Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

To Your Eternity, também conhecido por Fumetsu no Anata e, é a adaptação que eu mais aguardei chegar. Isso porque eu sou muito fã da autora, Yoshitoki Oima, mais conhecida por seu trabalho com A voz do Silêncio. Assim, acredito que fica fácil de saber o que esperar dela.

Aliás, eu levei sorte por assim dizer, pois o anime acabou não sendo sorteado nas rd3, ai corri pra abraçar ele. Apesar de não figurar em nossas Escolhas trovejantes, a obra recebeu Menção Honrosa, junto de Shadows House (cuja rd3 ficou a cargo da Helena) e não é para menos.

Aliás, parando para analisar os animes dessa temporada, e até parando para ler a Regras de 3 aqui da Cúpula… Essa temporada veio recheada de boas surpresas, obras com ótima qualidade artística e narrativas cativantes.

Imagem promocional de To Your Eternity com os personagens principais
  • Gênero: Aventura, Drama, Sobrenatural
  • Estúdio: Brain’s Base
  • Material fonte: Mangá
  • Episódios: 20
  • Novos episódios: Segundas
  • Página do anime (na Cúpula) (no MAL)

Antes que perguntem: sim, eu acompanho o mangá dessa obra já faz um bom tempo e fiquei bastante feliz com a adaptação. Aliás, o mangá será publicado aqui no Brasil pela Editora NewPOP, e já está em pré-venda (usando esse link vocês ajudam a apoiar a Cúpula!).

To Your Eternity é uma jornada sobre aprendizado

A história de Fumetsu no Anata e acompanha uma criatura imortal, colocada no mundo por um ‘ser superior’. Dito isso, essa criatura é capaz de assumir a forma das coisas, desde que algumas condições sejam alcançadas.

Primeiramente na forma de um orbe, quando colocada no mundo a criatura assume a forma de uma pedra. Contudo, depois ela conhece a forma do musgo, e eventualmente a de um lobo. Finalmente assim, as engrenagens da eternidade começam a girar...

Começando com essa pequena sinopse minha, vou dar o mínimo de spoilers possível, pois essa é uma obra para você sentir o que está acontecendo, é sério.

É interessante notar que a criatura, após adquirir a forma de lobo, ganha uma consciência e começa a aprender sobre o que é estar vivo. A narrativa dos eventos fica a cargo do ser superior, a quem chamarei de Observador, que possui uma voz bastante proeminente.

Assim, ele denota que o orbe foi colocado no mundo para juntar informações, mas por quê? Como lobo, a criatura aprende a se comportar como um lobo, e parte para receber novos estímulos.

O Orbe

Logo conhecemos o primeiro personagem importante da trama, o garoto. E o nome desse solitário garoto, que vive no meio do ártico, nunca é dito. Todavia, é por meio dele que a criatura aprende a comer, a ouvir, prestar atenção e sentir.

A criatura recebe ali os primeiros estímulos provenientes de sentimentos, e dói. Dói acompanhar o desenrolar da jornada do garoto. Simplesmente porque a história faz o espectador se sentir parte daquilo.

Ela te convida a acompanhar os mais diferentes lugares, seus novos personagens e aprendizados. E assim também te convida a refletir sobre a vida, e aprender junto do protagonista.

Aquela obra que te abraça, e também te apunhala

Acima de tudo, To Your Eternity é uma jornada sentimental. A autora não mede esforços para capturar sua atenção apresentando os personagens da forma mais humana possível. Além de fazer com que eles representem um grande aprendizado para o protagonista.

Assim, devo afirmar que esse anime possui um dos melhores primeiros episódios que já tive o prazer de assistir, se não o melhor. A narrativa é tão fantástica que ela te abraça, mesmo sem te dar coisas importantes, como o nome do primeiro personagem da trama.

O Garoto e o Lobo chamado Joan

E é fantástico, porque apresenta tudo que é necessário, de forma bem estruturada e em apenas 20 minutos. Uma introdução linda, um desenvolvimento incrível, e uma apunhalada no coração extremante bem executada, para garantir que você lembre que o desenho é um drama apesar de tudo.

E pra finalizar, desperta a curiosidade. A animação está bem executada, é simples, mas há esmero nas cenas. Apesar que torci um pouco o nariz em uma cena de ação do terceiro episódio, envolvendo um urso. De toda forma não foi uma cena enorme, então tudo bem.

Aliás, o traço fofinho da autora fica lindo animado e fiquei feliz com a qualidade geral da adaptação. As músicas também encaixam muito bem com as cenas e ajudam a contextualizar os eventos e a apertar seu coração.

Garoto e o Lobo Joan em sua jornada - To Your Eternity

A abertura Pink Blood, interpretada por Hikaru Utada, é simplesmente linda. Ademais, a ideia da opening de mostrar as cenas como se fossem lembranças faz todo o sentido. Além disso, dá uma ideia, a quem acompanha o mangá, até onde o anime adaptará da história.

Finalizando as primeiras impressões de To Your Eternity

Um pouco engraçado que, lendo os comentários sobre o anime, entendi um pouco do porque gosto tanto do começo da obra. O garoto no primeiro episódio lembra muito uma amiga minha: sempre sorrindo, seguindo em frente com bom humor, confiando muito nas pessoas com quem se importa e, às vezes, chorando quando o mundo não dá certo…

Definitivamente, assistam esse anime. É isso, poderia finalizar aqui se quisesse.

March e o Garoto - To Your Eternity
O garoto e a pequena March

Não entendi muito bem o modelo de 20 episódios, mas imagino o quanto do mangá querem adaptar de uma só vez. O trabalho do estúdio Brains Base (Durarara! e Hotarubi no Mori e) está ótimo.

Visualmente ele não é a obra mais linda que o mundo já viu, mas o conjunto todo da obra compensa.

Parona e March - To Your Eternity
Parona e March

E você provavelmente vai chorar, assim como eu chorei, e vai rir também, acompanhando a jornada de uma misteriosa criatura. Enquanto ela aprende o que é a vida, a gente reflete sobre nossa vida, e no fim todo mundo sai ganhando.

Por fim, espero que gostem da adaptação tanto quanto eu. Que gostem do carinho que a autora coloca nessa história, e dos caminhos pelos quais nosso querido imortal percorrerá!

O Garoto e o Lobo pescaram um peixe

Escrito por

Luiz Rudolf (Matahashi)

Escritor e Faz Tudo

Curioso, Mangázeiro e defensor de Slam Dunk.

São José dos Pinhais - PR

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.
Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!