Em nossas RegrasDe3, os autores assistem os 3 primeiros episódios de um anime novo lançado na respectiva temporada. Após isso, eles escrevem uma análise sobre esse começo da obra, sendo uma espécie de primeiras impressões. Fique atento: a RegraDe3 é uma visão baseada APENAS nesses 3 primeiros episódios, NÃO sobre o anime inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pocket

Sendo bem honesta, eu não esperava nada de Deatte 5-byou de Battle. Nadinha.

Inicialmente, o título complicado com a palavra “battle” nele inserida me havia feito pensar que se tratava de um anime medíocre de robôs, não sei o porquê. Além disso, após ver o trailer ele pareceu uma cópia meio boca de Mirai Nikki (que já não é tudo aquilo). “Fui sorteada com um esses animes tanto faz que tem em toda temporada”, pensei.

Fiquei surpresa, contudo. No bom sentido, claro.

Deatte 5-byou de Battle visual oficial
  • Gênero: Ação, Superpoder, Sobrenatural
  • Estúdio: SynergySP, Vega Entertaiment
  • Material: WebManga
  • Episódios: –
  • Diretor: Arai Nobuyoshi
  • Novos episódios: Terça-feira
  • Página do anime na Cúpula e no MAL

Personagens nada originais, porém, interessantes

Embora a premissa realmente não seja original, – o personagem principal é superinteligente, é selecionado por uma personagem misteriosa, morre e vai parar em uma espécie de torneio onde ganha superpoderes – por algum motivo eu me senti interessada.

É engraçado porque a aparência de todos os personagens é bem clichê, e dá para comparar cada um deles com algum outro anime. Akira, o protagonista, com Leleouch/Kira, Yuuri com Rika de Wonder Egg e Madoka com o carinha lá de Samurai X), porém, ainda sim, eles têm substância e parecem “únicos”, o que contribuiu com meu interesse perante o anime.

Madoka Kirisaki de Deatte 5-byou de Battle
Madoka: uma mistura de Himura e Sagara, e sim, ele também usa espada, claro.

Porém, ainda sim, os personagens têm substância e parecem “únicos”, o que contribuiu com meu interesse perante o anime. Certamente uma das coisas que contribuiu para a vivacidade deles são suas personalidades, que são bem fortes, cada um à sua maneira (episódio 2 que eu diga).

Ainda, o anime é bem bonito. No começo tive a impressão que ele estava dando umas travadas na animação, mas em geral ele é bem animado para um anime assim sem tanto hipe.

Mas do que se trata, afinal?

Numa sinopse livre, como antes citado, somos apresentados a Akira, um personagem bastante genérico. Ele é o clássico recluso inteligentão, que passa o dia inteiro jogando mas, na verdade, só tira nota boa na escola.

Do nada (do nada MESMO), aparece um carro e solta um troglodita para pegar ele no pau. Ele se mostra bastante proativo, já reagindo super bem à situação. Surpreendentemente, ele dá um jeito de sobreviver, porém somente para ser morto e “isekaizado” na sequência.

Akira recebeu um poder peculiar, junto de várias outras pessoas que também foram enviadas para ali. Então, agora Agora, neste “novo mundo”, temos a formação perfeita para o clássico torneio da morte; diversos motivos nem tão plausíveis assim para termos lutas atrás de lutas. Sinceramente, não sei o que aconteceu, mas ainda estou comprando e sigo interessada.

E bem, sobre o mundo em que se passa, toda a história anda ainda bem mal explicada com apenas 03 (três) episódios, e eu espero que isso seja melhor explanado no decorrer do anime, senão vai ficar um tanto quanto meia boca.

Um exemplo de situação que eu gostaria de entender é por que a Yuuri morreu de forma “normal” e por que no caso do Akira veio um monstrão troglodita maluco atrás dele (???).

cena estranha de Deatte 5-byou de Battle
????

Todas essas questões mal resolvidas, porém, podem causar no telespectador a vontade de continuar assistindo justamente para ver o que vai rolar, que é o meu caso.

Elementos inusitados e mistérios ainda não mostrados

Outra coisa que estou curiosa é para descobrir o porquê dão tanto foco nesses “cinco segundos”, que é o tempo que dão antes da “batalha começar”. Será que servirá para algo mais além de aparecer um contador na tela antes de cada combate?

Ainda, a narrativa é contada de um jeito meio apresentação de show, com imagens na tela explicando coisas, ou então com a narradora dizendo o que está acontecendo e tirando de você o gostinho de descobrir sozinho depois. Confesso que não gosto muito disso, mas não fiquei incomodada a ponto de não gostar e deixar de assistir.

Ademais, este anime é meio pesado. Se você tiver algum trauma, possivelmente terá alguns gatilhos, especialmente com questões de abuso. Episódio 2 foi bastante nessa linha.

Em suma, para 03 (três) episódios eu estou supreendentemente satisfeita com Deatte 5-byou de Battle. Ele não é ruim e te deixa com o gostinho de “humm acho que vou ver mais um, já que não tem muita coisa melhor também”. Então, se o André topar, vamos continuar assistindo nos finais de semana.

Enfim…

Deatte 5-byou de Battle é um anime mediano.

Trilha sonora, personagens e história: ok.

Original, fantástico, revolucionário? Não. Mas da para passar mais do que 5 segundos assistindo.

Escrito por

Daiane Tomé

Escritora (as vezes)

Costureira | Amante de Pandora Hearts

Criciúma - SC

Gostou do artigo?

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!
Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.