Análise

Hotel: Since A.D.2079, de Boichi, é bom? Vale a pena ler o mangá? | Crítica

Hotel: Since A.D.2079, de Boichi, é uma boa história
6 minutos para a leitura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Esse texto de Hotel: Since A.D.2079 eu dedico inteiramente ao Evandro Fuzari (Evandro D. Ro) do Canal Manga Q. Afinal, não só conheci essa boa história por meio da recomendação de um vídeo dele, como também vou parafraseá-lo algumas vezes por aqui. Logo, depois da leitura, dê um confere no canal dele que tem muita coisa bacana lá, principalmente sobre Berserk e One Piece.

Caro leitor, começo então esse texto fazendo uma pergunta a você: quantos volumes são necessários para se contar uma boa história?

Seriam 10, 20, 30 ou 100?! E se eu te disser que é preciso de apenas 1 único capítulo para se contar uma história memorável, e que com certeza você irá ler mais de uma vez?

Sabe, aquela história que você passará uma semana pensando nela. Além disso, e se eu dissesse ainda que, além de ser apenas 1 capítulo, ela tem apenas 40 páginas, você acreditaria?

Pois bem, Boichi consegue esse feito com um one-shot de Sci-fi, chamada Hotel: Since A.D.2079.

Do que trata Hotel: Since A.D.2079?

Uma história leve, inteligente e emocionante, é isso que faz com que “Hotel” passe a sensação de satisfação, mesmo após dessas poucas páginas.

Na verdade, termina tão bem que faz com que o leitor não queira que haja uma continuação!

Para quem já leu algo do Boichi, deve saber que a qualidade de sua arte dispensa palavras. Inegavelmente o autor é um desenhista excepcional e bem excêntrico, sendo assim, em Hotel não foi diferente.

Começando pela primeira página da história, onde mostra a terra no ano de 2079 coberta por água, no qual apenas os prédios e construções altas são possíveis ser vistas. Uma imagem bem ‘’clean’’, intrigante e bonita.

Hotel: Since a.d.2079, capa ilustrativa
Hotel: Since A.D.2079

Ainda sobre Hotel: Since A.D.2079

O one shot foi lançado em 2006, no possível “auge” da discussão sobre o ‘’Efeito estufa’’ e suas consequências para os seres humanos e a terra.

Nesse sentido, Boichi parece ter surfado nessa onda, dando vida à sua, na minha opinião, melhor história.

Resumindo de forma simples o enredo desse one shot:

‘’Hotel conta a saga de um computador, o último intelecto avançado num planeta morto, tentando cumprir sua razão de funcionar, sua missão máxima: preservar o DNA de todos os seres vivos da Terra’’.

Não irei aprofundar, pois aconselho fortemente a você saber o mínimo possível do enredo. Afinal, o conhecimento pode vir a prejudicar sua experiência.

Boichi é o pseudônimo de Mujik Park, um artista de manhwa sul-coreano que vive no Japão. Ele possui alguns títulos conhecidos como Sun-Ken Rock e Origin. Hoje, ele é o desenhista do renomado Dr. Stone.

Boichi na frente de um cartaz de Sun Ken Rock
Boichi com um cartaz de Sun-Ken Rock

O autor já ganhou alguns prêmios, embora o que vale ressaltar é o que faz jus a esse one shot, o Gran Guinigi 2011 – “Melhor Breve História” de It was all for the Atum, presente em “Hotel” (Panini Comics).

Surpreendentemente, Hotel não foi lançado no Brasil.

Contudo, é provável que com a acessão do Boichi e com Dr. Stone fazendo cada vez mais sucesso, as editoras brasileiras eventualmente possam abrir seus olhos para outras obras do autor e traze-las para nós.

Corre lá e dá uma conferida nessa história! Depois, volta aqui e comente o que você achou de Hotel: Since A.D. 2079.

Certamente você irá concordar com o fato de que uma boa história não precisa ser longa, pois, quando bem feita, bastam 40 páginas.

Escrito por

Pedro Bernardes

Profissional de Educação Física

Cult | Atleta | Leitor compulsivo

Belo Horizonte - MG

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!

Se inscreva e receba
novidades exclusivas
da cúpula do trovão!

Gosta de animes e mangás? Conheça o nosso podcast!