episódio, e por enquanto não há muitos indícios de que irão aparecer de novo.

Porém, se a obra resolver trilhar pelo caminho, no qual aparecerá mais deuses e batalhas entre eles. Sem dúvidas que as coisas vão ser bem interessantes.

Mas, temos que nos contentar com o que temos por agora, e esse agora ainda é meio morno.

Vale ressaltar também que Onyx Equinox é bem violento. Praticamente todo episódio tem alguma cena de gore explicito.

Uma mão decepada e tripas espalhadas pelo chão

Dado o teor dessa obra, essa cenas ficam gratuitas, visto que essa animação tem muito mais “cara” de algo infanto-juvenil do que adulto.

Essa escolha é bem em cima do muro e arriscada, uma vez que ela pode não agradar as crianças, que com certeza irão assistir, e muito menos os adultos, que podem achar alguns aspectos “infantis”.

O “nem tão legal assim”

Onyx Equinox faz algo inusitado, sai da zona de conforto, e tenta arriscar com uma temática ainda pouco abordada.

O problema é que é tudo muito igual: personagens, aldeias, monumentos e cenários são todos parecidos.

Nos três primeiros episódios passamos por um três lugares diferentes, mas que ao mesmo tempo é tudo a mesma coisa.

Falta pluralidade!

Ainda mais por tratar-se de uma temática de três civilizações diferentes: Astecas, Zapotecas e Maias.

Outro ponto, não que seja um defeito, mas a dupla principal, que é composta por Yaotl (uma pantera demoníaca) e Izel (o bebê chorão), ainda precisam se provar com mais “carisma”.

Yoltl esmagando um monstro

O primeiro é muito legal, badass, full pistola e boladão. O segundo ainda é um personagem bem clichê. Inseguro, imaturo, covarde, burro, chorão e mais quantos adjetivos negativos vocês quiser inserir.

Izel assustado com alguma coisa

Porém, ele é uma criança, desta forma esse clichê ainda pode ser relevado. Mas, de fato, ninguém vai aguentar uma temporada inteira se ele mantiver esse tipo de personalidade.

Algo importante é que ao mesmo tempo que tudo é muito original, não deixa de ser tudo muito similar (ao menos para mim).

Vou exemplificar…

Similaridades com outras obras

As minha primeira impressão de Onyx Equinox foi: “Que tipo de Avatar é esse?!”

Brincadeiras à parte… Como disse anteriormente, a primeira similaridade que temos é animação. Mesmo com etnias diferentes do habitual, os personagens parecem que saíram de alguma tribo do Avatar. Da até para rolar um crossover.

Mesmo sendo o que mais tem de legal nessa obra, essa temática de deuses versus humanidade já foram usadas em várias outras histórias.Mas, isso por si só não é o suficiente para dizer que é similar à algo a ponto de “copiar”. Onyx Equinox é inegavelmente parecido com Feng Shen Ji.

É claro que não estou apontando o dedo e falando que Onyx Equinox é “ruim” por isso. Só digo que esses fatores não são o que o tornam original.

Deuses-Feng-Shen-Ji lutando
Mas, Feng Shen Ji é muito superior em todos os quesitos (por enquanto)

Aliás, Temos uma análise completa da primeira parte desse manhua, não tem como negar, porque até como Onyx Equinox se inicia, lembra essa obra chinesa.

Por fim, o personagem Yaotl (o bichão).

Ele é o Kratos em forma de bicho. É ”boy” para cá, “boy” para lá; está sempre puto e pronto para tirar as tripas do primeiro que aparecer.

Claro, nada disso diminui (muito) a obra. Mas é algo que não da para deixar de notar.

Mas afinal, quais são minhas primeiras impressões de Onyx Equinox?

Falei, falei e falei e a pergunta que ainda não foi respondida, permanece no ar: minhas primeiras impressões de Onyx Equinox são boas ou ruins?

Essa é uma pergunta de difícil resposta, ainda mais com apenas esses três primeiros episódios.

Num todo, ainda não está bom. Porém, há momentos muito bons, que nos deixam com vontade de querer ver mais, só também há momentos ruins, que nos faz virar os olhos.

É uma oscilação que ainda não cansou, mas vai cansar cedo ou tarde se mantiver assim. Além dos momentos “piegas”, com uma “forçassão” de barra para o drama Fora o Izel que ainda é bem “chatinho”.

Vai ter que acontecer alguma coisa para deixar o personagem mais interessante. Uma vez em que é ele quem move a trama.

Finalizando…

Onyx Equinox é uma produção original. A mais original da Crunchyroll.

Fato!

Mas isso por si só não o deixa tão original assim, quando comparada com outras histórias ou games.

A história tem muito potencial, mas pelo andar da carruagem, com base nas últimas obras originais da Crunchyroll, como Noblesse, The God of High School e Tower of God, é muito provável que seja mais um “hoje não”.

Um universo rico e criativo, em meio a uma temática original (essa sim é original, ou você já viu anime sobre a cultura Asteca?) desperdiçado em um roteiro apressado e com gana de tentar agradar a fanbase de animes a todo custo.

Mas, no geral eu recomendo assistir a obra e ver no que essa história vai dar. Vamos torcer pelo melhor!

E aí, o que achou das minhas primeiras impressões de Onyx Equinox?!

Da para concordar com os meus pontos, ou forcei a barra com meus apontamentos? Deixa seu comentário!

Escrito por

Pedro Bernardes

Profissional de Educação Física

Cult | Atleta | Leitor compulsivo

Belo Horizonte - MG

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!