Análise

Leviathan é bom? Vale a pena ler o webtoon? | Crítica

Leviathan: um manhwa pós-apocalíptico que você precisa conhecer
12 minutos para a leitura

Já comentei em um outro artigo aqui da Cúpula que os manhwas vão dominar esse segmento do mercado. E digo mais, eles irão ditar uma nova tendência. E Leviathan faz parte desse “eles”.

Solo Leveling está aí para nos mostrar o tamanho do potencial que a Coreia do Sul está tendo nesse setor, e parece que o Brasil faz parte dos planos das editoras.

Na Comic Con Experience Brasil 2019, a editora oficial de Solo Leveling marcou presença no evento. Com isso, não duvido que obras como Leviathan cheguem a ter esse mesmo destaque em breve.

Stand Solo Leveling CCXP

Solo Leveling se tornou referência de manhwa de qualidade, sendo que não é difícil deparar-se com pessoas pedindo sugestões de “mangás” parecidos com Solo Leveling.

Existe diversas obras com uma premissa similar, e com qualidade visual igual ou até mesmo superior. Mas o manhwa que eu quero trazer hoje foge do padrão isekai e explora um universo pós apocalíptico e possivelmente distópico.

Seu nome, Leviathan.

Leviathan é o que Waterworld poderia ter sido

Talvez se você for um “shounen” (ou seja, um “jovem garoto”), com certeza não saberá do que se trata, mas Waterworld foi um filme que passou exaustivamente na Globo.

Na época, o longa prometia ser o precursor de uma nova franquia de filmes que mexeria com a indústria.

Waterworld é um filme de 1995 protagonizado por Kevin Costner e distribuído pela Universal Pictures.

O longa custou US$175 milhões e arrecadou US$264 milhões. Apesar do valor da arrecadação ter sido positivo, o filme foi considerado um fracasso, além de ter sido massacrado pela crítica.

A história se passa em um cenário futurístico, onde, em decorrência de um derretimento massivo das calotas polares, toda a massa da terra foi coberta por água, fazendo com que os humanos sobreviventes vivessem em comunidades baseadas em grandes navios ou ilhas artificiais.

” O filme quando olhado de longe, é ruim, e quando se olha de perto, parece que tá longe

Waterworld tinha tudo para ser um Madmax marítimo, mas o máximo que o mesmo conseguiu foi ser medíocre.

Ostentando uma nota de 56 (de 100) no site Metacritic, Waterworld é aquele típico filme promissor mas que foi mal executado.

Todavia, eis que 23 anos depois surge um manhwa chamado Leviathan, resgatando esse universo aquático pós-apocalíptico esquecido, porém com um grande potencial.

Um webtoon de qualidade

Leviathan é um webtoon lançado em março de 2018, desenhado por Lee Gyuntak e Noh Miyoung.

A obra conta a história do protagonista, Bota, e sua irmã mais nova, Lita, em um universo distópico em que o mundo foi submerso e monstros marinhos governam a terra.

Capa de Leviathan com o Bota

Para aqueles que estão enjoados de ver histórias de isekai, Leviathan é um respiro no meio a tanta coisa genérica.

O webtoon consegue apresentar em poucos capítulos um universo sólido e consistente, tornando crível sua história.

Sua arte é impecável, sendo que muitas vezes consegue superar a qualidade de Solo Leveling.

As cenas de ação são incríveis, com personagens cativantes que você possivelmente vai se apegar logo de início. Outro ponto positivo de Leviathan é a criação de mundo, o autor consegue ilustrar em suas páginas o quanto o mar pode ser perigoso e vasto.

Bota-Leviathan, em cima de uma pedra no meio do mar

Por que Leviathan é bom?

Além dos ponto positivos já citados, a arte desse manhwa é incrível.

Temos monstros marinhos perturbadores, com cenas capazes de fazer você sentir que os protagonistas estão em perigo e que suas vidas realmente estão em jogo.

Afinal, a sensação de perigo é algo que precisa ser notável numa obra para que o mundo realmente pareça uma ameaça.

Além de lembrar Waterworld, Leviathan lembra bastante Shingeki no Kyojin, com o uso inventivo das armas, tornando mais plausível a luta contra monstros marítimos gigantes.

A espada que Bota usa tem um compartimento para cápsula de gás que é acoplada a ela, dando impulso a quem a empunha, tornando seu poder destrutivo muito maior.

Outro ponto positivo dessa obra são as cenas de lutas. Em Leviathan, assim como Solo Leveling, as páginas são sequenciadas de cima para baixo dando fluidez aos combates que só esse “formato manhwa” é capaz de proporcionar.

Vale ressaltar também a presença de ”facções”, ”tropas”, ”esquadrão”, (não sei a denominação certa).

Digo aquelas “guildas” que todo bom anime tem. Aquele grupo de pessoas que você sabe que são fortes só de bater o olho. Isso agrega muito valor a obra, pelo menos na minha opinião.

“Akatsuki, Apitos Brancos, Shichibukais e Tropa de Exploração são bons exemplos”

Em Leviathan esse grupo é conhecido como Arpoadores, que são as únicas pessoas capazes de combater os monstros marinhos de igual para igual. Vou limitar os detalhes para evitar spoilers, mas essa ideia é muito boa e bem feita na obra.

Tatuagem dos Arpoadores

Nem tudo são rosas em Leviathan

Uma coisa que me incomoda muito em qualquer anime, mangá ou o que quer que seja é o tal do fanservice.

Infelizmente, Leviathan não escapou desse mal. Talvez o intuito do autor é conquistar os japas (”dizem” que eles curtem isso), mas tenho minhas ressalvas.

Alguns podem falar que é implicância minha ou algo do tipo. Entretanto, é fato que 90% das aparições da Kana, o ângulo da imagem é de baixo para cima (o motivo fica fácil imaginar).

E se você acha que é normal sexualizar uma personagem a troco de nada, por puro ”entretenimento”. Então, sugiro que você revise seus conceitos.

O que me dói, é que a personagem é muito boa. Chegando a me lembrar a Mikasa de Shingeki no Kyojin. O character design da Kana é incrível (apesar dela estar semi-nua). Sua história é interessante. As cenas de ação que ela protagoniza são empolgantes.

Grandes obras dificilmente apelam para o ecchi.

Shingeki no Kyojin, Fullmetal e mais recentemente Demon Slayer, são obras consagradas, excelentes, e que não usam esse tipo de recurso pobre, e que em 99% dos casos é desnecessário.

Pelo menos, por enquanto, limita-se apenas a mostrar o pandeiro da Kana nos mais diversos ângulos, já que a personagem usa uma calcinha fio dental e minissaia.

Isso pode tirar o leitor da imersão pensando: “Por que caralhos alguém lutaria vestido assim?!”, fazendo com que a obra perca credibilidade.

Mas ainda está aceitável. Afinal, não chegou no “nível Fireforce, onde um personagem escorrega em uma casca de banana e a mão vai parar misteriosamente no peito da personagem.

Finalizando…

Leviathan é um excelente manhwa de fantasia que promete trazer uma história diferente para aqueles que estão cansados de isekai.

Adianto também que, mesmo se você não está enjoado de isekai, você irá gostar de qualquer forma.

Leviathan é “apenas mais um” de vários manhwas Sul Coreanos que estão vindo para mostrar seu lugar de direito nesse mercado.

Então se você conhece mais algum manhwa similar, deixa nos comentários para podermos discutir sobre e ampliar/difundir ainda mais o acervo dessas obras fantásticas.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Escrito por

Pedro Bernardes

Profissional de Educação Física

Cult | Atleta | Leitor compulsivo

Belo Horizonte - MG

Entre na conversa, deixe seu comentário!

Comente abaixo sua opinião sobre o assunto e convide o autor da postagem para conversar!
Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao navegar nele você está aceitando nossa política de privacidade.